Análise do perfil clínico-epidemiológico dos idosos portadores de hipertensão arterial sistêmica nas microáreas 4, 6 e 7 da USF tenoné / Analysis of the clinical and epidemiological profile of elderly carriers of systemic arterial hypertension in USF tenoné microarms 4, 6 and 7

Jessika Rafaela Paixao Dias, Raíssa Leão de Andrade, Ana Catarina Mattos Fernandes, Brenda Matsunaga Laurindo, Eliana Regine de Souza da Fonseca

Abstract


OBJETIVO: Desenvolver um estudo acerca do perfil clínico-epidemiológico dos idosos portadores de Hipertensão Arterial Sistêmica cadastrados nas microáreas 4, 6 e 7 da Unidade de Saúde da Família (USF) do Tenoné, no período de Janeiro de 2015 à Janeiro de 2017, com o intuito de avaliar as dificuldades de adesão e permanência do tratamento proposto. MÉTODO: O trabalho adota um estudo observacional, transversal e analítico-descritivo, realizado em uma amostra com 48 pacientes idosos hipertensos, com idade igual ou superior a 60 anos, de ambos os sexos, cadastrados na USF Tenoné. Posteriormente, aplicou-se um questionário a um número de 19 pacientes acerca de características baseadas no perfil clínico e epidemiológico, nas condições socioeconômicas, no estilo de vida e na adesão medicamentosa realizada por estes pacientes. Para a análise dos dados foram utilizados recursos de computação, por meio do processamento no sistema Microsoft Excel, Statistic Package for Social Sciences (SPSS) versão 22.0, todos em ambiente Windows 7. RESULTADOS: na análise entre as microáreas, não houve diferença significativa quanto ao número de pacientes. A faixa etária predominante entre os pacientes pertence ao intervalo entre 60 a 64 anos, sendo o sexo feminino o de maior prevalência. Observou-se também, um predomínio dos seguintes aspectos: raça mestiça, baixa escolaridade, circunferência abdominal acima de 88 centímetros, baixa renda, aposentadoria, sedentarismo, histórico familiar de HAS e ausência de comorbidades. CONCLUSÃO: a prevalência da HAS entre 60 e 64 anos mostrou-se ser uma tendência tanto na análise de prontuários como na de questionários, com predomínio em idosos pertencentes ao sexo feminino, com menor escolaridade, nos aposentados e nos que apresentam renda familiar de 1 a 2 salários mínimos.


Keywords


Hipertensão Arterial Sistêmica, Perfil Clínico, Perfil Epidemiológico, Idoso, Tratamento.

References


http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066782X2016004800002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

IBIAPINA, Daniela Fortes Neves; SANTOS, Alessandra Nascimento; OLIVEIRA, Layenne Nathanna Rodrigues. Conhecimento dos pacientes com hipertensão arterial sobre a quantidade de sódio presente nos alimentos. Revista Interdisciplinar, v. 6, n. 4, p. 75-85, 2014.

MOREIRA, Morvan. O envelhecimento da população brasileira: intensidade, feminização e dependência. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 15, n. 1, p. 79-94, 2014.

ALMEIDA, Alessandra Vieira et al. A Feminização da Velhice: em foco as características socioeconômicas, pessoais e familiares das idosas e o risco social/The Feminization of Old Age: a focus on the socioeconomic, personal and family characteristics of the elderly and the social risk. Textos & Contextos (Porto Alegre), v. 14, n. 1, p. 115-131, 2015.

MENDES, Gisele Soares; MORAES, Clayton Franco; GOMES, Lucy. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica em idosos no Brasil entre 2006 e 2010. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 9, n. 32, p. 273-278, 2014.

ZATTAR, Luciana Carmen et al. Prevalência e fatores associados à pressão arterial elevada, seu conhecimento e tratamento em idosos no sul do Brasil Prevalence and factors associated with high blood pressure, awareness, and treatment among elderly. Cad. saúde pública, v. 29, n. 3, p. 507-521, 2013.

MENEZES, Tarciana Nobre et al. Prevalência e controle da hipertensão arterial em idosos: um estudo populacional. Revista Portuguesa de Saúde Pública, v. 34, n. 2, p. 117-124, 2016.

MENGUE, Sotero Serrate et al. Acesso e uso de medicamentos para hipertensão arterial no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 50, n. supl2, p. 8, 2016.

NETO, Asdrúbal Nóbrega Montenegro. Obesidade, envelhecimento e risco cardiovascular no Brasil: possíveis soluções para problemas atuais. Saúde. com, v. 4, n. 1, 2016.

FECHINE, Basílio Rommel Almeida; TROMPIERI, Nicolino. O processo de envelhecimento: as principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. InterSciencePlace, v. 1, n. 20, 2015.

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232012000200018

OLIVEIRA, Veronilde et al. Análise dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis: estudo com colaboradores de uma instituição privada. Saúde (Santa Maria), v. 43, n. 1, 2017.

SOARES, Isaac Lener Lages et al. Pacientes hipertensos e diabéticos tipo 2: fisiopatologia das comorbidades, adesão ao tratamento e complicações. anais da JIC-Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica, v. 6, n. 1, 2016.

RIBEIRO, Mariana; CENDOROGLO, Maysa Seabra; LEMOS, Naira de Fátima Dutra. A percepção dos idosos acerca de seus hábitos de vida e comportamento de autocuidado quando jovens e a influência destes na saúde e envelhecimento. Kairós Gerontologia. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Saúde. ISSN 2176-901X, v. 18, n. 2, p. 81-101, 2015.

