Idosos e o uso desordenado de psicofármaco na atenção básica/ Elderly people and the disordered use of psychopharmaceuticals in basic care

Jaqueline Maria Silva dos Santos, Bruna Araújo Galdino Vieira, Ena Jatobá Santana, Marcela Araújo Galdino Caldas, Paula Cristina de Oliveira Vilela Canuto, Raiane Jordan da Silva Araújo, Raquel Ferreira Lopes

Abstract


Uma das parcelas significativas dos medicamentos prescritos no Brasil é da classe dos psicofármacos, essas drogas interferem no sistema nervoso central, essa utilização aumentada é um problema de todo o mundo. Objetivo: Analisar através da literatura científica artigos que discorram sobre o uso de forma desordenada de psicotrópicos em pacientes idosos. Metodologia: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura. foram utilizadas produções científicas com bases nos periódicos: Lilacs, Bdenf e Scielo, entre os anos de 2012 a 2017. Como critérios de inclusão optou-se por artigos apenas no idioma português, e estudos de natureza qualitativa, quantitativa e revisão da literatura. Além dos descritores: Transtorno Depressivo, Antidepressivos e Adesão à Medicação. Resultado: É necessário que haja uma reestruturação dos serviços de saúde afim de poder oferecer aos pacientes idosos uma maior segurança na conduta terapêutica aplicada, afim de minimizar os efeitos colaterais adversos, orientando sobre o uso correto das medicações de acordo com suas necessidades, através de profissionais especializados e prescritores capacitados. Conclusões: Desta forma, o trabalho apresentado refere-se a um estudo bibliográfico, de caráter narrativo, buscando refletir sobre o cuidado da saúde mental dos idosos, afim de poder estabelecer uma ponte entre o sujeito e o seu contexto de vida em que está inserido.


Keywords


Transtorno Depressivo, Antidepressivos, Adesão à Medicação.

References


ABI-ACKEL, Mariza Miranda et al. Uso de psicofármacos entre idosos residentes em comunidade: prevalência e fatores associados. Rev. bras. epidemiol. São Paulo, v. 20, n. 1, p. 57-69, Mar. 2017. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415790X2017000100057&lng=en&nrm=iso. Access on 26 May 2019.

ANTONACCI, Milena Hohmann; PINHO, Leandro Barbosa de. Saúde mental na atenção básica: uma abordagem convergente assistencial. Rev. Gaúcha Enferm. (Online), Porto Alegre, v. 32, n. 1, p. 136-142, mar. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198314472011000100018&lng=pt&nrm=iso. Acessos em 26 maio 2019.

ASSATO e BORJA- OLIVEIRA. Psicofármacos potencialmente inapropriados para idosos. Estud. interdiscipl. Envelhec. Porto Alegre, v. 20, n. 3, p. 687-701, 2015. Acessado em 26 de maio de 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/view/38548/0.

BUENO D. ALMEIDA e ROCHA. Prevalência de prescrição de medicamentos potencialmente inapropriados para idosos em uma unidade de saúde da família de Porto Alegre/RS. Rev. APS. 2016 Jul. /set; 19(3): 370 – 375. Acessado em 26 de maio de 2019. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/15579.

ELIAS, C. S. R. et al. (2012) Quando chega o fim? Uma revisão narrative sobre terminalidade do período escolar para alunos deficientes mentais. SMAD: Revista Electrónica em Salud Mental, Alcohol y Drogas, (8)1, 48-53. Acessado em: 18 de março 2019. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/49594.

IBANEZ, Grazielle et al. Adesão e dificuldades relacionadas ao tratamento medicamentoso em pacientes com depressão. Rev. bras. enferm. Brasília, v. 67, n. 4, p. 556-562, Aug. 2014. Available from http: //www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034- 71672014000400556&lng=en&nrm=iso. Access on 26 May 2019.

NOIA, Aparecida Santos et al. Fatores associados ao uso de psicotrópicos por idosos residentes no Município de São Paulo. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 46, n. se, p. 38-43, Oct. 2012 Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S008062342012000700006&lng=en&nrm=iso. Access on 26 May 2019.

OLIVEIRA, Mirna Poliana Furtado de; NOVAES, Maria Rita Carvalho Garbi. Perfil socioeconômico, epidemiológico e farmacoterapêutico de idosos institucionalizados de Brasília, Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 1069-1078, Apr. 2013 Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232013000400020&lng=en&nrm=iso. Access on 26 May 2019.

ROCHA, Bruno Simas da; WERLANG, Maria Cristina. Psicofármacos na Estratégia Saúde da Família: perfil de utilização, acesso e estratégias para a promoção do uso racional. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 11, p. 3291-3300, Nov. 2013. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232013001100019&lng=en&nrm=iso. Access on 26 May 2019.

SILVA, Jerto Cardoso da; HERZOG, Lísia Mânica. Psicofármacos e psicoterapia com idosos. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 27, n. two, p. 438-448, Aug. 2015. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010271822015000200438&lng=en&nrm=iso. Access on 26 May 2019.

VOSGERAU, D. S. A. R.; ROMANOWSKI, J. P. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Revista de Diálogo Educacional, (14)41, 165-189. (2014). Acessado em: 18 de março de 2019. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/2317.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-049

Refbacks

  • There are currently no refbacks.