A política de redução de danos e a aplicabilidade do cuidado em uma unidade de saúde especializada a pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas / The damage reduction policy and the applicability of care in a specialized health unit to people that make use of alcohol and other drugs

Maria Antonieta Soares Dias, Luciana Oliveira Lopes, Vívian Silva Lima Marangoni

Abstract


 Buscamos entender a aplicabilidade do modelo de redução de danos (RD) em um serviço público de saúde com atendimento às pessoas em uso abusivo/compulsivo de álcool e outras drogas. Para isso foi utilizado o método participante a partir de um estudo de caso. Sob a ótica da RD, três resultados são destacados: 1) melhora da qualidade de vida mesmo em uso de álcool, 2) vinculação com o serviço, 3) importância da intersetorialidade. Fatores sociais de escolarização, emprego e renda podem ser utilizados como indicadores da melhora do paciente e, portanto, da qualidade do serviço da unidade de saúde.


Keywords


redução de danos; uso de álcool; política pública

References


ALVES, V. S. Modelos de atenção à saúde de usuários de álcool e outras drogas: discursos políticos, saberes e práticas. CadSaude Publica, Rio de Janeiro, Nov, 2009.

BOURDIEU, P. O Senso Prático. Rio de Janeiro, Vozes, 2009.

DIAS, A.I; RIBEIRO. J,M; BASTOS, F.I; PAGE. K; Políticas de Redução de Danos no Brasil: contribuições de um programa norte-americano. Ciência & Saúde Coletiva, 19(1):147-157, 2014.

FONSECA, C.J.B. Conhecendo a Redução de Danos Enquanto uma Proposta Ética. Psicologia e Saberes, 2012, pp. 11-36.

LOPES, L. O. Análise da prática da atenção psicossocial em saúde mental no contexto da reforma psiquiátrica. 2011. 105 f.; il. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Amazonas; Manaus 2011.

LOPES, H. P; GONÇALVES, A. M. A política nacional de redução de danos: do paradigma da abstinência às ações de liberdade. Pesquisas e Práticas Psicossociais 13(1), São João del Rei, janeiro-abril de 2018.

MACHADO, L.V., & BOARINI, M.L. (2013). Políticas Sobre Drogas no Brasil: a Estratégia de Redução de Danos. Psicologia: Ciência e Profissão, 33(3), 580-595.

MINAYO, M. C. O Desafio do Conhecimento– Pesquisa Qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 2000.

MONICO, L., ALFERES, V., CASTRO, P., & PARREIRA, P. A Observação Participante enquanto metodologia de investigação qualitativa. Investigação Qualitativa em Ciências Sociais, v.3, 724-733, 2017.

SANTOS, M. P. G. Comunidades Terapêuticas e a Disputa sobre Modelos de Atenção a Usuários de Drogas no Brasil. Comunidades Terapêuticas: temas para reflexão. Rio de Janeiro: IPEA, 2018.

SANTOS, V. E.; SOARES, C. B.; CAMPOS, C. M. S. Redução de danos: análise das concepções que orientam as práticas no Brasil. Physis - Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, pp. 995-1015, 2010

RAMMINGER, T; SILVA, M. Mais substâncias para o trabalho em saúde com usuários de drogas – 1.ed. – Porto Alegre: Rede UNIDA, 2014. 252 p.: il. – (Coleção Micropolítica do Trabalho e o Cuidado em Saúde).

RONZANI, T. M; FURTADO, E. F; Estigma Social Sobre o Uso de Àlcool; J Bras Psiquiatr. 2010;59(4):326-332.

TURATO, E. R. Tratado da Metodologia da Pesquisa Clínica-Qualitativa: construção teórica-epistemológica: discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-053

Refbacks

  • There are currently no refbacks.