Estudo epidemiológico de pacientes infectados por sarampo no Brasil / Epidemiological study of patients infected by spam in Brazil

Carla Cecília da Costa Almeida, Gabriela Borges Carvalho, Josiel de Sousa Ferreira, Larena Virna Guimarães Souza, Manuela de Souza Moura Fé, Alana Pires da Silveira Fontenele, Laís krystina Rocha de Oliveira, Augusto César Evelin Rodrigues

Abstract


O sarampo é uma doença viral infecciosa aguda, de notificação compulsória, afetando igualmente ambos os gêneros. É caracterizado por febre alta, coriza, manchas de Koplik e conjuntivite. Atinge todos os grupos etários, mas apresenta risco em especial para crianças menores de cinco anos, sendo uma das principais causas de morbimortalidade nessa faixa etária. Na década de 1960 foi introduzida no Brasil a vacina e, na década de 1990, foi implantado o Plano Nacional de Eliminação do Sarampo. Com isso, confirmou-se o último caso autóctone em 2000. Desde então, foram confirmados apenas casos com vírus importado. Esse estudo objetiva descrever e analisar o perfil epidemiológico de pacientes com sarampo no Brasil. É uma pesquisa de natureza descritiva, retrospectiva, com análise quantitativa de dados secundários, do período de janeiro de 2007 a dezembro de 2014, no território brasileiro. O levantamento dos dados foi realizado no Sistema de Informação de Agravos (SINAN), buscando-se as seguintes variáveis: critério de confirmação, faixa etária, sexo, raça e evolução. Observou-se que, das 606 notificações no período, 44,22% ocorreram no sexo feminino e 55,78% no sexo masculino, sendo que aproximadamente 44,72% ocorreram em 2014. Ademais, 38,61% eram menores de um ano e 20,46% estavam na faixa etária de 1 a 4 anos. Constatou-se que 41,1% eram pardos e 36,3% se declararam brancos. Com relação ao meio de diagnóstico utilizado para confirmação dessa virose, 89,93% foram detectados pela via laboratorial, enquanto que 4,62% foram identificados pelo critério clínico. Quanto à evolução dos enfermos, 94,1% atingiram a cura e 0,17% tiveram óbito por outro agravo. Observou-se maior prevalência no sexo masculino, e a faixa-etária mais afetada foi a constituída por crianças menores de um ano de idade, podendo ser explicada por uma cobertura vacinal incompleta. Notou-se, ainda, o predomínio de pardos entre os indivíduos portadores da doença. Ademais, o método mais utilizado para o seu diagnóstico foi através da via laboratorial. Quanto à evolução, verificou-se baixa letalidade. Apesar disso, o aparecimento de casos de sarampo precisa ser acompanhado por ações de vigilância epidemiológica, a fim de que seja possível localizar territorialmente grupos suscetíveis capazes de permitir uma circulação viral descontrolada.


Keywords


Sarampo, Vigilância epidemiológica, Análise Quantitativa

References


ALMEIDA, Danielle da Silva et al. Estabelecimento de material de referência para a determinação da potência da vacina sarampo, caxumba e rubéola (atenuada) pelo fabricante nacional (Bio-Manguinhos). 2014. Disponível em < http://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/9904/2/Disserta%C3%A7%C3%A3o_Danielle_Almeida.pdf> Acesso em sete de maio de 2016

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico. V. 44, n. 16, 2013.

Disponível em: < http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/junho/03/Boletim-Sarampo-02-12-13.pdf > Acesso em sete de maio de 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Situação Epidemiológica / Dados. Disponível em: Acesso em 07 mai. 2016

DE MENEZES, Thiago Vinicius Neves; PEREIRA, Sirlene de F.; BARBOSA, Nelson Bezerra. Caracterização de focos de Sarampo através de geoprocessamento em João Dourado/BA/CHARACTERIZATION OF OUTBREAKS OF MEASLES AT JOÃO DOURADO-BA, BY GEOPROCESSING. Hygeia, v. 5, n. 8, 2009. Disponível em < http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/16923> Acesso em sete de maio de 2016

MELLO, Jurema Nunes et al. Panorama atual do sarampo no mundo: Risco de surtos nos grandes eventos no Brasil. J. bras. med, v. 102, n. 1, 2014. Disponível em < http://files.bvs.br/upload/S/0047-2077/2014/v102n1/a4023.pdf> Acesso em dez de maio de 2016

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. Guia de vigilância epidemiológica: caderno 2 sarampo. 7ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. BRASIL.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Guia de vigilância epidemiológica. 6. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2005a. p.656-657. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

Ministerio da Saude. Disponível em Acesso em dez de maio de 2016

RIBEIRO, Camila; MENEZES, Cecilia; LAMAS, Cristiane. Sarampo: achados epidemiológicos recentes e implicações para a prática clínica. Almanaque Multidisciplinar de Pesquisa, v. 1, n. 2, 2016. Disponível em < http://publicacoes.unigranrio.br/index.php/amp/article/view/3343%20LAMAS,> Acesso em quatro de maio de 2016




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-015

Refbacks

  • There are currently no refbacks.