Saúde auditiva em tatuadores / Hearing health in tattoo artists

Larissa Carvalho de Toledo Mendes, Marisa Sacaloski

Abstract


 

Tatuadores ficam expostos a ruído em média 8 horas por dia. A escassez de informações sobre as condições de trabalho, exposição ao ruído e proteção auditiva limita os esforços para fazer com que a saúde auditiva seja preservada. Objetivo: caracterizar o conhecimento sobre a saúde auditiva em tatuadores e mensurar a intensidade do ruído no qual desenvolve seu trabalho. Método: Trata-se de um estudo exploratório e transversal sobre saúde auditiva em tatuadores expostos a ruídos durante o período de trabalho. Participaram da pesquisa 14 profissionais, com faixa etária entre 18 e 50 anos, de ambos os sexos, de seis estúdios de tatuagem da cidade de São Bernardo do Campo - SP. O instrumento utilizado para coleta de dados foi um questionário auto aplicável e individual elaborado a partir da literatura sobre saúde auditiva, contendo 30 questões. Ao final do questionário, os profissionais receberam orientações e um panfleto explicativo sobre a perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevados (PAINSPE). Além disso, foi utilizado um decibelímetro da marca Minipa, modelo MSL-1351C, a fim de mensurar o ruído emitido pela máquina de tatuagem. Foram feitas três medições do ruído, o microfone do equipamento foi posicionado no ombro do tatuador, considerando a orelha mais exposta, próximo à orelha do cliente e a um metro de distância do tatuador durante o período de trabalho. Este estudo foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade de Santo Amaro – UNISA, com o parecer de número 2.015.650. Resultados: Os participantes deste estudo têm em média de 30,9 anos, 9,5 anos exercendo a profissão sendo 92,9% do sexo masculino, 64,3% relatam que o som emitido pela máquina de tatuagem é confortável e 92,9% acham que a exposição ao ruído pode levar a perda auditiva, porém, apenas 38,5% fazem algo para preservar a audição. As medidas obtidas na mensuração do ruído variam de 72,4 a 118,9 dB(A). Conclusão: Os tatuadores têm conhecimento sobre as consequências da exposição ao ruído, mas são poucos os que fazem algo para preservar a audição.


Keywords


Ruído ocupacional, efeitos auditivos, perda auditiva induzida por ruído, exposição ao ruído, zumbido, perda auditiva induzida por níveis de pressão sonora elevados.

References


RUSSO, I. C. P. Acústica e Psicoacústica Aplicada à Fonoaudiologia, 4ª ed., São Paulo, p. 43, 1993.

FELDMAN, A. S; GRIMES, C. T. Hearing conservation in industry. Baltimore: The Williams & Wilkins, 1985.

FARIAS, V. H. V.; BURITI, A. K. L.; ROSA, M. R. D. da. Ocorrência de perda auditiva induzida pelo ruído em carpinteiros. Rev. CEFAC, São Paulo , v. 14, n. 3, p. 413-422, June 2012 . Available from . access on 10 Dec. 2016. Epub Oct 27, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462011005000119

NUDELMANN, A.A.; COSTA E.A.; FELIGMAN J.; IBÁÑEZ R.N. Perda auditiva induzida pelo ruído. Rio de Janeiro: Revinter; 2001

.

AMERICAN COLLEGE OF OCCUPATIONAL AND ENVIRONMENTAL MEDICE; ACOEME EVIDENCE BASED STATEMENT. Noise induced hearing loss. J. Occup. Environ. Med., [S.I.], v., n. 6, jun. 2003

COMITÊ NACIONAL DE RUÍDO E CONSERVAÇÃO AUDITIVA. Perda auditiva induzida por ruído relacionada ao trabalho. Boletim, São Paulo, n. 1, 29 jun. 1994.

