Gestante com diagnóstico de câncer de mama: prevenção, diagnóstico e assistência / Pregnant with diagnosis of breast cancer: prevention, diagnosis and assistance

Natália Prado, Poliana Loiola, Thalita Guimarães, Elisabete Calabuig Chapina Ohara, Lea Dolores Reganhan Oliveira

Abstract


INTRODUÇÃO: O câncer representa 21% de todos os óbitos no mundo, esse impacto afeta principalmente os países de baixo e médio desenvolvimento, especialmente por mortes prematuras. Na gravidez o câncer de colo uterino apresenta-se como a primeira causa de neoplasia associada à gravidez e o câncer de mama a segunda. O câncer de mama associado à gravidez é todo câncer diagnosticado durante a gravidez, ou até um ano após o parto. O Sistema de Informação sobre a ocorrência de câncer e seu desfecho são essenciais para elaboração de políticas e programas para prevenção, tratamento e o controle do câncer. OBJETIVO: Descrever as evidências disponíveis na literatura sobre a prevenção, diagnóstica e prognóstica de câncer de mama associado à gravidez. MÉTODO: Tratou-se de uma revisão bibliográfica na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS/BIREME) com as bases de dados: Literatura Latino-Americana e Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Scientific Eletronic Library Online (SCIELO e Portal Ministério da Saúde), utilizando os descritores Câncer de Mama, Gestação, Enfermagem. Utilizou-se como critério de inclusão artigos nacionais, disponíveis na integra, em português, dos últimos 10 anos, referentes ao tema e aos objetivos propostos, disponíveis gratuitamente e completos, sendo excluídos artigos duplicados. Foram encontrados com os descritores gestação e câncer de mama 182 artigos, com os de câncer de mama e enfermagem, 379 artigos. Considerando os critérios de inclusão, selecionou-se 75 trabalhos; após a leitura dos títulos e resumos, excluíram-se 56 e 3 encontravam-se duplicados. Para análise tivemos como resultado um total 33 artigos. RESULTADO E DISCUSSÃO: Os resultados mostram que prorrogar a gravidez para a terceira ou quarta década de vida, a ingesta de álcool, tabaco, sedentarismo, o uso prolongado de anticoncepcionais,  exposição à radiação, são fatores de risco para o câncer de mama, além da hereditariedade que não pode ser evitado, assim é de extrema importância realizar os exames de detecção precoce, como o autoexame das mamas, mamografia com proteção abdominal que deve ser complementada com a ultrassonografia das mamas, devido a resultados inconclusivos do exame devido as alterações fisiológicas das mamas, para um diagnóstico conclusivo também pode ser realizado a biópsia e também a ressonância magnética. O tratamento segue os mesmos critérios para pacientes não grávidas, levando em consideração o que é benéfico para as condições fetais. Mostra-se que a melhor forma para tratamento para essas mulheres é a mastectomia geral, já que a cirurgia conservadora das mamas necessita de radioterapia posteriormente, sendo prejudicial ao feto. CONCLUSÃO: A realização desse estudo evidenciou que a detecção precoce pela Atenção Primária a Saúde é de extrema importância para prevenção de doenças como o câncer de mama, usando o enfermeiro como um agente de mudança para aproximar a usuária com o sistema de saúde, sendo o responsável pela detecção precoce por meio de exames preventivos durante o pré-natal. Uma assistência integral de enfermagem exige o conhecimento de sua clientela para uma promoção, prevenção e reabilitação da saúde dos seus pacientes visando à participação da mulher e familiares na decisão do tratamento e conduta da gestação.


Keywords


Câncer de mama, Gestação, Enfermagem.

References


ALQUIMIM, Andréia Farias et al. Diagnóstico de câncer de mama na gestação: há dificuldades adicionais? Femina, [s.l.], v. 39, n. 5, p.281-284, maio 2011. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2011/v39n5/a2523.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

ANDRADE, Gabriella Novaes de; PANZA, Ana Renata; VARGENS Octavio Muniz da Costa. As redes de apoio no enfrentamento do câncer de mama: uma abordagem compreensiva. Ciência, Cuidado e Saúde, Rio de Janeiro,v. 10, n. 1, p. 82-88, 2011. Disponivel em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/10609. Acesso em: 22 jul. 2019.

