Depressão puerperal: Fatores associados e a frequência de risco através da escala de Edimburgo / Postpartum depression: Associated factors and a risk frequency for the Edinburgh scale

Leiliane Sabino Oliveira, Maria Eliane Liégio Matão, Diego Vieira de Mattos, Elisângela Eurípedes Resende, Cleusa Alves Martins

Abstract


Introdução: A depressão pós-parto (DPP) é um grave problema de saúde pública e sua prevalência é elevada, sendo que no Brasil o problema atinge entre 12 e 39,4% das mulheres puérperas, afetar a saúde da mãe quanto o desenvolvimento de seu filho. A triagem de mulheres com DPP é um fator importante para ser utilizado nos serviços de saúde, especialmente pelos enfermeiros, visando reduzir o problema. Objetivo: Identificar através da aplicação da escala Edinburgh a frequência de risco para desencadear a depressão pós-parto, e os fatores associados. Metodologia: estudo quantitativo, descritivo exploratório, através de dados obtidos após aplicação de um questionário. Participaram puérperas que estivessem na recepção aguardando consultas em uma maternidade pública de Goiânia-GO em 2016. Resultados: faixa etária predominante foi de 20-29 anos com 56% e o estado civil a união estável (35%). A escolaridade foi de 61% ensino médio, raça parda em 75%, e a ocupação da mãe era de 45% do lar. 55% primigestas, 55% gestação planejada, 55% desejada, 64% familiares com depressão e 55% com DPP na família. Conclusão: São necessárias políticas de acompanhamento de puérperas pós-alta, uma vez que após a alta hospitalar, a puérpera recebe apenas uma consulta com o obstetra, podendo passar despercebidas seus distúrbios emocionais.


Keywords


Transtornos de adaptação; Puérpera; Saúde da mulher.

References


Moraes IGS, Pinheiro RT, da Silva RA, Horta BL, Sousa PLR, Faria AD. Prevalência da depressão pós-parto e fatores associados. Rev Saúde Pública [Internet]. 2006 [acesso em 03 de dezembro 2016]; 40(1):65-70. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rsp/article/view /31983/33993.

Lowdermilk DL, Perry SE, Bobak IM. O cuidado em enfermagem materna. Porto Alegre: Artmed [impresso]. 2002 [acesso em 21 de dezembro 2016]. Disponível em http://www. Almedina.net /catalog/product_info.php?products_id=5474.

Moraes CL, Reichenheim ME. Magnitude da depressão pós-parto no Brasil: uma revisão sistemática. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [Internet]. 2011 [acesso em 05 de janeiro 2017]; 11(4):369-79. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid =S151 9-38292011000400003&lng=pt&nrm=iso&tlng=en.

Malloy-Diniz LF, Schlottfeldt CGMF, Figueira P, Neves FS, Corrêa H. Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburg: análise fatorial e desenvolvimento de uma versão de seis itens. Rev. Bras. Psiquiatr. [Internet]. 2010 [acesso em 01 de novembro 2016]; 32(3):316-18. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-4446201000 0300018&lng.

COX JL, Holden JM, Sagovsky R. Detection of Postnatal depression: Development of the 10-item Edinburgh Postnatal Depression Scale. Br J Psychiatry [Internet]. 1987 [acesso em 13 de janeiro de 2017]; 150(1):782-86. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo. php? script=sci_arttext&pid=S1516-4446201000 0300018&lng.

Augusto A, Kumar R, Calheiros JM, Matos E, Figueiredo E. Postnatal depression in an urban area of Portugal: comparison of childbearing women and matched controls. Psychol Med [Internet]. 1996 [acesso em 07 de novembro de 2016]; 26(1):135-41. Disponível em: https://www.cambridge.org/core/journals/psychological-medicine/article/postnatal-depres sion-in-an-urban-area-of-portugal-comparison-of-childbearing-women-and-matched-con trols/11466DAEE40C9B89227B69B5D501472A.

Barradas RCB. O desafio das doenças emergentes e a revalorização da epidemiologia descritiva. Rev. Saúde Pública [Internet]. 1997 [acesso em 28 de novembro de 2016]; 31(5):531-37. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/iesus/v8n1/v8n1a02.pdf.

Aliane PP, Mamede MV, Furtado EF. Revisão Sistemática sobre Fatores de Risco Associados à Depressão Pós-parto. Psicol. Pesq. [Internet]. 2011 [acesso em 12 de dezembro de 2016]; 5(2):146-55. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_art text&pid=S1982-12472011000200007.

Menezes FL, Pellenz NLK, Lima SS, Sarturi F. Depressão Puerperal, no âmbito da Saúde Pública. Saúde (Santa Maria) [Internet]. 2012 [acesso em 31 de janeiro de 2017]; 38(1):21-30. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/revistasaude/article/view/3822.

Abissulo CMF, Silvino ZR, Feijó EJ, Ferreira HC, Figueiredo RC, Oliveira LF. Tecnologias educacionais facilitadoras do conhecimento das puérperas em relação ao aleitamento materno: revisão integrativa. Inderme [Internet]. 2015 [acesso em 02 de janeiro de 2017]. Disponível em: http://inderme.com.br/10-04.html.

Corrêa FP, Serralha CA. A depressão pós-parto e a figura materna: uma análise retrospectiva e contextual. Acta. Colomb. Psicol. [Internet]. 2015 [acesso em 20 de janeiro de 2017]; 18(1):113-23. Disponível em: http://editorial.ucatolica.edu.co/ojsucatolica/revi stas_ucatolica/index.php/acta-colombiana-psicologia/article/view/147/188.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n1-082

Refbacks

  • There are currently no refbacks.