Demanda de psicofármacos em uma unidade de saúde de Belém-PA / Demand for psychotropic drugs in a health unit in Belém-PA

Raimunda Vânia Souza Santos, Anaytê Jarina Sousa de Menezes, Suzane dos Passos Corrêa, Luanny Paula Dias de Oliveira, Diandra Araújo da Luz, Priscila de Nazaré Quaresma Pinheiro

Abstract


Um dos maiores desafios da humanidade sempre foi de controlar ou amenizar os sofrimentos causados por doenças. O estilo de vida da sociedade tem contribuído para o aparecimento de vários distúrbios mentais e emocionais. Assim, o objetivo deste trabalho foi de analisar a demanda de Psicofármacos dispensados em uma Unidade Básica de Saúde (UBS), do bairro do Jurunas, na cidade de Belém-PA. Trata-se de um estudo descritivo retrospectivo qualitativo e quantitativo, objetivando análise de demanda de medicamentos. Os dados foram coletados na farmácia da UBS utilizando o formulário de coleta de dados, através do sistema Hórus. Após a coleta dos dados, estes receberam tratamento estatístico no programa Excel® e posteriormente, analisados em tabelas e gráficos. Os dados encontrados revelaram que 66% dos medicamentos dispensados são para o município de Belém e a classe medicamentosa mais dispensada foi dos Antiepiléticos (39%), seguidos dos Antipsicóticos (35%), dando destaque para a Carbamazepina 200mg (78%) e para o Haloperidol 5mg (30%), respectivamente. Tal resultado se compara com o resultado de outros estudos, os quais apontam sobre a tendência da medicalização do sofrimento, ou seja, quando os psicofármacos são considerados recursos terapêuticos utilizados de forma única. Desse modo, considera-se o papel do farmacêutico fundamental quanto ao uso racional de medicamentos, fornecendo informações necessárias para os usuários quanto aos efeitos provocados pelos psicofármacos.


Keywords


Medicamentos psicotrópicos. Distúrbios Mentais. Dispensação.

References


ALFENA, MD. Uso de psicotrópicos na atenção primária. 2015. 69 f. Dissertação (Mestre em Saúde Pública). Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Portaria nº 344 de 12 de maio de 1998. Disponível em: . Acesso em 19 de novembro de 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 10.216 de 06 de abril de 2001: Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm. Acesso em 22 de fevereiro de 2019.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários da Saúde - CONASS. Assistência farmacêutica no. SUS. – Brasília: CONASS, 2007. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/colec_progestores_livro7.pdf. Acesso em 25 de maio de 2018.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Sistema único de saúde. 2018. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/index.php/sistema-unico-de-saude/sistema-unico-de-saude. Acesso em 10 de julho de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Portaria nº 344 de 12 de maio de 1998. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/svs/1998/prt0344_12_05_1998_rep.html. Acesso em 11 de julho de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política nacional de atenção básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde mental. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

CASTRO, CGSO; LUIZA, VL; CASTILHO, SR; OLVEIRA, MA; JARAMILHO, NM. Assistência farmacêutica: gestão e prática para profissionais da saúde. – Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2014.

CEBRID. O que são drogas psicotrópicas? 2018. Disponível em: https://www2.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/folhetos/drogas_.htm. Acesso em 22 de julho de 2018.

DIÁRIO OFICIAL. Belém, Pará. Ano LIX, n. 13.472, 2018. Disponível em: www.belem.pa.gov.br/diarioom/baixarDiario?idd=8478. Acesso em 19 de julho de 2018.

FIGUEIREDO, ACD. Consumo e gastos com psicotrópicos no sistema único de saúde no estado de minas gerais: análise de 2011 a 2013. 2015. 63 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Universidade de Brasilia, Faculdade de Ciências da Saúde, Brasília – DF, 2015.

GOTZSCHE, PC. Medicamentos mortais e crime organizado: como a indústria farmacêutica corrompeu a assistência médica. – Porto Alegre: Bookman, 2016.

KATZUNG, BG; TREVOR, AJ. Farmacologia básica e clínica. – 13. ed. – Porto Alegre: AMGH, 2017.

MOURA, DCN; PINTO, JR; MARTINS, P; PEDROSA, KA; CARNEIRO, MGD. Uso abusivo de psicotrópicos pela demanda da estratégia saúde da família: revisão integrativa da literatura. Revista SANARE. 2016. 15(2); 136-144.

NAMARA, JOM. Farmacoterapia das Epilepsias. In: Goodman e Gilman’s. As bases farmacológicas da terapêutica. 12ºed. Porto Alegre: AMGH; 2012; 21:583-606.

NASCIMENTO JUNIOR, JM; PAGANELLI, MO; TAVARES, NUL; SOEIRO, OM; COSTA, KS. Uso Racional de medicamentos: fundamentação em condutas terapêuticas e nos macroprocessos da Assistência farmacêutica. Brasília: OPAS/OMS, 2016.

OLIVEIRA, TRB. Atenção básica à saúde: relato de experiência do Pet-Saúde. UFRN/SMS na USF Santarém. São Paulo: Paco Editorial, 2015.

OMS – ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Uso racional de medicamentos. 2019. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=354:uso-racional-de-medicamentos&Itemid=838. Acesso em 07 de março de 2019.

PADILHA, PDM; TOLEDO, CEM; ROSADA, CTM. Análise da dispensação de medicamentos psicotrópicos pela rede pública municipal de saúde de Campo Mourão/PR. Revsta Uningá Review. 2014. 20(2); 6-14.

PREFEITURA DE BELÉM. Atenção básica: UBS Jurunas. 2019. Disponível em: http://www.belem.pa.gov.br/app/c2ms/v/?id=12&conteudo=4674. Acesso em 07 de março de 2019.

RANG, HP; RITTER, JM; FLOWER, RJ; HENDERSON, G. Farmacologia. – 8. ed. – Rio de Janeiro: Elsevier, 2016.

ROCHA BS, WERLANG MC. Psicofármacos na estratégia saúde da família: perfil de utilização, acesso e estratégias para a promoção do uso racional. Ciência & Saúde Coletiva. 2013. 18(11); 3291-3300.

SILVEIRA ST, CARVALHO ARV, VECCHIA MD, MELO W. A dispensação de psicofármacos em um município de pequeno porte: considerações acerca da medicalização da vida. Psicologia em Pesquisa. 2016. 10(1); 17-25.

SWEETMAN, SC. Martindale: the complete drug reference. 34rd. London: Pharmaceutical Press, 2005, 2756 p.

XAVIER, MS; TERRA, MG; SILVA, CT; MOSTARDEIRO, SCTS; SILVA, AA; FREITAS, FF. O significado da utilização de psicofármacos para indivíduos com transtorno mental em acompanhamento ambulatorial. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem. 2014. 18(2); 323-329.

ZANELLA, CG; AGUIAR, PM; STORPIRTIS, S. Atuação do farmacêutico na dispensação de medicamentos em centros de atenção psicossocial adulto




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv3n1-012

Refbacks

  • There are currently no refbacks.