GONCALVES, C. G. de O. et al . Caracterização dos limiares auditivos de odontólogos numa população da cidade de Curitiba - PR, Brasil. Arquivos Int. Otorrinolaringol., São Paulo , v. 16, n. 1, p38, Mar. 2012 . Availablefrom.acceson 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.7162/S1809-48722012000100004

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. CIF – Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde: classificação detalhada com definições. [S.I.], 2003

NUNES, C.P; ABREU T.R.M. de; OLIVEIRA V.C.; ABREU, R.M. de. Sintomas auditivos e não auditivos em trabalhadores expostos ao ruído. Rev. Baiana Saúde Pública. 2011; 35(60): 548-55

BRASIL. Ministério do Trabalho. Portaria n. 3.214 de 08 de junho de 1978. Descreve a Norma Regulamentadora nº. 15 (NR-15) - Atividades e Operações Insalubres. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 1978 Jun 08; Suplemento. Disponível em: http://www.mte.gov.br/legislacao/normas _regulamentadoras/nr_15.pdf Acesso em: 10 de Dezembro de 2016 às 20h40min

NORONHA, M. S. de M.; NORONHA, M. de M. Perda auditiva no trabalho: o perfil audiológico de trabalhadores de indústrias alimentícias. Rev. da Rede de Ensino FTC, Paraíba, ano III, n. 9, Jun. 2009.

LEAO, R. N.; DIAS, F. A. M. Perfil audiométrico de indivíduos expostos ao ruído atendidos no núcleo de saúde ocupacional de um hospital do município de Montes Claros, Minas Gerais. Rev. CEFAC, São Paulo , v. 12, n. 2, p. 242-249, Apr. 2010 . Available from . access on 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462010000200010.

ROSA, M. R. D. da et al . Zumbido e ansiedade: uma revisão da literatura. Rev. CEFAC, São Paulo , v. 14, n. 4, p. 742-754, Aug. 2012 . Available from . access on 10 Dec. 2016. Epub Feb. 14, 2012.

VESTERAGER, V. Tinnitus: investigation and management. BJM, [S.I.], v. 314, p. 728-731, 1997.

SANCHEZ, T. G. et al . Zumbido em pacientes com audiometria normal: caracterização clínica e repercussões. Rev. Bras. Otorrinolaringol., São Paulo , v. 71, n. 4, p. 427-431, Aug. 2005 . Available from . accesson 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992005000400005

PINTO, P. C. L.; SANCHEZ, T. G.; TOMITA, S. Avaliação da relação entre severidade do zumbido e perda auditiva, sexo e idade do paciente. Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.), São Paulo , v. 76, n. 1, p. 18-24, Feb. 2010. Available .acceson 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942010000100004.

ALMEIDA, S. I. C. de et al . História natural da perda auditiva ocupacional provocada por ruído. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 46, n. 2, p. 143-158, June 2000. Available from access on 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302000000200009

MELNICK, W. Saúde Auditiva do Trabalhador. In: KATZ, J. Tratado de Audiologia Clinica. 4ª ed., São Paulo, Manole, p. 529-47, 1999.

MOREIRA, A. C.; GONCALVES, C. G. de O. A eficiência de oficinas em ações educativas na saúde auditiva realizadas com trabalhadores expostos ao ruído. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 723-731, June 2014. Available from . Access on 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/1982-021620146112.

BRAMATTI, L.; MORATA, T. C.; MARQUES, J. M. Ações educativas com enfoque positivo em programa de conservação auditiva e sua avaliação. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 10, n. 3, p. 398-408, 2008. Available from . Accesson 10 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462008000300016

DINIZ, A. F.; MATTE, G. R. Procedimentos de biossegurança adotados por profissionais de serviços de embelezamento. Saude soc., São Paulo, v. 22, n. 3, p. 751-759, Sept. 2013. Available from . access on 11 Dec. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902013000300009

SIQUEIRA, R.C.L. ANÁLISE DA EXPOSIÇÃO AO RUÍDO E DOS PRINCIPAIS SINTOMAS AUDITIVOS E EXTRA-AUDITIVOS EM MOTORISTAS DO TRANSPORTE COLETIVO DE GOIÂNIA. 2012. 50 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde) - Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Ciências Ambientais e Saúde, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2012