BERRY DL, THERIAUT RL, HOLMES FA, PARISI VM, BOOSER DJ, SINGLETARY SE, et al. Management of breast cancer during pregnancy using a standardized protocol. J Clin Oncol.1999;17(3):881-55.

CARDOSO, Daniela Habekost et al. Mulheres sobreviventes ao câncer de mama: estratégias para promoção da resiliência. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, [s.l.], v. 10, n. 2, p.474-484, 2 abr. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.474-484. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6094/pdf_1. Acesso em: 20 jul. 2019.

CESTARI, Maria Elisa Wotzasek; ZAGO, Márcia Maria Fontão.A atuação da enfermagem na prevenção do câncer na mulher: questões culturais e de gênero. Ciência, cuidado e saúde, São Paulo, v.11, p. 176-182, 2012. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/17073. Acesso em: 22 jul. 2019.

CODORNIZ, Ana et al. Gravidez após neoplasia da mama: relato de caso. Reprodução & Climatério, [s.l.], v. 32, n. 2, p.145-147, maio 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.recli.2016.08.003. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1413208716300395?via%3Dihub. Acesso em: 17 jul. 2019.

FEIJÓ, Aline Machado et al. Os caminhos de cuidado das mulheres com diagnóstico de câncer de mama. Avances en Enfermería, Rio Grande do Sul, v. 34, n. 1, p. 58-68, 2016. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/aven/v34n1/v34n1a07.pdf. Acesso em: 22 jul. 2019.

FERREIRA, Luiz Rodrigo Guimarães; SPAUTZ, Cleverton César. Câncer de mama associado à gestação. Femina, Curitiba, p.203-208, jul. 2014. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2014/v42n4/a4593.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

GONÇALVES, Leila Luíza Conceição et al. Fatores de risco para câncer de mama em mulheres assistidas em ambulatório de oncologia. Revista Enfermagem Uerj, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p.468-472, set. 2010. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v18n3/v18n3a23.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

GONÇALVES, Leila Luíza Conceição et al. Mulheres portadoras de câncer de mama: conhecimento e acesso às medidas de detecção precoce. Revista de enfermagem UERL, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p.362-367, 2009. Disponível em: file:///C:/Users/drt902998/Desktop/ARTIGOS/artigo%2016.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

GOUVEA, Polyana Bortholazzi et al. Registros da equipe multiprofissional sobre o acompanhamento de pacientes em estágio avançado de doença oncológica. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 38, n. 2, p.175-184, out. 2017. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/28984. Acesso em: 24 jul. 2019.

INCA. INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER, BRASIL. A situação do câncer de mama no Brasil: síntese de dados dos sistemas de informação. Rio de Janeiro, 2019. E-book. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//a_situacao_ca_mama_brasil_2019.pdf. Acesso em: 09 out. 2019.

INCA. INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER, BRASIL. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. Rio de Janeiro, 2011. E-book. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abc_do_cancer.pdf. Acesso: 15 jul. 2019.

INCA. INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER, BRASIL. Atlas da mortalidade. Rio

LIMA, Aline Pinto de et al. Câncer de mama e de colo uterino no período gestacional: uma revisão de literatura. Ciência, Cuidado e Saúde, Mato Grosso, v. 8, n. 4, p.699-706, dez. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v8i4.9709. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/9709/5407. Acesso em: 19 jul. 2019.

MANOEL, Wilmar José et al. Câncer de mama e gravidez: relato de caso. Revista Brasileira de Mastologia, Goiânia, v. 21, n. 1, p.42-45, 17 jun. 2011. Disponível em: http://www.mastology.org/wp-content/uploads/2015/06/Mas_v21n1_42-45.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

MARTINS, Maria Marta; LUCARELLI, Adrienne Pratti. Câncer de mama e gestação. Femina, São Paulo, v. 40, n. 4, p.204-207, ago. 2012. Disponível em: http://www.saudedireta.com.br/docsupload/1357084082203.pdf. Acesso em: 22 jul. 2019.

