Transtornos mentais em puérperas: análise da produção de conhecimento nos últimos anos / Mental disorders in puerperal women: analysis of knowledge production in recent years

Geraldo Mota de Carvalho, Laércio Ruela de Oliveira, Rosemeire Vieira dos Santos, Gislaine Eiko Kuahara Camiá, Lenir Honório Soares

Abstract


Estudo de natureza bibliográfica objetivando descrever as demandas das puérperas portadoras de transtornos mentais puerperais (TMP). Acredita-se que esta investigação permitiria dar visibilidade a tal temática, bem como identificar diagnósticos e intervenções de enfermagem para estas condições.  Os TMP são a Disforia, mais frequente, seguida da Depressão e Psicose. Nestes ocorrem um desajuste emocional, caracterizado por ansiedade, tristeza, passando por falta de iniciativa, interesse, energia e dificuldade em cuidar do filho, choro fácil, desesperança, chegando até à manifestação de delírios, alucinações ideias persecutórias, comportamento desorganizado e desorientação com forte risco de suicídio e infanticídio. O tratamento é baseado em apoio emocional profissional/familiar, monitoração constante da mãe e filho, utilização de antidepressivos, psicoterapia e internações psiquiátricas em casos graves. Conclui-se que os TMP costumam ser pouco valorizados e diagnosticados de forma tardia pela equipe de saúde. Portanto, o enfermeiro deve atentar para a sintomatologia destas desordens, investindo tanto na prevenção como detecção precoce e na implementação de cuidados específicos.

 

 


Keywords


transtornos mentais, puerpério, enfermagem, diagnóstico de enfermagem.

References


Camacho RS, Cantinelli FS, Ribeiro CS, Cantilino A, Gonsales BK, Braguittoni E, et al. Transtornos psiquiátricos na gestação e no puerpério: classificação, diagnóstico e tratamento. Rev. Psiquiatria Clínica. 2006; 33: 92-102. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rpc/v33n2/a09v33n2.pdf

Miranda GCV, Miranda SP. Transtornos psiquiátricos na gravidez e no pós-parto. In: SOGIMIG. Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia de Minas Gerais. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2003.

Kac G, Silveira EA, Oliveira LC, Mari JJ. Fatores relacionados à prevalência de morbidades psiquiátricas menores em mulheres selecionadas em um centro de saúde no Rio de janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2006;22. 999-1007. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csp/2006.v22n5/999-1007/

Cantilino A, Zambaldi CF, Sougey EB, Rennó Jr J. Transtornos psiquiátricos no pós-parto. Rev Psiq Clín. 2010;37(6):278-84. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpc/v37n6/a06v37n6

Moura ECC, Fernandes MA, Apolinário FIR. Percepção materna sobre transtornos psiquiátricos no puerpério: implicações na relação mãe-filho. Revista Brasileira de Enfermagem Jun 2011, Vol 64 nº 3 Páginas 445 -450. [citado em 19 abr 2019]. DOI: 10.1590/S0034-71672011000300006

Schwengber DDS, Piccinini CA. A experiência da maternidade no contexto da depressão materna no final do primeiro ano de vida do bebê. Estudos de Psicologia I. 2005; 22. 143-156. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-166X2005000200004&script=sci...tlng...

Miranda GCV, Ferreira LV, Miranda SP. Distúrbios psiquiátricos. In: Corrêa MD et al. Noções práticas de Obstetrícia. 14ª ed. Belo Horizonte: Coopmed; 2011.

Henriques,C, Santos M, Caceiro E, Ramalho S. Determinantes na transição para a maternidade. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental. Especial 2. Fev. 2015;63-67. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: www.scielo.mec.pt/pdf/rpesm/nspe2/nspe2a11.pdf

Lobato G, Moraes CL, Reichenheim ME. Magnitude da depressão pós-parto no Brasil: uma revisão sistemática. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2011;11(4):369–79. scielo[citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519...lng=en&nrm...

Poles MM, Carvalheira APP, Carvalhaes MABL, Parada CMGL. Sintomas depressivos maternos no puerpério imediato: fatores associados. Acta paul. enferm. vol.31 nº.4 São Paulo jul./ago. 2018. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201800050

Ricci SS. Enfermagem materna-neonatal e saúde da mulher. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2015.

Cheniaux E, Corrêa APSF de. Disforia pós-natal: Revisão sistemática dos ensaios clínicos. Femina. 2004; 32. 885-88. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?...iah/...

Moraes IGS, Pinheiro RT, Silva RA, Horta BL, Sousa PLR, Faria AD. Prevalência da depressão pós-parto e fatores associados. Rev. Saúde Pública, 2006; 40: 65-70.

[citado em 19 abr 2019]. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rsp/v40n1/27117.pdf

Schmidt EB, Piccoloto NM, Muller MC. Depressão pós-parto: Fatores de risco e repercussões no desenvolvimento infantil, Psico-USF, 2005; 10. 61-68. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: www.scielo.br/pdf/pusf/v10n1/v10n1a08.pdf

Campos BC, Rodrigues OMPR. Depressão pós-parto materna: crenças, práticas de cuidado e estimulação de bebês no primeiro ano de vida. Psico Porto Alegre.[online]. 2015, vol.46, n.4, pp. 483-492. ISSN 1980-8623. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2015.4.20802.

