Diversidades de gêneros e acesso à saúde: concepção dos estudantes de medicina e enfermagem do centro universitário de Patos de Minas / Gender diversity and health acess: perceptions of the students of nursing and medicine of centro universitário patos de Minas

Luíza Pereira Lopes, Maria Gabriela Ferreira Carvalho, Laís Moreira Borges Araujo

Abstract


As diversidades de gênero vivenciam diversas formas de preconceitos e violências cotidianas. Uma das maneiras de discriminação vivida é a dificuldade em acessar o Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que muitos profissionais de saúde não estão capacitados em atender às singularidades de um indivíduo LGBT e acoplam os seus valores morais ao atendimento de maneira a provocar situações constrangedoras. Consequentemente, muitos transexuais, travestis, lésbicas, bissexuais, intersexuais e gays, se distanciam do âmbito da saúde. Sabe-se que há a existência de variadas leis que amparam a qualidade de vida da comunidade LGBT. Portanto, entende-se que o problema não está na formulação de programas governamentais, mas na formação e práxis dos médicos e enfermeiros. A partir disso, este trabalho buscou compreender a percepção dos estudantes do Centro Universitário Patos de Minas (UNIPAM) sobre a necessidade do entendimento acerca do contexto de saúde vivido pelos diversos tipos de gênero, para atender as demandas dessa comunidade da melhor maneira possível. Dessa forma, a amostra do estudo foi composta pelos estudantes de graduação, do Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM, dos cursos de Enfermagem e Medicina, matriculados, de todos os períodos e ambos os sexos. Os entrevistados receberam orientações e assinaram o termo de consentimento livre esclarecido, para que, assim, pudessem responder o questionário estruturado com perguntas sobre conhecimentos quanto a conceituação dos diferentes gêneros, peculiaridades de atendimento, políticas de amparo, necessidade ou não de mudança na conduta dos profissionais na atualidade, além da análise se existe a abordagem do tema durante a graduação nos cursos e se é passível a modificação dessa conjuntura. Quanto aos resultados, a parte qualitativa foi feita por análise temática, através de categorizações, e a quantitativa, foram apresentadas sob a forma de frequência simples, médias, medianas, porcentagem por meio do programa estatístico Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão 20, além da elaboração de correlações, por meio do método estatístico chamado de “Coeficiente de Correlação Rô (ρ) de Spearman”. Mediante as informações coletadas, observou-se falha na formação acadêmica para melhor conduta no atendimento a essa população e interpretações equívocas sobre a definição e a realidade das diversidades de gênero.

 


Keywords


Atenção à Saúde; LGBT; Medicina; Enfermagem; Humanização.

References


BAUER, Lidiane. Estimação do Coeficiente de Correlação de Speraman Ponderado. Abril, 2017. 95 p. Mestrado em Epidemiologia, do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da UFRGS - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BORGES, Carla Cristina; PEREIRA, Fábio Rodrigues; LEÃO, Mariza Ferreira. “Trans” pondo o arco-íris: uma análise acerca do suporte social oferecido aos transgêneros de Patos de Minas e região. Revista Perquirere, Patos de Minas, n. 9, v. 1, ago. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Gênero e Diversidade na escola. Brasília, 2009.

CARVALHO, Vanessa Azambuja. As representações sociais de mulheres lésbicas sobre atenção à sua saúde. 2013. Conclusão de Curso de Especialização em Saúde Pública - Faculdade de Medicina, Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul, Porto Alegre, 2013.

FACCHINI, Regina. Direitos humanos e diversidade sexual e de gênero no Brasil: avanços e desafios. Jornal da UNICAMP - 25 jun. 2018. Disponível em: < https://www.unicamp.br/unicamp/ju/artigos/direitos-humanos/direitos-humanos-e-diversidade-sexual-e-de-genero-no-brasil-avancos-e>. Acesso em: 28 de fev. 2019.

FREITAS, Flávia Rachel Nogueira De Negreiros. Saúde da população LGBT: da formação médica à atuação profissional. 2016. 66 p. Mestrado em Ciências da Saúde, Política Planejamento e Gestão em Saúde – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2016.

GUARANHA, Camila. Travestis e Transexuais: a questão da busca pelo acesso à saúde. 2011. 12p. Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional da UFRGS – Faculdade de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande Do Sul, Porto Alegre, 2011.

PIMENTEL Machado, Carolina, Amorim Costa, Cristiane Maria, Costa Martins, Elizabeth Rose, Ribeiro Francisco, Marcio Tadeu, Clos, Araci Carmem, Spindola, Thelma. A percepção dos graduandos de enfermagem acerca do cuidar a clientes transexuais. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 4 abril. 2012.

Organização Mundial da Saúde. CID-11 - Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. Disponível em: Acesso em: 27 de fev. 2019.

ROGERS, João. et al. Pessoas Trans na Atenção Primária: análise preliminar da implantação no município de Florianópolis, 2015. Saúde & Transformação Social, Florianópolis, v.7, n.3, p.49-58, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-092

Refbacks

  • There are currently no refbacks.