Envelhecimento e direitos humanos: relato de experiência de extensionistas em uma instituição de longa permanência de cabedelo – PB / Aging and human rights: report of experience of extensionists in a long permanence institution of cabedelo - PB

Breno Matheus Rego do Nascimento, Mayrlla Myrelly Vieira Formiga, Daniella de Souza Barbosa, Sandra Fernandes Pereira de Mélo

Abstract


O crescente envelhecimento populacional - em parte advindo da transição demográfica - traz à tona a necessidade de cuidados com a pessoa idosa. Esta muitas vezes é institucionalizada pela família devido à escassez de tempo da família para o seu cuidado domiciliar, sendo este terceirizado para um ambiente desconhecido e que, muitas vezes, somente oferece condições básicas para sua sobrevivência. Tal conjuntura, somada com a fisiopatologia do envelhecimento, acarreta no processo de agravo das funções motoras, cognitivas e de socialização da pessoa idosa residente em instituições de longa permanência. Para avaliar tal fenômeno este estudo do tipo descritivo, qualitativo, fez um relato de experiência a partir da prática extensionista de graduandos do curso de medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba em uma linha de extensão voltada para o cuidado com as pessoas idosas institucionalizadas no Abrigo do Amém, localizado na cidade de Cabedelo/PB, com o intento de desenvolver atividades que estimulem a memória e socialização de idosos e de habituar os estudantes de medicina a lidarem com aspectos da fisiopatologia do envelhecimento humano. Assim, os resultados dessa execução de intervenções terapêuticas individuais e coletivas foram eficazes, na medida da verificação da intensa participação e interesse das pessoas idosas, que, ao final, estavam mais sociáveis e com uma melhoria nas suas funções cognitivas, principalmente, na memória e na atenção. Por fim, tendo em vista que a população idosa brasileira está em crescimento, a qualificação profissional na área de saúde é iminentemente necessária, para que os direitos humanos na velhice, em especial à saúde, sejam garantidos e o cuidado integral e longitudinal efetuado para aqueles que envelhecem.


Keywords


Idoso, Institucionalização, Direitos Humanos, Cognição, Socialização

References


ALVES-SILVA, J. D.; SCORSOLINI-COMIN, F.; DOS SANTOS, M. A. Idosos em instituições de longa permanência: desenvolvimento, condições de vida e saúde. Psicologia: reflexão e crítica, v. 26, n. 4, p. 820-830, 2013. Disponível em: < http://www.redalyc.org/html/188/18829751023/>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm >. Acesso em: 19 de maio de 2018.

BEHRMAN, J. R.; DURYEA, S.; SZÉKELY, M. Aging and economic opportunities: major world regions around the turn of the century. In: Proceedings of the IUSSP General Conference. Salvador, Brasil, 2001. Disponível em: < https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=1817202>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

CHAIMOWICZ, F.; GRECO, D. B. Dynamics of institutionalization of older adults in Belo Horizonte, Brazil. Revista de Saúde Pública, v. 33, n. 5, p. 454-460, 1999. Disponível em: < https://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89101999000500004>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

FREIRE JÚNIOR, R. C.; TAVARES, M. F. L. A promoção da saúde nas instituições de longa permanência: uma reflexão sobre o processo de envelhecimento no Brasil. Rev. bras. geriatr. gerontol, v. 9, n. 1, p. 83-92, 2006. Disponível em: < http://pesquisa.bvs.br/aps/resource/pt/lil-450309>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

LOLLI, M. C. G. S.; MAIO, E. R. Uso da tecnologia para idosos: perfil, motivações, interesses e dificuldades. Revista Educação, Cultura e Sociedade, v. 5, n. 2, p. 211-223, 2015. Disponível em: < http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/educacao/article/view/1864>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

MENDONÇA, T. C.; MACEDO, A. B. A importância do lúdico durante o tratamento fisioterapêutico em pacientes idosos com déficit cognitivo–estudo de caso. Revista Eletrônica “Saúde CESUC, v. 1, n. 1, p. 1-11, 2010. Disponível em: < http://www.portalcatalao.com/painel_clientes/cesuc/painel/arquivos/upload/temp/88d4a38015773c12eb63834dd09d4108.pdf>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

OLIVEIRA, D.L.C.; GORETTI, L.C.; PEREIRA, L.S.M. O DESEMPENHO DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM ALTERAÇÕES COGNITIVAS EM ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA E MOBILIDADE: ESTUDO PILOTO. Revista Brasileira de Fisioterapia, v. 10, n. 1, p. 91-96, 2006. Disponível em: < http://www.redalyc.org/html/2350/235016476012/>. Acesso em: 19 de maio de 2018.

SOARES, E.; COELHO, M. O.; CARVALHO, S. M. R. Capacidade funcional, declínio cognitivo e depressão em idosos institucionalizados: possibilidade de relações e correlações. Revista Temática Kairós Gerontologia, v. 15, n. 5, p. 117-139, 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 de maio de 2018.

VALCARENGHI, R. V et al. Alterações na funcionalidade/cognição e depressão em idosos institucionalizados que sofreram quedas. Acta Paulista de Enfermagem, v. 24, n. 6, p. 828-833, 2011. Disponível em: < http://www.redalyc.org/html/3070/307023880017/>. Acesso em; 19 de maio de 2018.

WONG, L. L. R.; CARVALHO, J. A. O rápido processo de envelhecimento populacional do Brasil: sérios desafios para as políticas públicas. R. bras. Est. Pop., São Paulo, v. 23, n. 1, p. 5-26, jan./jun. 2006. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbepop/v23n1/v23n1a02>. Acesso em: 19 de maio de 2018.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.