Adequação da ingestão de macronutrientes e micronutrientes e sua relação com o estado nutricional em um grupo de idosos frequentadores do centro de atenção à saúde do idoso e cuidador da UFF/RJ / Adequacy of macronutrient and micronutrient ingestion and its relationship with the nutritional state in a group of elderly health care centers of UFF/RJ

Taianah Almeida Barroso, Grazielle Vilas Boas Huguenin, Maylin da Silva Lopes, Ludmila Ferreira Vieira do Amaral, Selma Chaves Petra Sá, Sérgio Girão Barroso, Gabrielle de Souza Rocha, Renata Frauches Medeiros

Abstract


A população idosa é um dos grupos etários de maior risco à desnutrição e deficiências nutricionais devido ao declínio das funções cognitivas e fisiológicas que prejudicam a ingestão alimentar e o metabolismo dos nutrientes. Dessa forma é necessário o monitoramento e a caracterização das práticas alimentares e de seus determinantes nessa população, com vistas à prevenção dos distúrbios nutricionais e doenças a eles relacionadas. Os objetivos foram avaliar se a ingestão de macronutrientes (carboidrato, proteínas e lipídios) e micronutrientes (cálcio e vitamina D) pelos idosos estavam de acordo com as recomendações, e verificar a relação das variáveis antropométricas com os nutrientes. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética. Trata-se de um estudo transversal com 34 pacientes, com idade acima de 60 anos, de ambos os sexos. Foram realizadas medidas antropométricas (peso, estatura, índice de massa corporal (IMC); circunferência abdominal, cintura, pescoço e quadril). O recordatório alimentar de 24 horas foi utilizado para calcular a ingestão dos nutrientes e a prevalências de inadequação dos micronutriente foi estimada utilizando como ponto de corte os valores da Estimated Average Requirement (EAR). Participaram do estudo 34 voluntários sendo 30 mulheres (88,2%) e 4 homens (11,7%). A média de idade foi de 72,37±13,27 anos, do IMC foi 28,47±4,45 kg/m², o que caracteriza sobrepeso na amostra. Em relação aos macronutrientes eles se encontraram adequados em relação as recomendações, sendo proteínas (20,7%), carboidratos (52,7%), e lipídios (26,6%). A ingestão de cálcio entre as mulheres apresentou um percentual de adequação de 41,66% semelhante a dos homens que foi 41,84%. Em relação a vitamina D encontramos 12,66% de adequação para ambos. A ingestão de vitamina D apresentou uma correlação inversa e significativa com o perímetro abdominal (r= -0,3718), IMC (r= -0,4919) e perímetro do pescoço (r= -0,4038), e o cálcio com o perímetro do pescoço (r=-0,4129). Verificou-se que apesar dos macronutrientes se adequados, a ingestão dos micronutrientes estudados se encontravam abaixo da recomendação, e esse valores estão relacionados com os preditores de gordura corporal da população.


Keywords


Idosos, Ingestão alimentar, Estado nutricional

References


Alberti, KGMM, Eckel, RH, Grundy, SM, Zimmet, PZ, Cleeman, JI, Donato, KA, Smith, SC (2009). Harmonização da síndrome metabólica: uma declaração provisória conjunta da Força-Tarefa da Federação Internacional da Diabetes sobre Epidemiologia e Prevenção; Instituto Nacional do Coração, Pulmão e Sangue; Associação Americana do Coração; Federação Mundial do Coração; Sociedade Internacional de Aterosclerose; e Associação Internacional para o Estudo da Obesidade. Circulation, 120 (16), 1640-1645. doi: 10.1161 / circulaha.109.192644

Barbosa AM, Nunes IFOC, Carvalho LR, Figuerêdo RG, Nogueira AMT, Carvalho CMRG. Ingestão alimentar de cálcio e vitamina D e associação com o nível de escolaridade na pessoa idosa. Demetra 2013; 8(2):173-181.