PIMENTEL, B.N.; FEDOSSE, E.; RODRIGUES, N.G.S.; CRUZ, K.S.; FILHA, V.A.V.S. Percepção do ruído, saúde auditiva e qualidade de vida de professores de escolas públicas. Audiol Commun Res. 2016;21:e1740

SERVILHA, E.A.M.; DELATTI, M.A. Percepção de ruído no ambiente de trabalho e sintomas auditivos e extra-auditivos autorreferidos por professores universitários. J Soc Bras Fonoaudiol. 2012;24(3):233-8

BENTO, R.F.; CAETANO, M.H.U; REZENDE, V.A.; SANCHEZ, T.G. Mascaramento do zumbido rebelde ao tratamento clínico. Rev. Bras. de Otorrinolaringologia, 61(4):290-6, 1995.

BOGER, M.E.; BARRETO, M.A.S.C. Zumbido e perda auditiva induzida por ruído em trabalhadores expostos ao ruído ocupacional. Rev Eletrôn Gestão Saúde. 2015;6(2):1321-33

MORATA, T.C.; LEMASTERS, G.K. Perda auditiva induzida por ruído. Nudelmann et al. Cap. 1, pág 3-4. Volume II. Editora Revinter.

GRECA, A.L.M.M. Conhecimento dos trabalhadores de uma empresa de manutenção industrial em relação a proteção auditiva. São Paulo, 2010 PUC-SP (tese de mestrado)

SAKAE, T.M.; SAKAE, O.; JUNIOR, P.B.S.; SAKAE, G.R.F.M. Perfil epidemiológico e audiológico dos trabalhadores atendidos pelo Serviço Social da Indústria de Brusque – Santa Catarina. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 53 (2): 144-149, abr.-jun. 2009.

COSTA, C.B.; GAMA, W.U.; SANTOS, T.M.M. Eficácia do Protetor Auditivo de Inserção em Programa de Prevenção de Perdas Auditiva. Arq. Int. Otorrinolaringol. / Intl. Arch. Otorhinolaryngol., São Paulo, v.13, n.3, p. 281-286, 2009.

LACERDA, A.; FIGUEIREDO, G.; NETO, J.M.; MAQUES, J.M. Achados audiológicos e queixas relacionadas à audição dos motoristas de ônibus urbano. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2010;15(2):161-6

THOMSEN, K.A. The origin of impedance audiometry. Acta Otolaryngol. 1999;119(2):163-5. http://dx.doi. org/10.1080/00016489950181585

ANDRADE, I.F.C.; RUSSO, I.C.P. Relação entre os achados audiométricos e as queixas auditivas e extra-auditivas dos professores de uma academia de ginástica. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2010;15(1):167-73

GÓMEZ, J.G. Sordera por ruído. El trauma acústico y los accidentes auditivos em la indústria. Bol. Of. Sanit. Panam., 95(1):14-20, 1983

MUNHOZ, G.S. Proposta de programa de prevenção de perdas auditivas para músicos. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Programa de Fonoaudiologia, apresentada à Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo, 2016.

CARVALHO, R.; MUNHOZ, G.; LOPES C. Elaboração de um Website sobre Saúde Auditiva para Músicos. Revista Portuguesa de Saúde Ocupacional on line. 2016, volume 1, página 1-8.

POMMEREHN, J; FILHA, V.A.V.S.; MIOLO, S.B.; FEDOSSE , E. O ruído e a qualidade de vida na perspectiva de trabalhadores de postos de combustíveis. Rev. CEFAC. 2016 Mar-Abr; 18(2):377-384

FROTA, S. Fundamentos em Fonoaudiologia: audiologia. Cap. 3, pág. 41. 1º edição, Editora: Guanabara Koogan.

ROBINETTE, M.S. Tratado de Audiologia Clinica. Jack Katz. Cap. 13, pág.179. 4ª edição. Editora: Manole


Refbacks

  • There are currently no refbacks.