Apresentação clínica da leishmaniose visceral em pacientes portadores do HIV: Análise dos Fatores Relacionados ao Aparecimento da Doença/ Clinical presentation of visceral leishmaniasis in patients with HIV: Analysis of disease-related factors

Edilberto Costa Souza, Kassandra Lins Braga, Talina Karla da Silva, Marcelane de Lira Silva

Abstract


A leishmaniose visceral (LV), também conhecida por calazar, é uma antropozoonose causada por protozoários do gênero Leishmania. É transmitida aos seres humanos através da picada das fêmeas infectadas do mosquito flebotomíneo Lutzomyia longipalpis. Caracteriza-se por apresentar febre, pancitopenia, hipergamaglobulinemia, hepatoesplenomegalia, linfadenopatia e grave comprometimento do estado geral, podendo levar o paciente a óbito se não for instituído tratamento oportuno. Outrora encontrada nas áreas de florestas e vales, tem hoje em dia uma elevada importância em detrimento de ter encontrado como nicho as áreas de alocações recentes das grandes cidades, onde passa a co-infectar o homem junto a outras doenças como a AIDS. O significativo aumento do número de pessoas que apresentam ao mesmo tempo infecção pelo vírus HIV e pela L. chagassi tem caracterizado essa associação como um significativo problema de saúde a nível mundial, necessitando que possamos cada vez mais instituir medidas e estudos que determinem desde o início, um melhor prognóstico aos pacientes que as possuem. O presente artigo, visa descrever as principais manifestações clínicas citadas na literatura, que acometem os indivíduos co-infectados, para isso, foi realizada uma revisão integrativa da literatura, nas bases de dados: Biblioteca Nacional em Saúde (BVS), Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências Sociais e da Saúde (LILACS) e National Library of Medicine (PUB-MED). Como descritores utilizou-se a associação Leishmanisis, Visceral AND HIV. Foram utilizados como fonte para resultados e discussão, artigos nacionais e internacionais, disponíveis e publicados no período de 2013 a 2017 nos idiomas português, espanhol e inglês, os quais encontraram uma média 4,9% de co-infectados dentre os pacientes analisados, sendo 83,5% desta população pertencente ao sexo masculino e entre as manifestações clínicas, mais pertinentes encontradas na população adscrita, destacamos a presença de febre, perda de peso, anemia e a esplenomegalia, as quais estiveram presentes em 12,5% da população estudada. Tais resultados norteiam os profissionais a fim de que os sintomas supracitados sejam investigadso à luz da infectologia, principalmemte em um País onde não sabemos a real prevalência de tal associação.


Keywords


Leishmaniose Visceral, HIV, Co-infeção, Tratamento

References


ALEMAYEHU, M.; WUBSHET, M.; MESFIN, N.; GEBAYEHU, A. Prevalence of Human Immunodeficiency Virus and associated factors among Visceral Leishmaniasis infected patients in Northwest Ethiopia: a facility based crosssectional Study. BMC Infectious Diseases. v.1,7 n.1, fev, 2017. Doi: 10.1186/s12879-017-2261-8

ALEMAYEHU, M.; WUBSHET, M.; MESFIN, N.; TAMIRU, A.; GEBAYEHU A. Health-related quality of life of HIV infected adults with and without Visceral Leishmaniasis in Northwest Ethiopia. Health and Quality of Life Outcomes. v. 15, n. 1, ago. 2017. doi:10.1186/s12955-017-0636-6.

ALVAR, J.; VE´LEZ, I. D.; BERN, C.; HERRERO, M.; DESJEUX, P. et al. Leishmaniasis Worldwide and Global Estimates of Its Incidence. PLoS ONE. v. 7, n. 5, set. 2012: e35671. doi:10.1371/journal.pone.0035671 https://doi.org/10.1371/journal.pone.0035671

ALVARENGA, D. G. de et al. Leishmaniose visceral: estudo retrospectivo de fatores associados à letalidade. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. Uberaba , v. 43, n. 2, p. 194-197, Apr. 2010.

BATISTA, A. B. et al. Perfil da dispensação de medicamentos anti-leishmania em um hospital de referência em Teresina-Pi. R. Interd., Teresina, v. 8, n. 2, p. 43-52, abr. mai. jun. 2015

BARBOSA, I. R; Costa, I. do C. C. Aspectos clínicos e epidemiológicos da leishmaniose visceral em menores de 15 anos no estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Scientia Medica. Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 5-11, Mar. 2013

BOTELHO, Louise Lira Roedel; De Almeida Cunha, Cristiano Castro; Macedo, Marcelo. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e sociedade, v.5, n. 11, p. 121-136,2011.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais. Manual técnico para o diagnóstico da infecção pelo HIV / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 85 p.