Medeiros PPV, Furtado EF. Perfil dos cuidados maternos em mães deprimidas e não-deprimidas no período puerperal. Jornal Bras de Psiquiatria, 2004: 53. 227- 234.

[citado em 19 abr 2019]. Disponível em: bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/...

Sgobbi DAO, Santos SA. Depressão pós-parto: conseqüências na interação mãe-bebê e no desenvolvimento infantil. CuidArte, Enferm. Jan-jul. 2008; 2(1):92-99. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: fundacaopadrealbino.org.br/facfipa/ner/pdf/ed02enfpsite.pdf

Cury AF, Menezes PR. Depressão pós-parto: O papel do obstetra, Femina, 2005; 33. 135- 138. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

https://www.escavador.com/sobre/2032298/alexandre-faisal-cury

Corwin EJ, Pajer K. The psychoneuroimmunology of pospartum depression. J Womens Health. 2008;17(9):1529-34. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18710365

Zaconeta AM, Motta LDC da, França PS. Depresión Postparto: Prevalência de teste de rastreo positivo em puérperas del hospital universitário de Brasília, Brasil. Rev. Chil. Obstet. Ginecol. 2004; 69: 209-231.[citado em 19 abr 2019]. Disponível em: https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?...sci...75262004000300005

Ibiapina FLP, Alves JAG, Busgaib RPS, Costa FS. Depressão pós-parto: tratamento baseado em evidências. Femina. 2010;38(3)161-65. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/...

Pearlstein t, Howard M, Salisbury A, Zlotnick C. Pospartum depression. Am J Obstet Gynecol. 2009;200(4):357-64. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3918890/

Brasil. Ministério da Saúde. Depressão pós-parto: causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: http//:portalms.saude.gov.br/busca?ordering= newest&searchphrase=all&limit=

&areas[0]=contenttags&searchword=depressão%20pós-parto. 24/20/2018.

Borja A, Guerra G, Calil HM. O transtorno bipolar na mulher. Rev. Psiq. Clin. 2005; 32: 110-116. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

www.scielo.br/pdf/rpc/v32s1/24420.pdf

Félix TA, et al. Atuação da enfermagem frente à depressão pós-parto nas consultas de puericultura. Enfermería Global. n. 29.p. 420-435, 2013. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: scielo.isciii.es/pdf/eg/v12n29/pt_enfermeria1.pdf

Kogima EO, Reis AOA. O entendimento dos enfermeiros de uma unidade básica de saúde acerca da depressão puerperal / The nurses understanding of a basic health unit about puerperal depression. Nursing São Paulo. 2009;12(135):381-86. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript...base...

Freitas DR, Vieira BDG, Alves VH, Rodrigues DP, Leão DCMR, Cruz, AFN. Alojamento conjunto em um hospital universitário: depressão pós-parto na perspectiva do enfermeiro / Accommodation set in a university hospital: postpartum depression in nurses' perspective. Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online).jul-set. 2014;6(3):1202-11. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/...

Alves EP, Silva PMC, Azevedo EB, Ferreira Filha MO. Conhecimento dos enfermeiros da Saúde da Família sobre os Transtornos Psíquicos no Período Puerperal. Rev. eletrônica enferm;13(3):529-536, 2011. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/revista/v13/n3/pdf/v13n3a19.pdf

Meira BM, Pereira PAS, Silveira MFA, Gualda DMR, Santos Jr HPO. Challenges for primary healthcare professionals in caring for women with postpartum depression.

Texto contexto - enferm. vol.24 no.3 Florianópolis July/Sept. 2015. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-0707201500049-14.

Santos Junior HPO, Silveira MFA, Gualda DMR. Depressão pós-parto: um problema latente. Rev Gaúcha Enferm., Porto Alegre (RS) 2009 set;30(3):516-24. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/8062

Silva ETS, Botti NCL. Depressão puerperal – uma revisão de literatura. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 07, n. 02, p. 231-238, 2005. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/880.

ACOG. American College of Obstetricians and Gynecologists. Screening for perinatal depression. ACOG Committee Opinion No. 757. 2018;132:e208-12.

Hartmann JM, Mendoza-Sassi RA, César JA. Depressão entre puérperas: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública [online]. 2017, vol.33, n.9, e00094016. Epub Oct 09, 2017. ISSN 1678-4464. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00094016.

Silva FCS, Araújo TM, Araújo MFM, Carvalho CML, Caetano JA. Depressão pós-parto em puérperas: conhecendo interações entre mãe, filho e família. Acta Paul Enferm 2010;23(3):411-6. [citado em 19 abr 2019]. Disponível em:

www.scielo.br/pdf/ape/v23n3/v23n3a16

NANDA. Diagnósticos de enfermagem da NANDA-I: definições e classificação 2018-2020 [recurso eletrônico] / [NANDA International]; tradução: Regina Machado Garcez; revisão técnica: Alba Lucia Bottura Leite de Barros... [et al.]. – 11. ed. – Porto Alegre: Artmed; 2018.

Lefevre RA. A aplicação do processo de enfermagem. Fundamentos para o raciocínio clinico. 8ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-117

Refbacks

  • There are currently no refbacks.