Longevidade: a importância da autonomia / Longevity: the importance of autonomy

Ylanna Suimey da Silva Bezerra Gomes Gadelha, Caline Cariry Cabral de Melo Peixoto, Débora Vieira de Melo Agra Duarte, Jessica Aline Gomes de Sá Pires Pereira, Juliana Jamaica Sousa da Silva, Luciana Pereira Moulin, Ludmylla Otavia Lira Silveira, Elias Balbino da Silva

Abstract


Introdução: O envelhecimento saudável é composto por uma interação multidimensional entre saúde, autonomia, integração social e suporte familiar. Mudanças que diminuem a autonomia podem estar relacionadas ao surgimento de patologias. Objetivo: analisar como mudanças na autonomia interferem na saúde do idoso. Metodologia: Estudo de caso realizado com a Sra. A. M. de 94 anos, usuária cadastrada da UBS do bairro Surubi, Itaperuna/RJ. Foram utilizados como meio de coleta: prontuário médico, ficha de campo estabelecida pela instituição, a Escala Geriátrica de Katz e a Escala de Depressão Geriátrica de Yesavage. Os dados coletados foram submetidos à análise descritiva, a fim de investigar e correlacionar com o caso.  Resultados e Discussão: A fim de avaliar, se a mudança de vida poderia trazer risco de adquirir depressão, salvo-conduto que a idosa em estudo teve que por motivo superior ser transferida da casa. Foram utilizados os instrumentos supracitados para coleta e análise. Após a aplicabilidade das escalas, na primeira, concluímos: independência e boa parte das cognições conservadas, na segunda, foi caracterizado quadro de depressão. Verificamos, assim, que a paciente, vive uma fase de ruptura, realidade que pode vir a interferir em sua longevidade com qualidade. Conclusão: Portanto, quando se trata de comportamento humano, afirmamos que não há um padrão fixo a ser seguido, contudo, é de grande importância o acompanhamento dessa família com orientações para que não venha a estabelecer um quadro de tristeza profunda, além disso, garantir sua qualidade de vida, preservando fatores que influenciam para a longevidade com o máximo de saúde. 


Keywords


Idoso, Autonomia, Longevidade, Qualidade de vida.

References


ANDERSON, M. I. P. et al. Saúde e qualidade de vida na terceira idade. Textos Envelhecimento. Rio de Janeiro, v.1, n.1, nov, 1998. Disponível em: . Acesso em: 13 de out. 2017.

CIELO, P. F. L. D; VAZ, E. R. de C. A legislação brasileira e o idoso. Rev. CEPPG, v. 2, n. 21, p. 33-46, 2009. Disponível, Online, em: . Acesso em: 13 out. 2017.

FERRARI, J; DALACORTE, R. R. Uso da escala de depressão geriátrica de Yesavage para avaliar prevalência de depressão em idosos hospitalizados. Rev. Scientia Medica. Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 3-8, jan./mar. 2007. Disponível em:. Acesso em 01 out. 2017.

MOREIRA, J.O. Mudanças na percepção sobre o processo de envelhecimento: reflexões preliminares.Psicol. teor. pesqui. 2012;28(4):451-6. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.

PINHEIRO, A. de M. O respeito à vontade do idoso e a potencialização da autonomia. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2017.

PESTANA, L. C; ESPÍRITO SANTO, F. H. do. As engrenagens da saúde na terceira idade: um estudo com idosos asilados. Rev esc enferm USP, v. 42, n. 2, p. 268-75, 2008. Disponível, online, em:. Acesso: 13 out. 2017.

RAMOS, L. R. Fatores determinantes do envelhecimento saudável em idosos residentes em centro urbano: Projeto Epidoso. Caderno de Saúde Pública. São Paulo, v. 19, n. 3, p. 793-798, 2003. Disponível em: . Acesso em: 01 de out, 2017.

SAQUETTO, M. et al. Aspectos bioéticos da autonomia do idoso. Rev. Bioét. 2013, vol.21, n.3, pp.518-524. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.

SOUSA, L; GALANTE, H; FIGUEIREIDO, D. Qualidade de vida e bem-estar dos idosos: um estudo exploratório na população portuguesa. Revista de Saúde Pública. São Paulo, v. 37, n. 3, p. 364-371, 2003. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2017.

TEIXEIRA, M. B. Empoderamento de idosos em grupos direcionados à promoção da saúde. Rio de Janeiro. 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2017.

VECCHIA, R. D. et al. Qualidade de vida na terceira idade: um conceito subjetivo. Revista Brasileira de Epidemiologia. São Paulo, v. 8, n. 3, p. 246-252, jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2017.

VISENTIN, A.; LABRONICI, L.; LENARDT, M.H. Autonomia do paciente idoso com câncer: o direito de saber o diagnóstico. Acta paul enferm. 2007;20(4):509-13. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-031

Refbacks

  • There are currently no refbacks.