Agenesia do músculo palmar longo e sua utilização em cirurgias reconstrutivas / Agenesis of the long palmar muscle and its use in reconstructive surgery

Natália Ribeiro Viana, Karina Guedes Correia, Otávio Augusto Nasser Santos, Sabrina Nascimento Costa, Andrey Silva Diniz

Abstract


Introdução: O músculo palmar longo é tido como um dos músculos com mais variações do corpo humano, além de possuir papel auxiliar nas ações do compartimento anterior superficial do antebraço. Dentre suas variedades anatômicas, a agenesia caracteriza-se como a mais frequente e não traz comprometimentos funcionais nem estruturais, possibilitando, desse modo, a utilização do seu tendão para enxertos em cirurgias reparadoras nos indivíduos que o possuem. Destaca-se, ainda, a prevalência da ausência desse componente em parcelas específicas da população, com distinções ligadas à etnia e ao gênero. Objetivos: Discorrer sobre a agenesia do músculo palmar longo, a prevalência da sua ausência, suas principais características e a possibilidade da sua aplicação cirúrgica em procedimentos. Método: Foi feita uma revisão bibliográfica do período de abril a maio de 2018 nas bases de dados: Scientific Eletronic Library Online (SCIELO), MEDLINE, National Library of Medicine – PubMed, e o Google Acadêmico. Foram utilizadas as seguintes palavras chaves: Palmar Longo, Cirúrgico, Enxerto, Agenesia, Variação anatômica. Foram encontrados 17 artigos, dentre os quais 13 foram selecionados, publicados do período de 2002 a 2018, e, após a leitura dos resumos, foram excluídos os que não contavam com o músculo palmar longo em reconstruções cirúrgicas. Somente quatro abordavam o tema: agenesia do músculo palmar longo, enquanto nove traziam a utilização do tendão em procedimentos cirúrgicos e os processos para a sua medição e retirada . Dessa maneira, os artigos foram divididos em duas categorias: a) estudos sobre a prevalência da ausência do músculo e suas características anatômicas; b) resultados de intervenções cirúrgicas que fizeram uso de enxerto do músculo palmar longo. Resultados: A agenesia do músculo palmar longo possui uma incidência significativa na população, em torno de 14%, sendo mais ausente em mulheres e em pessoas brancas. Por ser um tendão longo e extenso, pode ser utilizado em cirurgias reconstrutivas como enxerto em áreas como cotovelo, braço, mão e músculos da face para os indivíduos que o possuem. A literatura aponta que uma parte significativa das cirurgias reconstrutivas  que fizeram seu uso obtiveram repercussão satisfatória – que se divide entre resultados excelentes, bons e regulares –, sem comprometimento de movimentos relacionados a tal estrutura. Para ilustrar isso, na área do cotovelo, obteve-se 71,4% de excelentes resultados. Já para a área do braço, que consistiu em um estudo de caso da reconstrução do tendão do músculo bíceps braquial, o paciente apresentou excelentes resultados desde três semanas após a cirurgia até o atual momento, seis anos depois. Ademais, analisando-se os resultados do uso do enxerto para a mão, 83,2% foram satisfatórios. Por fim, na região que concerne ao músculo orbicular da boca, 94,1% obtiveram resultados excelentes ou bons.  Assim, bons prognósticos principalmente, de finalidade reconstrutiva podem ser alcançados independentemente da técnica cirúrgica utilizada, desde que seja realizada uma avaliação clínica pré-operatória criteriosa e os princípios básicos para transferência tendínea sejam respeitados. Conclusão: Mais estudos sobre as variações anatômicas e suas aplicações em cirurgias reparadoras são necessários, sobretudo com o intuito de melhorar as técnicas cirúrgicas em prol da saúde da população.


Keywords


Agenesia. Variação anatômica. Transferência de tendão. Enxerto.

References


ANGELINI JUNIOR, L. C., et al. Utilização do tendão do músculo palmar longo em procedimentos cirúrgicos: estudo em cadáveres. Acta ortop. bras., São Paulo, v. 20, n. 4, p. 226-229, 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2018.

BONSI, A. B.. Estudo do músculo palmar longo numa população brasileira. 2000. 80p. Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2017.

MOORE, K. L.. Anatomia Orientada para a Prática Clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

RIBAK, S., et al. Lesões crônicas de tendões flexores na mão: reconstrução em dois estágios. Acta ortop. bras., São Paulo, v. 10, n. 2, p. 5-14, 2002. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2018.

SCOPEL, G. P.. Estudo comparativo da fixação dos transplantes musculares na reanimação facial unilateral com e sem o uso do tendão palmar longo. 2010. Tese (Doutorado em Ciências) – Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-059

Refbacks

  • There are currently no refbacks.