Análise cinemática da marcha em indivíduo com discrepância de membro inferior: um estudo de caso/ Kinematic analysis of march in an individual with lower member discrepance: a case study

Marcos Marcondes de Godoy, Mara Raiane de Lima Costa, Fernando Guimarães Cruvinel

Abstract


A discrepância de membros inferiores pode levar a várias alterações como desequilíbrios osteoarticulares, musculares, adaptação na marcha humana e a dores devido a postura adaptada. Para isso a confecção de palmilhas ortopédicas de correção é um recurso utilizado com frequência nessas alterações estruturais. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo principal avaliar as alterações na marcha humana decorrente da discrepância de membros inferiores e se a utilização de órteses plantares totais e parciais para diminuir a discrepância dos membros pode melhorar possíveis alterações músculo-esqueléticas decorrente desse distúrbio. Materiais e métodos: Foram realizadas filmagens com indivíduo que apresenta discrepância de membros inferiores durante caminhada em esteira ergométrica elétrica e, através de pontos determinados no corpo foram avaliados e comparados as possíveis alterações no alinhamento e deslocamento do indivíduo durante a marcha com diferentes porcentagens de correções da discrepância através de palmilhas ortopédicas de correção. Foram utilizados uma filmadora Webcam Logitech C920 Pro, um tripé para câmera digital fotográfica, adesivos circulares coloridos de 12mm de diâmetro, esteira elétrica Oxer OXT 5150, um computador pessoal com o programa de Videometria Kinovea. Resultados: Os valores correspondentes da altura das palmilhas de correção confeccionadas foram de 0,9 cm, 1,8 cm e 3,7 cm. No alinhamento pélvico na fase de duplo apoio houve inclinação (drop pélvico) de 10 graus sem a utilização da palmilha, 7 graus com a correção de 25% e 6 graus nas correções de 50% e 100%. No deslocamento lateral do tronco na fase de apoio foram de 10 graus sem a palmilha, 8 graus com a correção de 25 %, 6 graus na correção de 50% e 8 graus na correção de 100% da discrepância. Conclusão: A análise dos dados da pesquisa revelaram que a palmilha de correção que correspondente a 50% do valor total da discrepância foi a que causou menor inclinação pélvica e um menor deslocamento de tronco.


Keywords


Marcha humana, discrepância de membro inferior, palmilha ortopédica de correção.

References


AMADIO, A. C., & M., D. (1996). Fundamentos biomecnicos para a anÆlise do movimento humano. São Paulo: Eefeusp.

BHAVE, A., PALEY, D., & HERZENBERG, J. E. (1999). Improvement in Gait Parameters after lengthening for the treatment of limb-length discrepancy. J. Bone Joint Surg, 529-34.

BICKLEY, Lynn S.; SZILAGYI, Peter G. Bates: Propedêntica médica. Rio de Janeiro, RJ. Ed. Guanabara Koogan 10ª Ed. 2013.

BRACCIALLI, L. M., & VILARTA, R. (2001). Postura corporal: Reflexões teóricas. Fisioterapia e Movimento, 65-71.

COPPOLA, Cristiano; MAFFULLI, Nicola. Limb shortening for the management of leg length discrepancy. J.R. Coll. Surg.Edinb., 44; February. 1998. p.46-54 Disponível: http://www.rcsed.ac.uk/journal/vol44_1/4410013.htm.

DUTTON, Mark. Fisioterapia ortopédica: exame, avaliação e intervenção. Porto Alegre. Ed. Artmed. 2ª Ed. 2010.

GOULD, A. James. Fisioterapia na Ortopedia e na Medicina do Esporte. São Paulo. Ed. Monale, 1993.

GUIMARÃES, C. Q., TEIXEIRA, S. L., ROCHA, I. C., BICALHO, L. I., & SABINO, G. S. (2006). Fatores associados á adesão ao uso de palmilhas biomecânicas. Revista Brasileria de Fisioterapia, 271-27

GURNEY, B. (2002). Review, Leg length discrepancy. Gait Posture, 195-206.

HANADA, E., KIRBY, R. L., MITTCHELL, M., & SWUSTE, J. M. (2001). Measuring leg-length discrepancy by the iliac crest palpation and book correction method: reliability and validity. Arch Phys Med Rehabil, 938-42.

HOPPENFELD, Stanley. Propedêutica Ortopédica: Coluna e Extremidades. São Paulo, SP: Editora Atheneu. 2003.

REIDER, Bruce. O exame físico em ortopedia. Rio de Janeiro, RJ. Ed.Guanabara Koogan. 2001.

KISNER, Carolyn. Exercícios terapêuticos funcionais. Barueri, SP. Ed. Manole 5ª Ed. 2009.

LEITÃO, Araújo; LEITÃO, Valéria de Araújo. Clínica de Reabilitação. São Paulo, SP. Ed. Atheneu. 1ª Ed. 1995.

LIANZA, Sergio. Medicina de reabilitação. Rio de Janeiro, RJ. Ed. Guanabara Koogan, 2007.

NEUMANN, Donald A. Cinesiologia do aparelho musculoesquelético: fundamentos para a reabilitação física. Rio de Janeiro, RJ. Ed. Guanabara Koogan, 2006.

O’SULLIVAN, Susan B.O; SCHMITZ, Thomas J. Avaliação e Tratamento. Barueri, SP. Ed. Monale2.ed. 2004.

SANHUDO, José Antônio Veiga. A relação da discrepância no comprimento dos membros inferiores com a disfunção do tendão tibial posterior. Tese (Doutorado pela Faculdade de Medicina), Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Porto Alegre, RS, 2012.

SANTILI, C. et al. Avaliação das discrepâncias de comprimento dos membros inferiores. Revista Brasileira de Ortopedia. v. 33, n. 1, 1998.

SONG, K.; HALLIDAY, S. E.; LITLLE, D. G. The effect of limb-length discrepancy on gait. J Bone Surg. v. 79, p. 1690-1698, 1997. Disponível em: http://www.ejbjs.org/cji/content/abstract/79/11/1690.

SOUZA, Camila Menezes Oliveira; FREITAS, Deny Gomes de; PINTO, Marcos Vinicius de Mello. Avaliação da estabilidade postural em indivíduos com discrepância de membro inferior. RevistaTerapiaManual.8(35):p.17-20. 2010. 23

THOMSON, Ann; SKINNER, Alison; PIERRY Joan.Fisioterapia de Tidy.São Paulo. Ed. Santos. 12ª Ed. 2002.

VOLPON, Jóse B. Temas de Ortopedia e Traumatologia para a graduação médica. Ribeirão Preto. Jan 2006. Disponível: http://www.luzimarteixeira.com.br/wp-content/uploads/2009/11/ortopedia-e-alteracoes-ortopedicas-basicas.pdf Acesso em: 14/06/2016

WERLANG, Henrique Zambenedetti; et al. Escanometria dos membros inferiores: revisitandoDr. Juan Farill. Rev. Radiol. Bras. Vitória – ES. 2007; 40(2): p. 137-141.

WHITE, S. C., GILCHRIST, L. A., & WILK, B. E. (2004). Asymmetric limb loading with true or simulated leg-length differences. Clin Orthop Relat Res, 287-92.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n1-064

Refbacks

  • There are currently no refbacks.