COURA-VITAL, W.; ARAUJO V.; REIS, I. A.; AMANCIO, F.F.; REIS, A.B. et. al. Prognostic Factors and Scoring System for Death from Visceral Leishmaniasis: An Historical Cohort Study in Brazil. PLoS Neglected Tropical Diseases. v. 8, n. 12, dez. 2014. doi:10.1371/journal.pntd.0003374

COUTINHO, J. V. S. C. et al. Visceral leishmaniasis and leishmaniasis-HIV coinfection: comparative study. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba , v. 50, n. 5, p. 670-674, Sept. 2017

COUTINHO, S. G.; PIRMEZ, C.; Da-CRUZ A.M. Parasitological and immunological follow-up of American tegumentary leishmaniasis patients. Trans R Soc Trop Med Hyg. v. 96, Suppl 1. p. 173–8. 2002

DAL SASSO MENDES, Karina; CAMPOS PEREIRA SILVEIRA, Renata Cristina de; GALVÃO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto enfermagem, v. 17, n. 4, 2008.

DE LIMA, E. C. B.; BARBOSA, W. L.; DE BRITO, M. E. F. et. al. Characterization of Leishmania (L.) infantum chagasi in visceral leishmaniasis associated with hiv co-infection in Northeastern Brazil. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo v. 59, n. 48. ago. 2017. doi:10.1590/S1678-9946201759048

DRUZIAN, A. F. et al. Risk Factors for Death from Visceral Leishmaniasis in an Urban Area of Brazil. PLOS Neglected Tropical Diseases. v. 9, n. 8. ago. 2015. doi:10.1371/journal.pntd.0003982

DUARTE, J. L. da S. Aspectos epidemiológicos da Leishmanose visceral no Município de Rondonópolis, Mato Grosso, 2003 - 2008. 2010. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – Curso de Pós-Graduação em Saúde Coletiva.

GONTIJO, C. M. F; Melo, M. N. Leishmaniose visceral no Brasil: quadro atual, desafios e perspectivas. Rev Bras Epidemiol. São Paulo, v. 7, n. 3, p. 338-349, Set. 2004.

GURUNATH, U. Joshi, R. Agrawal, A. Shah, V. An overview of visceral leishmaniasis elimination program in India: a picture imperfect. Expert Rev Anti Infect Ther., v. 12, p. 929–935, ago. 2014

GOMES, L. de S. et al- Visceral leishmaniasis and HIV/AIDS in Brazil: Are we aware enough? PLoS Negl Trop Dis, 2017.

GOSWAMI, R. P. et al. Protective Efficacy of Secondary Prophylaxis Against Visceral Leishmaniasis in Human Immunodeficiency Virus Coinfected Patients Over the Past 10 Years in Eastern India. The American Journal Of Tropical Medicine And Hygiene, [s.l.], v. 96, n. 2, p.285-291, 22 nov. 2016. American Society of Tropical Medicine and Hygiene. http://dx.doi.org/10.4269/ajtmh.16-0432.

LINDOSO, J. A. L. et al. Leishmaniasis–HIV coinfection: current challenges. Hiv/aids - Research And Palliative Care, [s.l.], v. 8, p.147-156, out. 2016. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.2147/hiv.s93789.

MAIA-ELKHOURY ANS, et al. Visceral leishmaniasis in Brazil: trends and challenges. Cad Saúde Pública. v. 24, p. 2941-7. Dez. 2008

ORGANIZACIÓN PANAMERICANA DE LA SALUD. Informe Final de la Reunión de Expertos OPS/OMS sobre Leishmaniasis Visceral en las Américas. Río de Janeiro: PANAFTOSA, 2006. 152p.)

PONTE-SUCRE, A.; Gamarro, F.; Dujardin, J-C.; Barrett, M.P.; Loâpez-Veâlez, R.; Garcõâa-Hernaândez, R. et al. Drug resistance and treatment failure in leishmaniasis: A 21st century challenge. PLoS Negl Trop Dis. San Francisco, v. 11 Dec. 2017

RIGO, R.S. Rigo, L. Honer, M.R. Aspectos Clínicos e Laboratoriais na Leishmaniose Visceral Americana. J Bras Nefrol. Campo Grande, v. 31, p. 48-54, Jan. 2009

UNAIDS. Global report: UNAIDS report on the global AIDS epidemic. Geneva: World Health Organização. 2012.) EEEE (Cruz, I.; Nieto, J.; Moreno, J.; Canavate, C. et al. Leishmania/ HIV co-infections in the second decade. Indian J Med Res., Rockville Pike, v. 123, p. 357-88, Mar. 2006.

VIANA, Graça Maria de Castro et al . Epidemiological profile of patients co-infected with visceral leishmaniasis and HIV/AIDS in Northeast, Brazil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba, v.50, n.5, p. 613-620, Sept. 2017 . Available from

=iso>. access on 27 Feb. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/0037-8682-0494-2017.

WELAY, G. M.; ALENE, K. A.; DACHEW, B. A. Visceral leishmaniasis treatment outcome and its determinants in northwest Ethiopia Epidemiol Health. v. 39. Dez. 2016. doi.org/10.41678/epih.e2017001.

WERNECK, G. L. et. al. Visceral leishmaniasis and HIV/AIDS in Brazil: Are we aware enough? PLoS Neglected Tropical Diseases. v. 9, n. 11. set. 2017. doi:10.1371/journal.pntd.0005772

ZACARIAS, D. A. et al. Causes and consequences of higherLeishmania infantumburden in patients with kala-azar: a study of 625 patients. Tropical Medicine & International Health, [s.l.], v. 22, n. 6, p.679-687, 2 maio 2017. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/tmi.12877.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-037

Refbacks

  • There are currently no refbacks.