A educação permante no âmbito da atenção primária à saúde: uma revisão integrativa / Permanent education in primary health care: an integrative review

Weslaine Thalita Silva Ramos, Larissa Dantas Quiulo, Luciana Dantas Farias de Andrade

Abstract


A Educação Permanente em Saúde (EPS) surgiu como uma estratégia para a transformação das práticas em saúde de acordo com as necessidades demandadas e para que o profissional adquira mais segurança em si. O período da implantação da Educação Permanente no Brasil se deu quando o país estava passando por uma revolução no modelo de saúde e a posterior criação do SUS. Com isso, a EPS caminha ao lado do SUS desde seu início. Na Atenção Primária à Saúde, cujo objeto de trabalho é o indivíduo, família e coletividade, essa estratégia se faz fundamental, pois o campo de trabalho é de transformações constante e requer mudanças na atenção à saúde. Esse trabalho tem como objetivo explanar as informações disponíveis na literatura acerca da Educação Permanente no âmbito da Atenção Primária à Saúde e tem como metodologia a revisão integrativa. Os estudos selecionados para essa revisão foram identificados a partir da busca em bases de dados (SciELO e LILACS) por meio dos descritores “Educação Continuada”, “Atenção Primária à Saúde” e “Educação em Saúde”. No cruzamento dos descritores foram identificadas 42 publicações científicas no SciELO, 159 na LILACS. 12 foram incluídas neste estudo. Os Resultados evidenciam que existe uma certa fragilidade na implementação da EPS na APS devido a não credibilidade por parte dos profissionais, o desconhecimento da EPS e a falta de apoio da gestão. Salienta-se a necessidade da introdução teórico-prática da temática nos cursos graduação. Concluímos que os gestores e profissionais devem adotar um novo olhar sobre a EPS.


Keywords


educação continuada, atenção primária à saúde e educação em saúde.

References


BARTH, P. O. et al. Educação permanente em saúde: concepções e práticas de enfermeiros de unidades básicas de saúde. Revista Eletrônica de Enfermagem, v.16, n.3, 2014. Disponível em: Acesso em 25 de Fevereiro de 2018.

CARDOSO, Ivana Macedo; MURAD, Ana Luiza Gualandi; BOF, Sandra Mara Soeiro. A institucionalização da educação permanente no programa de saúde da família: uma experiência municipal inovadora. Trabalho, educação e saúde. Rio de Janeiro, v.3, n. 2, p. 429-440. Setembro, 2005.Disponível em . Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

CARVALHO, Thalyta Gleyane Silva de; ALMEIDA, Ana Mattos Brito de; BEZERRA, Maria Iracema Capistrano. Percepção dos profissionais de saúde da atenção primária sobre educação permanente em saúde. SANARE. Sobral, V.15 n.02, p.94-103, Jun./Dez. – 2016. Disponível em < https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1043/589> Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

CASARIN, Naiára et al. Fórum de Humanização: potente espaço para educação permanente de trabalhadores da Atenção Básica. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v.41, n.114, p.718-728, Setembro. 2017. Disponível em . Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

CORIOLANO, Maria Wanderleya de Lavor et al. Educação permanente com agentes comunitários de saúde: uma proposta de cuidado com crianças asmáticas. Trabalho, educaçãoe saúde. Rio de Janeiro, v.10, n.1, p.37-59, Junho 2012. Disponível em . Acesso em 27 de fevereiro de 2018.

FORTUNA, Cinira Magali et al. Educação permanente na estratégia saúde da família: repensando os grupos educativos. Revista Latino-Americana de Enfermagem [Internet]. jul.-ago. 2013. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n4/pt_0104-1169-rlae-21-04-0990.pdf>. Acesso em 25 de fevereiro de 2018.

LEMOS, Cristiane Lopes Simão. Educação Permanente em Saúde no Brasil: educação ou gerenciamento permanente?. Ciência e saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.21, n.3, p.913-922, Março, 2016. Disponível em . Acesso em 25 de Fevereiro de 2018.

LIMA, Sayonara Arruda Vieira; ALBUQUERQUE, Paulette Cavalcanti; WENCESLAU, Leandro David. Educação permanente em saúde segundo os profissionais da gestão de Recife, Pernambuco. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 425-441, Agosto 2014 Disponível em . Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

MEDEIROS, Lis Cardoso Marinho. Educação Permanente como instrumento de mudança na rede de atenção à saúde com foco na Estratégia Saúde da Família: um relato de experiência. Revista Ciência Plural. v.1(1): 65-74. 2015. Disponível em < https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/7325/5503>

Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

MICCAS, Fernanda Luppino; BATISTA, Sylvia Helena Souza da Silva. Educação permanente em saúde: metassíntese. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.48, n.1, p.170-185, Fevereiro, 2014. Disponível em . Acesso em 25 de Fevereiro de 2018.

NASCIMENTO, Cynthia Maria Barboza do et al. Telefonoaudiologia como estratégia de educação permanente na atenção primária à saúde no Estado de Pernambuco. Revista CEFAC, São Paulo, v. 19, n.3, p.371-380, Junho 2017. Disponível em . Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

PEREIRA, Lizziane d’ Ávila; SENA, Roseni Rosângela de. Cursos realizados pelo Canal Minas Saúde: percepções dos profissionais que atuam na atenção primária. Revista Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre, v. 37, n. 2, e56984, 2016. Disponível em //www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198314472016000200416&lng=en&nrm=iso>. 27 de Fevereiro de 2018.

PRADO, Cláudia et al. Teleamamentação no Programa Nacional de Telessaúde no Brasil: a experiência da Telenfermagem. Revista da Escolade Enfermagem da USP, São Paulo, v. 47, n. 4, p.990-996, Agosto 2013. Disponível em . Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

SILVA, Luiz Anildo Anacleto da et al. Educação permanente em saúde na atenção básica: percepção dos gestores municipais de saúde. Revista Gaúcha Enfermagem. Porto Alegre, v. 38, n. 1, e58779, 2017. Disponível em . Acesso em 25 de Fevereiro de 2018.

SILVA, Luiz Anildo Anacleto da et al. Educação permanente no processo de trabalho de enfermagem. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro.6(3):2349-2361. 2017 Disponível em. Acesso em 27 de Fevereiro de 2018.

TESSER, Charles Dalcanale et al. Estratégia saúde da família e análise da realidade social: subsídios para políticas de promoção da saúde e educação permanente. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.16, n.11, p.4295-4306, Nov. 2011. Disponível em . Acesso em 26 de Fevereiro de 2018.

VASCONCELOS, Ana Claudia Freitas de; STEDEFELDT, Elke; FRUTUOSO, Maria Fernanda Petroli. Uma experiência de integração ensino-serviço e a mudança de práticas profissionais: com a palavra, os profissionais de saúde. Interface – Comunicação, Saúde e Educação (Botucatu), Botucatu, v.20, n.56, p.147-158, Março 2016. Disponível em .Acesso em 26 de Fevereiro de 2018.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.