Perfil da mortalidade neonatal no município de Santarém – Pará / Neonatal mortality profile in the county of Santarém – Pará

Claudina Macedo Leonel de Paiva, Verônica dos Santos da Costa, William Rafael de Farias Silva, Francisco Gomes Moreno, Ana Emília Gomes Macêdo, Caroline Gomes Macêdo

Abstract


A mortalidade neonatal é um grande problema de saúde pública principalmente nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Ela representa grande parte das mortes infantis, fazendo com que o componente neonatal tenha um significativo destaque nos óbitos de crianças com menos de um ano de vida. Sendo assim, esse estudo teve como principal objetivo analisar o perfil das mortes ocorridas durante o período neonatal no município de Santarém – PA de janeiro a dezembro de 2017, bem como destacar as principais causas envolvidas. A pesquisa foi baseada em estudo de natureza descritiva e quantitativa. As fontes dos dados foram os relatórios do SIM e SINASC disponibilizados pela Divisão de Vigilância em Saúde (DIVISA). Foram coletados dados referentes tanto às características do recém-nascido e da mãe, como do parto. Os resultados apontam um declínio do coeficiente de mortalidade neonatal durante o período. A maioria dos recém-nascidos que foi a óbito apresentavam peso maior que 2500 gramas e menos de 7 dias de vida. Predominaram, no estudo, mães com idade entre 20 e 34 anos e com escolaridade até o ensino médio. A principal via de parto foi a vaginal e entre as causas destacaram-se as septicemias e malformações. Assim, esse estudo enfatiza a necessidade da realização de maiores análises sobre a temática, bem como, a de melhorar o registro dos dados para possibilitar pesquisas futuras.


Keywords


Mortalidade neonatal. Fatores de risco. Causa de óbito.

References


BRASIL. Ministério da saúde. Prematuridade é principal causa de mortalidade infantil, alerta ONG. Disponível em . Acesso em 20/04/2018.

ALMEIDA, T.S.O. et al. Investigação sobre os Fatores de Risco da Prematuridade: uma Revisão Sistemática. Rev. Bras. Ci. Saúde 17(3):301-308, 2013

ALVES, J.B.; GABANI, F.L; FERRARI, R.A.P.; Tacla, MAUREN T.G.M.; JÚNIOR, A.L. Sepse neonatal: mortalidade em município do sul do brasil, 2000 a 2013. Paul Pediatr. 2017

FONTOURA, F.C.; CARDOSO, M.V.L.M.L. Associação das malformações congênitas com variáveis neonatais e maternas em unidades neonatais numa cidade do nordeste brasileiro. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2014 Out-Dez; 23(4): 907-14

FRANÇA, E.; LANSKY, S. Mortalidade Infantil Neonatal no Brasil: Situação, Tendências e Perspectivas. Informe de Situação e Tendências: Demografia e Saúde, 2008.

FILHO A.C.A.A.; SALES I.M.M.; ARAÚJO A.K.L.; ALMEIDA P.D.; ROCHA S.S. Aspectos epidemiológicos da mortalidade neonatal em capital do nordeste do Brasil. Ver Cuid. 2017; 8(3): 1767-76.

FREITAS, P.F.; ARAÚJO, R.R. Prematuridade e fatores associados em Santa Catarina, Brasil: análise após alteração do campo idade gestacional na Declaração de Nascidos Vivos. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 15 (3): 309-316 jul./ set., 2015

GAIVA, M.A.M.; BITTENCOURT, R.M.; FUJIMORI, E. Óbito neonatal precoce e tardio: perfil das mães e dos recém-nascidos. Rev Gaúcha Enferm. 2013;34(4):91-97

GAIVA, M.A.M; FUJIMORI, E.; SATO, A.P.S. Mortalidade neonatal: análise das causas evitáveis. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, 2015 mar/abr; 23(2):247-53.

KASSAR, S. B.; MELO, A. M. C.; COUTINHO, S. B.; LIMA, M. C.; LIRA, P. I. C. Fatores de risco para mortalidade neonatal, com especial atenção aos fatores assistenciais relacionados com os cuidados durante o período pré-natal, parto e história reprodutiva materna. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, V.89, n.3, maio/junho,2013.

LANSKY, SÔNIA et al. Pesquisa Nascer no Brasil: perfil da mortalidade neonatal e avaliação da assistência à gestante e ao recém-nascido. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 30 Sup:S192-S207, 2014

LANSKY, S.; EVANGELISTA, P.; DRUMMOND, E.; ALMEIDA, M.C.; ISHITANI, L. Mortalidade infantil em Belo Horizonte:avanços e desafios. Revista Médica de Minas Gerais 2007;16 (4 Supl 2): 105- 112.

MADEIRO, A.; RUFINO, A.C.; SANTOS, A.O. Partos cesáreos no Piauí: Tendência e fatores associados no período de 2000 a 2011. Epidemiol. Serv Saude 26 (1) Jan-Mar 2017.

NUNES, J.T. et al. Qualidade da assistência pré-natal no Brasil: revisão de artigos publicados de 2005 a 2015. Cad. Saúde Colet., 2016, Rio de Janeiro, 24 (2): 252-261

PINHEIRO, J.M.F. et al. Atenção à criança no período neonatal: avaliação do pacto de redução da mortalidade neonatal no Rio Grande do Norte, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 21(1):243-252, 2016

RAMOS, H.A.C.; CUMAN R.K.N. Fatores de risco para prematuridade: pesquisa documental. Esc Anna Nery Rev Enferm 2009 abr-jun; 13 (2): 297-304

SALGE, A.K.M. Fatores maternos e neonatais associados à prematuridade. Revista Eletrônica de Enfermagem, Goiás, v. 11, n. 3, p.642-646, set. 2009.

SOARES, E.S.; MENEZES, G.M.S.. Factors Associated with Neonatal Mortality: Situation Analysis at the Local Level. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 19(1):51-60, jan-mar 2010.

TEIXEIRA GA, Costa FML, Mata MS et al. Fatores de risco para a mortalidade neonatal na primeira semana de vida. J. res.: fundam. care. online 2016. jan./mar. 8(1):4036-4046

UNICEF. Níveis e tendências em mortalidade infantil. Disponível em . Acesso em 23/11/2017.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n1-040

Refbacks

  • There are currently no refbacks.