Pesquisa de opinião sobre adoção homoafetiva no Brasil / Opinion survey on homoaffective adoption in Brazil

Joana Döhler da Silva Gusberti, Sumaya Klaime, Taiza Luane Kaufert, Diocleide Silva

Abstract


Essa pesquisa buscou analisar representações sociais que cercam a Adoção Homoparental no Brasil realizando, inicialmente, uma revisão bibliográfica afim de criar o embasamento cientifico necessário para a posterior analise dos dados coletados. Subsequentemente, fora realizada uma pesquisa de opinião quantitativa mediada por uma escala social tipo Likert contendo 12 afirmativas, tanto positivas quanto negativas, abrangendo o âmbito social, religioso e jurídico. Diante dessas afirmativas os participantes tinham opções de respostas variando entre "concordo totalmente" e “discordo totalmente". Os dados foram coletados através de uma pesquisa estruturada, disponibilizada on-line pela plataforma Google Forms, buscando apontar numericamente a frequência das atitudes com relação a adoção por famílias homoafetivas; 215 pessoas foram entrevistadas, sendo que dentre elas, 67% eram do sexo feminino, 80% praticava alguma religião relacionada o cristianismo e 82% possuíam escolaridade de nível superior. Predominantemente a população pesquisada tinha entre 15 e 40 anos a época da pesquisa. A pesquisa de atitude realizada revelou uma opinião majoritariamente favorável à adoção homoafetiva, perfazendo um total de 63%. Este resultado revelou-se surpreendente uma vez que 80% da população entrevistada praticava o cristianismo e, diante do que é popularmente conhecido sobre a religião, poderia mostrar-se desfavorável à famílias homoafetivas. Nesse sentido, as pesquisadoras levantaram a hipótese de que a escolarização da população pesquisada (majoritariamente de nível superior) pode ter revelado um impacto positivo na ausência de preconceitos com relação à capacidade de famílias homoafetivas fornecerem um ambiente adequado ao desenvolvimento físico, mental e emocional das crianças adotadas. Ainda com relação aos resultados apresentados, 14,2% das respostas demonstraram uma atitude neutra com relação ao fenômeno pesquisado e 22,8% demonstraram uma atitude desfavorável em relação a adoção por famílias homoafetivas. Os resultados apresentados acabam sugerindo que o preconceito com relação a essa estrutura familiar esteja se mostrando cada vez menos presente em nossa sociedade.

 

 


Keywords


Adoção; família homoafetivas; representações sociais.

References


BARANOSKI, M.C.R. A adoção em relações homoafetivas. 2.ed. Ponta Grossa, PR: Editora UEPG, 2016.

BRICKER, Darrel; IBBITSON, John. Empty Planet: The Shock of Global Population Decline. New York: Ed. Robinson, 2019

COSTA, T. M. M. L. Adoção por pares homoafetivos: uma abordagem jurídica e psicológica. sin loco: 2002.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Cadastro Nacional de Adoção. Disponível em: Acesso em: 02 mai 2019

__________________________________. Casamento homoafetivo: norma completa quatro anos, 2017. Disponível em:

DEUS, E. Nova Lei da Adoção e Homoafetividade. Instituto Brasileiro de Direito de Família, 12 de agosto de 2009. Disponível em:. Acesso em: 16 de junho de 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas do Registro Civil, 2017. Disponível em: acesso em 16 de março de 2019.

_____________________________________________________. Sala de Imprensa. Registro civil 2014: Brasil teve 4.854 casamentos homoafetivos, 2015. Disponível em: < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/15160-registro-civil-2014-brasil-teve-4-854-casamentos-homoafetivos> acesso em 20 de março de 2019.

MACEDO, Ermelinda et al. Bullying escolar e avaliação de um programa de intervenção. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, Porto, n. spe1, p. 15-20, abr. 2014. Disponível em . Acesso em 01 maio 2019.

MAUX, A. A. B.; DUTRA, E. A adoção no Brasil: algumas reflexões. Universidade Estadual do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, 2010.

OLIVEIRA, NHD. Recomeçar: família, filhos e desafios [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 236 p. ISBN 978-85-7983-036-5. Available from SciELO Books.

PAPALIA, D. E. Desenvolvimento Humano. 12.ed. Porto Alegre: AMGH, 2013

PEREZ, C.B. Adoção homoparental: a jurisprudência como instrumento facilitador da concretização do direito ao planejamento familiar de casais homoafetivos. Volta Redonda, Rio de Janeiro: 2016.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Notícias STF, 2011. Disponível em: acesso em 14 de março de 2019.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Número de crianças aptas a adoção e pretendentes inscritos no cadastro estadual centralizado - CEJAI/SP - 2015. Disponível em: acesso em 14 de março de 2019.

WEBER, L. N. D.; SILVA, A. A. Pais e filhos por adoção no Brasil: características, expectativas e sentimentos. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-115

Refbacks

  • There are currently no refbacks.