Campos MAG, et al. Estado nutricional e fatores associados em idosos. RevAssocMed Bras. 2006;52:214-21.

Cembranel Francieli, Hallal Ana Luiza Curi, González-Chica David Alejandro, d’Orsi Eleonora. Relação entre consumo alimentar de vitaminas e minerais, índice de massa corporal e circunferência da cintura: um estudo de base populacional com adultos no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2017 [cited 2019 Dec 10] ; 33( 12 ): e00136616. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102311X2017001205012&lng=en. Epub Dec 18, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00136616.

Coelho CNV, Schneider BC, Cascaes AM, Silva AER, Orlandi SP. Consumo alimentar de idosos atendidos em um programa de reabilitação em saúde bucal de unidades de saúde da família na cidade de Pelotas-RS. RASBRAN: RevAssocBras Nutr. 2017; 8 (2): 43-9.

Didier FBCW, Brum LFS, Aerts DRGC. Hábitos de exposição ao sol e uso de fotoproteção entre estudantes universitários de Teresina, Piauí. EpidemiolServSaúde. 2014;23(3):487-96. https:// doi.org/10.5123/S1679-49742014000300011

Ferreira Luana Karoline, Meireles Juliana Fernandes Filgueiras, Ferreira Maria Elisa Caputo. Avaliação do estilo de vida e qualidade de vida em idosos: uma revisão da literatura. Rev. bras. geriatr. gerontol. [Internet]. 2018 Oct [citado 2019 set 28]; 21 (5): 616-627.

Ferreira-Nunes Patrícia Moraes, Papini Silvia Justina, Corrente José Eduardo. Padrões alimentares e ingestão de nutrientes em idosos: análise com diferentes abordagens metodológicas. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2018 Dec [cited 2019 Nov 29] ; 23( 12 ): 4085-4094. Availablefrom: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018001204085&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1413812320182312.28552016.

Galesi LF, et al. Perfil alimentar e nutricional de idosos residentes em moradias individuais numa Instituição de Longa permanência no Leste do Estado de São Paulo. Alim Nutr. 2008;19:283-90.

Godoy AR, Adami FS. Estado nutricional e qualidade de vida em adultos com depressão. Rev Bras Promoç Saúde. 2019;32:7354

Goldner WS, Stoner JA, Thompson J, Taylor K, Larson L, Erickson J, et al. Prevalenceofvitamina D insufficiencyanddeficiency in morbidlyobesepatients: A comparison with non-obesecontrols. ObesSurg. 2008;18(2):145-50. https://doi.org/10. 1007/s11695-007-9315-8

González AM, Campos-Nonato IR, Hernández-Barrera L, Flores-Aldana ME. Asociación entre la ingesta de calcio dietético y el índice de masa corporal elevado en adultos mexicanos de 20 a 59 años de edad: estudio de corte transversal. Medwave 2013; 13:5635.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [homepage na internet]. Estatísticas sociais. [acesso em 18 out 2017]. Disponível em: http:www.ibge.gov.br

Ivanilda Souza Nogueira Fernandes e Thais Regina Mezzomo. Estado nutricional de participantes de um Centro de Atividades para Idosos em Colombo, PR. RASBRAN - Revista da Associação Brasileira de Nutrição. São Paulo, SP, Ano 8, n. 1, p. 46-51, Jan-Jun. 2017 - ISSN 2357-7894 (online)

Leão SL, Cardoso FdeS. "Efeitos do consumo de cálcio na composição corporal e perda de peso em adultos." Rev. Bras. Ciên. Saúde/Revista de Atenção à Saúde. 2014;12(40):69-73.

Menezes TN, Marucci MFN. Antropometria de idosos residentes em instituições geriátricas, Fortaleza, CE. Rev Saúde Publica. 2005;39(2): 169-75

Menezes TN, Nunes MFM, Holanda IMM. Ingestão de cálcio e ferro alimentar por idosos residentes em instituições geriátricas de fortaleza. RevSaude.Com 2005; 1(2):100-109.