MATTOS, Magda de; SILVA, Káren Lohane da; KOLLN, Wendy Moura. Fatores que influenciam ações educativas sobre câncer de mama na Estratégia de Saúde da Família. REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA DO PARANÁ, Mato Grosso, v.17, n. 1, p. 40-48, 2016. Disponivel em: http://espacoparasaude.fpp.edu.br/index.php/espacosaude/article/view/368. Acesso em: 16 jul. 2019.

MELO, Fabiana Barbosa Barreto et al. Ações do enfermeiro na detecção precoce do câncer de mama. Revista Brasileira de Enfermagem, São Paulo, v. 70, n. 6, p. 1183-93, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v70n6/pt_0034-7167-reben-70-06-1119.pdf. Acesso em: 22/07/2019.

MICELLI, A. V. P. (1998). Pré-operatório do paciente oncológico: uma visão psicológica. Revista Brasileira de Cancerologia. 51(2),131-137.

MONTEIRO, Denise Leite Maia et al. Câncer de mama na gravidez e quimioterapia: revisão sistemática. Revista da Associação Médica Brasileira, Rio de Janeiro, v. 59, n. 2, p.174-180, mar. 2013. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ramb.2012.10.003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v59n2/v59n2a18.pdf. Acesso em: 27 jun. 2019.

NERIS, Rhyquelle Rhibna; ANJOS, Anna Cláudia Yokoyama dos. Experiência dos cônjuges de mulheres com câncer de mama: uma revisão integrativa da literatura. Revista da Escola de Enfermagem da USP, Minas Gerais, v. 45, n. 5, p. 922-31, 2014. Disponivel: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v48n5/pt_0080-6234-reeusp-48-05-922.pdf. Acesso em: 21 jul. 2019.

OTANI, Marcia Aparecida Padovan. Comunicação entre profissional de saúde e paciente: percepções de mulheres com câncer de mama. 2013. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013. Disponível em: http://taurus.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/311412/1/Otani_MarciaAparecidaPadovan_D.pdf. Acesso em: 16 jul. 2019.

PAIVA, Andyara do Carmo Pinto Coelho et al. Construção de instrumentos para o cuidado sistematizado da enfermagem: mulheres em processo cirúrgico de mastectomia. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, Minas Gerais, v.6, n.2, p. 2282-2291, 2016. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/707. Acesso em: 15 jul. 2019.

RODRIGUES, Cintya Millena de Oliveira et al. Repercussão do tratamento das neoplasias durante a gestação. Rev. Ciênc. Saúde Nova Esperança, Paraíba, v. 14, n. 1, p.67-72, abr. 2016. Disponível em: http://www.facene.com.br/wp-content/uploads/2010/11/7.-repercussão-do-tratamento-das-neoplasias_pronto.pdf. Acesso em: 17 jul. 2019.

SILVA, Aline Pereira da; VENÂNCIO, Thalma Tibúrcio; FIGUEIREDO-ALVES, Rosane Ribeiro. Câncer ginecológico e gravidez: uma revisão sistematizada direcionada para obstetras. Femina, Goiânia, v. 43, n. 3, p.112-118, mai-jun 2015. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2015/v43n3/a5119.pdf. Acesso em: 20 jul. 2019.

TEIXEIRA, Michele de Souza et al.Atuação do enfermeiro da Atenção Primária no controle do câncer de mama. Acta Paulistade Enfermagem, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 1-7, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v30n1/1982-0194-ape-30-01-0001.pdf. Acesso em: 26 jul. 2019.

VIEIRA, Sabas Carlos et al. (ed.). Câncer de mama: Consenso da Sociedade Brasileira de Mastologia - Regional Piauí– 2017. Teresina: EDUFPI, 2017. 328 p. Disponível em: http://www.sbmastologia.com.br/medicos/wp-content/uploads/2018/03/C%C3%A2ncer-de-Mama-Consenso-da-SBM-Regional-Piau%C3%AD-2017.pdf. Acesso em: 15 jul. 2019.

ZINHANI, Mateus Claudio et al. Prevenção de câncer de colo uterino e de mama num município do sul do país. Arquivos Catarinenses de Medicina, Santa Catarina, v. 47, n. 2, p.23-34, jun. 2018. Disponível em: http://www.acm.org.br/acm/seer/index.php/arquivos/article/view/221/247. Acesso em: 20 jul. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n1-086

Refbacks

  • There are currently no refbacks.