Aplicação de metodologias ativas de ensino no estudo da anatomia humana frente ao modelo tradicional / Application of active methodologies of education in the study of human anatomy in the traditional model

Ernann Tenório de Albuquerque Filho, Labibe Manoela Melo Cavalcante, Klaus Manoel Melo Cavalcante, Marcelo Augusto Vieira Jatobá, Eduarda Cavalcante Santana

Abstract


Tradicionalmente, a utilização de cadáveres para estudo da anatomia humana adivinha de corpos não reclamados pelos familiares, segundo o ordenamento jurídico lei 8.501/92. Entretanto, sabe-se que a dificuldade para uso cadavérico nas instituições de ensino está em níveis preocupantes, em face da falta de doadores, bem como de campanhas. Contudo, as tendências atuais na área de educação médica tornam o aluno o protagonista do próprio processo de formação através das metodologias ativas de ensino-aprendizagem, segundo a CNE/CES 116/2014. Diante dessa perspectiva, em associação com peças sintéticas, o estudo da anatomia humana vem-se demonstrando possível. Por tais razões, realizou-se este estudo descritivo, a partir da vivência de docentes e monitores de Anatomia Humana do Centro Universitário Tiradentes (UNIT/AL) que objetiva provar que as diferentes possibilidades de construção dos processos de apreensão e conhecimento da anatomia humana em peças sintética associados a metodologias ativas de ensino e aprendizagem podem sinalizar caminhos promissores para a elaboração de práticas educativas efetivas. Foram utilizadas as bases de dados informatizadas do Portal da Capes, PubMed, SciELO, BIREME, LILACS e MEDLINE, MEDCARIB, como revisão de literatura. Analisou-se que, apenas em termos de sistema circulatório existem limitações na visualização de estruturas, pela dificuldade de representação de seu trajeto. Todavia, o estudo dos demais sistemas mostrou-se eficiente em função do detalhamento da anatomia. Observa-se a necessidade de obtenção de peças anatômicas humanas. Porém, destaca-se que o estudo em peças anatômicas sintéticas associada a metodologias construtivistas de ensino suprem a problemática supracitada.


Keywords


Peças anatômicas sintéticas. Metodologias de ensino. Cadáveres.

References


BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011.

BRASIL. Lei n. 8.501, de 30 de novembro de 1992. Dispõe sobre a utilização

de cadáver não reclamado, para fins de estudos ou pesquisas científicas e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Distrito

Federal, 15 dez., 1992.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer CNE/CES nº 116/2014, de 20 de junho de 2014: diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em medicina. Brasília: Ministério da Educação; 2014.

LATORRE, R. M. et al. How useful is plastination in learning anatomy? Journal of Veterinary Medical Education, v. 34, n. 2, p. 172-176, 2007.

MCLACHLAN, J. C.; PATTEN, D. Anatomy teaching: ghosts of the past, present and future. Medical education, v. 40, n. 3, p. 243-253, 2006.

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & saúde coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008.

PATEL, K. M.; MOXHAM, B. J. Attitudes of professional anatomists to curricular change. Clinical anatomy, v. 19, n. 2, p. 132-141, 2006.

PAWLINA, W.; LACHMAN, N. Dissection in learning and teaching gross anatomy: rebuttal to McLachlan. The Anatomical Record Part B: The New Anatomist: An Official Publication of the American Association of Anatomists, v. 281, n. 1, p. 9-11, 2004.

PORTUGAL, H. S. P. et al. Modelo pélvico sintético como uma ferramenta didática efetiva comparada à pelve cadavérica. Revista Brasileira de Educação Médica, 2011.

RAFTERY, A. T. Anatomy teaching in the UK. Surgery (Oxford), v. 25, n. 1, p. 1-2, 2007.

REIDENBERG, J. S.; LAITMAN, J. T. The new face of gross anatomy. The Anatomical Record: An Official Publication of the American Association of Anatomists, v. 269, n. 2, p. 81-88, 2002.

SAYYAH, M. et al. Use of a problem-based learning teaching model for undergraduate medical and nursing education: a systematic review and meta-analysis. Advances in medical education and practice, v. 8, p. 691, 2017.

TALAMONI, A. C. B. Anatomia, ensino e entretenimento. In: Os nervos e os ossos do ofício: uma análise etnológica da aula de Anatomia [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2014, pp. 23-37. ISBN 978-85-68334-43-0. Available from SciELO Books

VON HAGENS, G.; TIEDEMANN, K.; KRIZ, W. The current potential of plastination. Anatomy and embryology, v. 175, n. 4, p. 411-421, 1987.

WINKELMANN, A. Anatomical dissection as a teaching method in medical school: a review of the evidence. Medical education, v. 41, n. 1, p. 15-22, 2007.

YAN, J. et al. Team-based learning: assessing the impact on anatomy teaching in People’s Republic of China. Advances in medical education and practice, v. 9, p. 589, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n2-010

Refbacks

  • There are currently no refbacks.