Milagres LC, Martinho KO, Milagres, DC et al. Relação cintura/estatura e índice de conicidade estão associados a fatores de risco cardiometabólico em idosos. Ciência & Saúde Coletiva, 24(4):1451-1461, 2019

Padovani Renata Maria, Amaya-Farfán Jaime, Colugnati Fernando AntonioBasile, DomeneSemiramis Martins Álvares. Consumo dietético de referência: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Rev. Nutr. [Internet]. 2006 Dec [cited 2019 Nov 30]; 19 (6): 741-760. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141552732006000600010&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732006000600010.

Previdelli AN, Goulart RMM, Aquino R de C. de. Balance ofmacronutrient intake amongBrazilianelderly: analysisoftheNationalDietarySurvey 2008‐2009. RevBrasEpidemiol 2017; 20: 70– 80.

Reis G M S; Bruna Fonseca Andrade, B F; Santos K L et al. Circunferência do pescoço como indicador de excesso de peso em idosas. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo. v.12. n.75. Suplementar 1. p.942-947. Jan./Dez. 2018. ISSN 1981-9919

Saad, M.A.N.; Rosa, M.L.G.; Lima, G.B.; Filho, R.A.C. Can neck circumference predict insulin resistance in older people? A cross-sectional study at primary care in Brazil. Cad. Saúde Pública 2017; 33(8):e00060916.

Santos DM, Sichieri R. Índice de massa corporal e indicadores antropométricos de adiposidade em idosos. Rev. Saúde Pública. 2005;39(2): 163-8

Santos TF, Delani TCO. Impacto da deficiência nutricional na saúde de idosos. RevUningá Rev. 2015;21(1):50-4.

Santos R.D., Gagliardi A.C.M., Xavier H.T., Magnoni C.D., Cassani R ., Lottenberg A.M.P. et al . I Diretriz sobre o consumo de gorduras e saúde cardiovascular. Arq. Bras. Cardiol. [Internet]. 2013 Jan [cited 2019 Dec 11] ; 100( 1 Suppl 3 ): 1-40. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066782X2013000900001&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2013000900001.

Saraiva, G.L et al. Prevalência da deficiência, insuficiência de vitamina D e hiperparatireoidismo secundário em idosos institucionalizados e moradores na comunidade da cidade de São Paulo, Brasil. Arq. Brás, endocrinol. metab, v. 51, n. 3, p. 437-42, 2007.

Silveira Erika Aparecida, Vieira Liana Lima, Souza Jacqueline Danesio de. Elevada prevalência de obesidade abdominal em idosos e associação com diabetes, hipertensão e doenças respiratórias. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2018 Mar [cited 2019 Nov 30]; 23(3):903-912.Availablefrom: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S14138123201800030003&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018233.01612016.

Sociedade Brasileira de Cardiologia, Sociedade Brasileira de Hipertensão, Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010; 95(1 supl.1): 1- 51.

SOUZA, Raphaela et al. Avaliação antropométrica em idosos: estimativas de peso e altura e concordância entre classificações de IMC. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2013, vol.16, n.1 [cited 2019-12-08], pp.81-90. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S180998232013000100009&lng=en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/S180998232013000100009.

Troesch B, Biesalski HK, Bos R, Buskens E, Calder PC, Saris WHM, et al. Increased intake of foods with high nutrient density can help to break the intergenerational cycle of malnutri - tion and obesity. Nutrients 2015; 7:6016-37.

Vieira D B, Marinho M S, Reis L A et al. Fatores associados à circunferência abdominal em idosos participantes de grupos de convivência. Saúde (Santa Maria), Vol. 44, n. 2, p. 1-8, maio/agosto, 2018.

World Health Organization. Obesity: Preventing and managing the global epidemic. Geneva; 1997.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-020

Refbacks

  • There are currently no refbacks.