Região Sudeste: o cuidado as pessoas que vivem com HIV representado por profissionais de saúde / Southeast Region: care for people living with HIV represented by health professionals

Rômulo Frutuoso Antunes, Denize Cristina de Oliveira, Antonio Marcos Tosoli Gomes, Ana Paula Munhen de Pontes, Yndira Yta Machado, Juliana Pereira Domingues, Virgínia Paiva Figueiredo Nogueira, Hellen Pollyanna Montelo Cecilio

Abstract


Com o surgimento da doença na década de 1980, o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) exerceu um papel fundamental na construção de representações sociais do HIV/aids e dos seus acometidos e configurou um grande problema de saúde pública. Objetivo: O trabalho tem como objetivo analisar a representações sociais dos profissionais de saúde da região sudeste acerca do cuidado às pessoas que vivem com HIV/Aids. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo, apoiado na Teoria de Representações Sociais, desenvolvido na região sudeste do Brasil, nos municípios de Rio de Janeiro e Niterói. A coleta de dados foi realizada em Serviços de Assistência Especializada (SAEs) e Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs). Participaram do estudo 241 profissionais de saúde que atuavam diretamente no cuidado às pessoas vivendo com HIV. Para a coleta de dados foi aplicando um questionário de caracterização sociodemográfica e a técnica de evocações livres de palavra ao termo indutor “cuidado à pessoa com HIV/Aids” no ano de 2012. A análise dos dados ocorreu através da análise estrutural com o uso do software EVOC 2005 e do quadro de quatro casas. Resultados: na análise da estrutura da representação do “cuidado a saúde”, identificaram-se, no possível núcleo central, os elementos positivos: amor, acolhimento, informação, cuidado, atenção e adesão-tratamento, que sugerem um cuidado ético, desprovido de preconceito, empático e acolhedor, viabilizando a assistência terapêutica e a redução do estigma da doença, características da dimensão do cuidado. Conclusão: As representações sociais do cuidado de saúde estão voltadas para aproximação da adesão ao tratamento através da educação em saúde e de estratégias relacionais entre profissional-usuário, impactando na morbimortalidade desse grupo.


Keywords


Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, HIV, Assistência à Saúde

References


da Silva Thiengo PC, Gomes AMT, de Oliveira DC. As representações do cuidado voltado à pessoa que vive com HIV/AIDs para a equipe de saúde. Revista Enfermagem Atual In Derme 2017; 82 (20): 40-47.

Domingues JP, Oliveira, DC, Marques SC. Representações sociais da qualidade de vida de pessoas que vivem com hiv/aids. Texto & Contexto enferm. (internet). 2018; 27(2): e1460017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-7072018000200324&script=sci_abstract&tlng=es

Suto CSS, Marques SC, Oliveira DC, Oliveira JF, Paiva MS. Profissionais da saúde falam mais sobre cuidados do que sobre a síndrome de imunodeficiência adquirida. Cogitare enferm. (internet). 2017; 22(3): e49981. Disponível em: http://www.saude.ufpr.br/portal/revistacogitare/wp-content/uploads/sites/28/2017/07/49981-215097-1-PB.pdf

Oliveira DC, Gomes AMT, Pontes APM, Costa CPM. Construção de um paradigma de cuidado de enfermagem pautado nas necessidades humanas e de saúde. ESCOLA ANNA NERY. , v.15, p.838 - 844, 2011.

Góis ARS, Oliveira DC, Costa SFG, Oliveira RC, Abrão FMS. Social representations of health professionals about people living with HIV/AIDS. Avances en Enfermería (internet). 2017; 35(2): 171-80. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S0121-45002017000200171&script=sci_arttext&tlng=pt.

Abric JC. A abordagem estrutural das representações sociais. In: Moreira ASP, Oliveira DC, organizadores. Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia (GO): AB; 2000; (2).

Oliveira DC. Construção e transformação das representações sociais da Aids e implicações para os cuidados de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 21 (Spec.), p. 276-286, 2013. Disponível em: .

Moscovici S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis (RJ): Vozes; 2013.

Oliveira DC, Marques SC, Gomes AMT, Teixeira MCTV. Análise das evocações livres: uma técnica de análise estrutural das representações sociais. In: Moreira ASP, Camargo BV, Jesuíno JC, Nóbrega SM, organizadores. Perspectivas teórico-metodológicas em representações sociais. João Pessoa (PB): Editora Universitária da UFPB; 2005.

da Silva Santos F, Suto CSS, Freitas TOB, Piva SGN, Nascimento RDCD, dos Santos Souza G. Acolhimento à pessoa com o vírus da imunodeficiência humana: representações sociais de profissionais de saúde. Revista Baiana de Enfermagem. 2019.

Abric JC. Abordagem estrutural das representações sociais: desenvolvimentos recentes. In: Campos PHF, Loureiro MCS. organizadores. Representações sociais e práticas educativas. Goiânia: UCG; 2003: 37-57.

Galindo WCM, Francisco AL, Rios LF. Reflexões sobre o trabalho de aconselhamento em HIV/AIDS. Temas em Psicologia (internet). 2015; 23(4): 815-29. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413389X2015000400003&lng=pt&nrm=i&tlng=pt.

Gomes AMT, Oliveira DC. O Núcleo central das representações de enfermeiros acerca da enfermagem: o papel próprio da profissão. Rev. enferm. UERJ (internet). 2010; 18(3): 352-58. Disponível em: http://bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=BDENF〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=19471&indexSearch=ID

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: HIV AIDS 2019. Brasília – DF. 2019. Disponível em: .

Silva CGS. Serviço de assistência especializada (SAE): uma experiência profissional. Psicologia: ciência e profissão (internet). 2007; 27(1): 156-63. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932007000100013.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-056

Refbacks

  • There are currently no refbacks.