VIEIRA, Chrystiany Plácido et al. Prevalência referida, fatores de risco e controle da hipertensão arterial em idosos/Self-reported prevalence, risk factors and hypertension control in older adults. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 15, n. 3, p. 413-420, 2016.

GUIMARÃES FILHO, Gilberto Campos et al. Evolução da pressão arterial e desfechos cardiovasculares de hipertensos em um Centro de Referência. Arq Bras Cardiol [Internet], v. 104, n. 4, p. 292-8, 2015.

GUS, Iseu et al. Variações na prevalência dos fatores de risco para doença arterial coronariana no Rio Grande do Sul: uma análise comparativa entre 2002-2014. Arq Bras Cardiol, v. 105, n. 6, p. 573-579, 2015.

GONÇALVES, Hélcia Regina Lima et al. Características ambientais e epidemiológicas de uma população de idosos hipertensos atendida em uma unidade de saúde da família em Imperatriz-MA. 2014.

CRUZ, Maria Luiza Silva et al. Associação entre atividade física e fatores de risco para hipertensão em participantes de um programa de promoção da saúde no município de Araranguá-sc. 2016.

SANTOS, Alejandro; PEREIRA, Carla. Alimentação e Hipertensão Arterial em Portugal. 2014.

PEREIRA, Ivana Maria Onofri. Proposta de intervenção interdisciplinar para a adesão dos pacientes ao tratamento da hipertensão arterial sistêmica. Science, v. 2, n. 2, p. 21-40, 2015.

CHAVES, Anna Paula Meireles. Abordagem em grupo de pacientes com hipertensão arterial e diabetes mellitus na unidade básica de saúde da família de São Sebastião em Campos dos Goytacazes-RJ. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 2017.

BARRETTO, Flávia Risse; CUNHA, Iana Cândido. Avaliação da quantidade de sódio em alimentos Diet e Light em comparação com produtos convencionais. In: Anais do Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEG (CEPE)(ISSN 2447-8687). 2015.

CAVALCANTE, Maria Taiany Gomes et al. Consumo de sódio a partir de alimentos industrializados entre servidores de uma Universidade Pública. Revista Interdisciplinar Ciências e Saúde-RICS, v. 2, n. 3, 2015.

VALENTE, A. et al. Contributo da alimentação e estilo de vida para hipertensão arterial em diabéticos tipo 2: projeto PTranSALT. 2º Simpósio Nacional" Promoção de uma Alimentação Saudável e Segura–Qualidade Nutricional & Processamento Alimentar"(SPASS 2015), 26 novembro 2015, 2015.

FACINA, Taís. VIGITEL Brasil 2013: Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico. 2014.

MENDES, Cláudia Rayanna Silva et al. Prática de autocuidado de pacientes com hipertensão arterial na atenção primária de saúde. Northeast Network Nursing Journal, v. 17, n. 1, 2016.

LINO, Ayala Sabino et al. Comparação do perfil lipídico e protéico entre adultos sedentários e idosos ativos em uma população selecionada da cidade de Patos-PB. Informativo Técnico do Semiárido, v. 9, n. 1, p. 86-90, 2015.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde 2013: percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas. 2014.

LOPES, N. P. et al. Perfil de fatores determinantes da has de uma população específica em uma região delimitada de Curitiba-PR. Revista do Curso de Enfermagem, v. 1, n. 01, 2015.

LUCCA, M. et al. Atividade física habitual e suas possíveis implicações no controle da PA, perfil lipídico e qualidade de vida de pacientes hipertensos. 2015.

FARIA, Ana Paula Cabral de et al. Os polimorfismos-11377C/G e+ 276G/T no gene ADIPOQ estão associados aos níveis de adiponectina na hipertensão arterial resistente= Adiponectin polymorphisms-11377G/T and+ 276G/T are associated with adiponectin levels in resistant hypertension. 2014.

FERREIRA, R. A.; BARRETO, S. M.; GIATTI, L. Hipertensão arterial referida e utilização de medicamentos de uso contínuo no Brasil : um estudo de base populacional. Cadernos de Saúde Pública, v. 30, p. 815-826, 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 abr. 2017.

CAMPANA, E. M. G.; FARIA, R. A.; BRANDÃO, A. A. Hipertensão mascarada: diagnóstico e tratamento. Rev. Bras. Cardiol. (Impr.), v. 27, n. 4, p. 289-292, 2014.

SANTOS, Jonivaldo Lopes et al. Fatores associados ao diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica em garis no município de Araguaína–TO no ano de 2015. EXTRAMUROS-Revista de Extensão da Univasf, v. 4, n. 2, 2016.

FECHINE, Basílio Rommel Almeida; TROMPIERI, Nicolino. O processo de envelhecimento: as principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. InterSciencePlace, v. 1, n. 20, 2015.

MALACHIAS, M. V. B. et al. Capítulo 2-Diagnóstico e Classificação. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 107, n. 3, p. 7-13, 2016.

https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/Perfil_epidemiologico_pacientes.pdf

AYRES, M,; AYRES JÚNIOR, M,; AYRES, D, L, e SANTOS, A, A, 2015, BIOESTAT - Aplicações estatísticas nas áreas das Ciências Biomédicas, Mamirauá, Belém, PA, 364 p.

BUSSAB, W, ; MORETTIN, P, Estatística básica, 3, ed, São Paulo: Saraiva, 2011.

http://www.scielo.br/pdf/csc/v20n2/1413-8123-csc-20-02-0479.pdf

http://seer.fcfar.unesp.br/rcfba/index.php/rcfba/article/view/195


Refbacks

  • There are currently no refbacks.