Resposta glicêmica de ratos submetidos ao treinamento de duas modalidades desportivas / Glycemic response of rats submitted to two sports modalities training

Lívia Sousa Barbosa, Pedro Cunha Lopes, Daiana Cordeiro Rodrigues, Mateus Bastos de Souza, Jonathan Elias Rodrigues Martins, Karla Camila Lima de Souza, Francisco Fleury Uchôa Santos Júnior, Vânia Marilande Ceccatto Ceccatto

Abstract


Introdução. O exercício físico é uma condição na qual ocorre uma elevação da exigência de diversos sistemas orgânicos com subsequente ativação de mecanismos de mobilização de substratos energéticos, através das vias aeróbias ou anaeróbias, resultando no aumento da disponibilidade de oxigênio, oxidação de gorduras, além do transporte e utilização de glicose. Objetivo: analisar resposta glicêmica de ratos antes e após o treinamento de duas modalidades esportivas. Métodos. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética para o Uso de Animais (CEUA) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), sob o protocolo nº 7007456/2015 de 04/03/2016. Foram utilizadas 14 ratas fêmeas albinas da linhagem Wistar com massa corporal entre 200 ± 15 g. Os animais foram distribuídos em dois grupos experimentais, cada grupo contendo (n = 07) animais, sendo: Corrida e Natação. O treino de corrida ocorreu em uma esteira adaptada para roedores. O treino de natação ocorreu em um recipiente de plástico com água aquecida e incrementos de carga na cauda do animal equivalente a 8% da massa corporal. Ambos os treinamentos iniciaram com 3 minutos e finalizaram com 30 minutos, seis vezes por semana durante quatro semanas. Os níveis de glicemia foram analisados por meio de um glicosímetro Accu-Chek Active®, antes e após os treinos, no qual foi coletado 10 µL de sangue da extremidade distal da cauda de cada animal para determinação da glicemia. Para a análise estatística utilizou-se o teste t de Student (p<0,05). Os resultados foram expressos em média ± erro padrão da média. Resultados. Os valores obtidos foram: Corrida [antes] (61,71 mg/dL ± 5,42) e Corrida [depois] (111,14 mg/dL ± 5,06), p<0,0003; Natação [antes] (71,42 mg/dL ± 5,96) e Natação [depois] (65,00 mg/dL ± 5,97), p=0,3068. Observou-se que houve um aumento estatisticamente significativo no grupo corrida após o treino, o que não ocorreu nos animais submetidos a natação. Conclusão. Verificou-se que o treino de corrida foi capaz de aumentar os níveis séricos de glicose, sugerindo maior mobilização desta durante a referida modalidade, o que não ocorreu durante a natação.


Keywords


Treinamento; Natação; Corrida.

References


ADAMS, O. P. The impact of brief high-intensity exercise on blood glucose levels. Diabetes, metabolic syndrome and obesity: targets and therapy, v. 6, p. 113, 2013.

ARAGON, A. A.; SCHOENFELD, B. J. Nutrient timing revisited: is there a post-exercise anabolic window? Journal of the international society of sports nutrition, v. 10, n. 1, p. 5, 2013.

EGAN, B.; ZIERATH, J. R. Exercise metabolism and the molecular regulation of skeletal muscle adaptation. Cell metabolism, v. 17, n. 2, p. 162-184, 2013.

FREYSSENET, D.; BERTHON, P.; DENIS, Chr. Mitochondrial biogenesis in skeletal muscle in response to endurance exercises. Archives of physiology and biochemistry, v. 104, n. 2, p. 129-141, 1996.

GARNIER, A. et al. Coordinated changes in mitochondrial function and biogenesis in healthy and diseased human skeletal muscle. The FASEB Journal, v. 19, n. 1, p. 43-52, 2005.

GOODYEAR, L. J.; KAHN, B. B. Exercise, glucose transport, and insulin sensitivity. Annual review of medicine, v. 49, n. 1, p. 235-261, 1998.

GROENNEBAEK, T.; VISSING, K. Impact of resistance training on skeletal muscle mitochondrial biogenesis, content, and function. Frontiers in physiology, v. 8, p. 713, 2017.

GOMES, N. M. A. et al. Aquatic therapy in bone mineral density in rats after paw disuse by Immobilization. International Journal of Therapies & Rehabilitation Research, v.5, n.5, p.161-169, 2016.

HEYDENREICH, J. et al. Total energy expenditure, energy intake, and body composition in endurance athletes across the training season: a systematic review. Sports medicine-open, v. 3, n. 1, p. 8, 2017.

BALIKIAN JÚNIOR et al. Effect of Endurance Training on The Lactate and Glucose Minimum Intensities. Journal of sports science & medicine, v. 17, n. 1, p. 117, 2018

LECKA‐CZERNIK, B.; ROSEN, C. J. Energy excess, glucose utilization, and skeletal remodeling: new insights. Journal of Bone and Mineral Research, v. 30, n. 8, p. 1356-1361, 2015.

MARLISS, E. B.; VRANIC, M. Intense exercise has unique effects on both insulin release and its roles in glucoregulation: implications for diabetes. Diabetes, v. 51, n. suppl 1, p. S271-S283, 2002.

MCGEHEE J. C.; TANNER C. J.; HOUMARD J. A. A comparison of methods for estimating the lactate threshold. Journal of Strength and Conditioning Research 19, 553-558, 2005.

MOORE L. J. et al. The effects of low- and high-glycemic index meals on time trial performance. Internacional Journal of Sports Physiology and Performance, v. 4, n. 3, p. 331-44, 2009.

PACHECO, C. et al. Regulação gênica da via ampk pelo exercício físico: revisão sistemática e análise in silico. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 23, n. 4, p. 328-334, 2017.

PATEL, H. et al. Aerobic vs anaerobic exercise training effects on the cardiovascular system. World journal of cardiology, v. 9, n. 2, p. 134, 2017.

RICHTER, E. A.; HARGREAVES, M. Exercise, GLUT4, and skeletal muscle glucose uptake. Physiological reviews, v. 93, n. 3, p. 993-1017, 2013.

ROSA, E. F. et al. Habitual exercise program protects murine intestinal, skeletal, and cardiac muscles against aging. Journal of Applied Physiology, v. 99, n. 4, p. 1569-1575, 2005.

SAHIIN, K. Muscle glucose metabolism during exercise. Annals of medicine, v. 22, n. 3, p. 185-189, 1990.

SIMOES H.G. et al. Blood glucose responses in humans mirror lactate responses for individual anaerobic threshold and for lactate minimum in track tests. European Journal of Applied Physiology and Occupational Physiology. 80, 34-4, 1999.

SYLOW, L. et al. Exercise-stimulated glucose uptake—regulation and implications for glycaemic control. Nature Reviews Endocrinology, v. 13, n. 3, p. 133, 2017.

VENTURA-CLAPIER, R. Exercise training, energy metabolism, and heart failure. Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism, v. 34, n. 3, p. 336-339, 2009.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.