Necessidade de triagem de doença de Chagas no pré-natal de Brasileiras, controle da infecção congênita e o tratamento precoce do neonato infectado / Need for prenatal screening of Chagas disease in Brazilians, control of congenital infection and early treatment of infected newborn

Priscilla Inocêncio Rodrigues Ribeiro, Alex Miranda Rodrigues, Marislene Pulsena da Cunha Nunes

Abstract


Doença de Chagas (DC) é uma doença tropical causada pelo parasita Trypanosoma cruzi considerada negligenciada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A iniciativa ETMI-PLUS, promovida pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), incentiva os sistemas de saúde das Américas a realizar a triagem e o controle da doença em mulheres grávidas com o mesmo nível de prioridade que outras doenças mais conhecidas, como HIV. Atualmente, estima-se que existam mais de 1,2 milhão de mulheres com a infecção e que a cada ano nascem mais de 8.000 crianças com Chagas pela transmissão de mãe para filho. Identificar gestantes infectadas pelo Trypanosoma cruzi é um dos principais desafios para a prevenção e controle da doença de Chagas (DC) em países endêmicos. Foi realizada uma revisão, pesquisando a literatura nas bases de dados PubMed, Google Acadêmico e da Organização Mundial da Saúde (OMS) usando os termos-chave: "diagnostic", "Chagas disease" e "pregnant"; como texto livre e combinado como uma frase para aumentar a sensibilidade da pesquisa. Revisões, recomendações, diretrizes e relatórios de programas de controle/ vigilância foram incluídos. Dos 151 documentos identificados, 12 corresponderam à inclusão. A Espanha é a único país com um monitoramento sistemático estabelecido de mulheres grávidas nascidas em países latino-americanos e a Colômbia é o único país da américa que conta com um projeto-piloto de controle da transmissão vertical de DC e tratamento precoce de bebês infectados. O Brasil precisa urgentemente de uma política pública de rastreamento de gestantes chagásicas, controle da transmissão vertical e tratamento precoce do neonato infectado.

 


Keywords


diagnóstico, Doença de Chagas, pré-natal, transmissão vertical, prevenção e tratamento precoce.

References


ANTONI, Soriano-Arandes et.al. Control and management of congenital Chagas disease in Europe and other non-endemic countries: current policies and practices. Trop Med Int Health, v,21, n.5, p.590-596, may, 2016.

BRUTUS, Louis et al. Screening for congenital infection by Trypanosoma cruzi in France. Bulletin de la Société de pathologie exotique; v.102, n.5, p.300-309, dec,2009.

CARLIER, Yves et al. Congenital Chagas disease: an update. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, v.110, n.3, p.363-368, May, 2015.

CARLIER, Yves et al. Congenital Chagas disease: recommendations for diagnosis, treatment and control of newborns, siblings and pregnant women. PLoS Neglected Tropical Disease; v.5, n.10, e1250, oct,2011.

CEVALLOS, Ana María, HERNÁNDEZ, Roberto. Chagas Disease: Pregnancy and Congenital Transmission. BioMed Research International, vol. 2014, Article ID 401864, 10 pages, 2014.

MARTINS MELO, Francisco Rogerlândio et al. Prevalence of Chagas disease in pregnant women andcongenital transmission ofTrypanosoma cruziin Brazil: asystematic review and meta-analysis. Tropical Medicin and International Health.v.19, n.8, p.943–957, aug 2014

MERINO, Francisco et al. Grupo de Estudio de la Enfermedad de Chagas de la Comunidad de Madrid. Control de la infección por Trypanosoma cruzi / Enfermedad de Chagas en gestantes Latinoamericanas y sus hijos. Rev Esp Quimioter, v.26, n.3, p.253-260, set, 2013.

Organización Panamericana de la Salud. Guía para el diagnóstico y el tratamiento de la enfermedad de Chagas. Washington, D.C.: OPS; 2018.

Perez-Lopez, Faustino & Chedraui, Peter. Chagas disease in pregnancy: A non-endemic problem in a globalized world. Archives of gynecology and obstetrics, v.282, n.6, p.595-599, dec,2010.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-116

Refbacks

  • There are currently no refbacks.