Projeto de intervenção manguinhos limpo: restauração do bioma manguezal / Clean mangoes intervention project: manguezal bioma restoration

Cindy Nogueira Moura, Everton Alves Olegário, Henrique de Oliveira Ribeiro, Leonardo Guimarães da Penha, Lucineide Alves Vieira Braga

Abstract


Os manguezais são ecossistemas costeiros caracterizados pela transição entre os ambientes terrestre e marinho, característico de regiões tropicais e subtropicais, dependente do regime da maré. O uso principal dos manguezais é através da pesca, se consolidando como importante fonte de renda e desenvolvimento das comunidades ribeirinhas. Apesar da sua importância econômica e social, esse ecossistema encontra-se em uma situação delicada em seu cenário atual, sendo que cerca de 20% da área de manguezais foram perdidas em 20 anos, decorrente, principalmente, pela expansão urbana. Impactos ambientais causados por ações externas humanas, como invasão e construção irregular de moradias no mangue, poluição por resíduos alimentares e domésticos, além de esgoto despejado no ecossistema e o desmatamento da flora nativa.  O presente artigo tem como principal objetivo a formulação de um projeto de intervenção acerca do desmatamento, poluição e invasão habitacional ao manguezal situado na comunidade de Jardim Manguinhos em Cabedelo, na Paraíba. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com o objetivo de descrever as problemáticas ecológicas do manguezal localizado no território de estudo através das vivências obtidas nas atividades práticas de visitas à comunidade no período de Agosto a Outubro de 2017, assim como a formulação do um projeto intervencionista, pelo estudo da literatura recente acerca da problemática encontrada no local de estudo.

 


Keywords


Ecossistema manguezal. Educação ambiental. Problemas causados pelo desmatamento.

References


ARAÚJO, D. S. Metamorfoses da paisagem dos manguezais do estuário do Rio Paraíba. Monografia (Bacharelado). Universidade Federal da Paraíba. Curso de Bacharelado em Geografia. 62 fl. João Pessoa - PB, 2014.

ATAIDE, F. V. F. S. Ecossistemas e impactos ambientais nos espaços urbanos e rurais. Monografia (Especialização). Universidade Estadual da Paraíba. Curso de Especialização Geografia e Território: Planejamento urbano, rural e ambiental. 47 fl. Guarabira - PB, 2011.

AUGUSTO, L. G. da S. Saúde e ambiente. Saúde no Brasil: contribuições para a agenda de prioridades de pesquisa. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006.

BELARMINO, P. H. P. et al. Resíduos sólidos em manguezal no Rio Potengi (Natal, RN, Brasil): relação com a localização e usos. Revista de Gestão Costeira Integrada, Natal, v.14, n.3, p.447-457, 2014.

BRAGA, R. A. P.; MAESTRATI, P.; LINS, M. F. Impacto da implantação do complexo industrial portuário de Suape (PE) sobre populações de moluscos comestíveis. An Soc. Nordest. Zool., v.3, n.3, p.137- 153, 1989.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Manguezais: Educar para proteger. Rio de Janeiro: Ministério do Meio Ambiente, 2001.

BRASIL. Portaria n°9, de 29 de janeiro de 2015. Dispõe sobre o Plano de Ação Nacional para Conservação das Espécies Ameaçadas e de Importância Socioeconômica do Ecossistema Manguezal. Diário Oficial da União, Brasília, 29 jan. 2015.

BRASIL. Lei n° 5.197, de 03 de janeiro de 1967. Dispõe sobre a proteção à fauna e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 05 jan. 1967.

BRASIL. Resolução CONAMA 303, de 20 de Março de 2002. Dispõe sobre parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. Diário Oficial da União, Brasília, 13 mai. 2002.

CABRAL, G. J. da C. M. O Direito Ambiental do Mangue. João Pessoa: Revista Sal da Terra, 2003.

DUKE, N. et al. The importance of mangroves to people: a call to action. United Nations Environment Programme World Conservation Monitoring, 2014.

GUEDES, L.S. Monitoramento geoambiental do estuário do rio Paraíba do Norte - PB por meio da cartografia temática digital e de produtos de sensoriamento remoto. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Curso de Mestrado em Geodinâmica do Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica da UFRN. 90fl. Natal – RN, 2002.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mudanças na Cobertura e Uso da Terra 2000 – 2010 – 2012. Rio de Janeiro, 2015.

LACERDA, L. D. de. Os manguezais do Brasil. In: VANNUCCI, M. Os manguezais e nós: uma síntese de percepções. São Paulo: Editora da USP. cap. 3 (Apêndices), p. 185-196, 1999.

LIMA, E. C. D. Um debate geográfico sobre a atual dinâmica de segregação urbana na cidade de Cabedelo/PB. Artigo (Bacharelado). Universidade Federal da Paraíba. Curso de Bacharelado em Geografia. 24 fl. João Pessoa, 2017.

MARCUZZO, F. F. N. et al. Detalhamento hidromorfológico da bacia do Rio Paraíba. Porto Alegre, 2012.

MASCARENHAS, J. C. et al. Diagnóstico do Município de Cabedelo. Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. Recife, 2005.

MELO, M. J. et al. Programa de recuperação de manguezais degradados no litoral norte de Pernambuco: Percepção ambiental e utilização de mudas Rhizophora mangle L. por filhos de pescadores do Canal de Santa Cruz. Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), 2002.

NEIMAN, Z. Era verde? Ecossistemas brasileiros ameaçados. 24ª ed., Editora Atual, São Paulo, 2012.

OLIVEIRA, A. K. P.; SOUZA, C. S. Despoluição do manguezal: Sistematização de um projeto de intervenção no estuário do Rio Potengi. REV. FARN. v.l, n.2, p. 27 - 36 Jan/jun. 2002.

PASSARELI, L. S.. Manguezais sob uma perspectiva social e econômica: percepção ambiental e valoração do manguezal do estuário do rio paraíba do sul, rio de janeiro. Monografia (Mestrado). Universidade Estadual do Norte Fluminense. Curso de Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais. 107 fl. Campos dos Goytacazes, 2013.

PESSOA, E. C. L. Percepção dos alunos do centro Dom Hélder Câmara da cidade de Bayeux em relação à poluição e a degradação do manguezal causada pelo lixo produzido pela população ribeirinha. Monografia (Licenciatura). Universidade Federal da Paraíba. Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. 58p. il. João Pessoa, 2014.

PRIMACK, R. B., RODRIGUES, E. Biologia da conservação. Editora Planta. Londrina, 2001.

SANTOS, A. P. S. et al. Conhecendo o manguezal através de atividades lúdicas nas escolas públicas da comunidade de Renascer, Cabedelo-PB. Instituto Federal da Paraíba (IFPB), 2016.

SCHAEFFER- NOVELLI, Y. (coord.). Manguezal: Ecossistema entre a Terra e o Mar. São Paulo: Caribbean Ecological Research, 1995.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.