Angiografia cerebral: agente modificador no desfecho do diagnóstico de aneurismas cerebrais e em seu planejamento cirúrgico / Cerebral angiography: modifying agent in the discharge of diagnosis of cerebral aneurysms and in its surgical planning

Brenda Velluma Soares de Azevedo, Larissa Neves de Lucena, Aristócles Hitallo Bezerra, Filipe José da Silva, Amanda Maria Lemos da Silva, Carísia Feitosa Soares, Marcos Wagner de Sousa Porto

Abstract


Introdução: Aneurismas intracranianos (AICs) são dilatações das paredes de artérias localizadas normalmente em pontos de bifurcação na base do crânio. Com o crescente número de doenças cerebrais desenvolvidas na população, diagnósticos diferenciais são essenciais na caracterização da doença. Objetivos: Objetivou-se com esse estudo averiguar a importância da aplicação da Angiografia Cerebral, classificada como padrão ouro, para a identificação, diagnóstico, tratamento ou exclusão de aneurismas intracranianos cerebrais. Metodologia: A pesquisa em questão foi realizada através do levantamento de pacientes do banco de dados do INCOR- HAT de Campina Grande-PB, selecionados apenas os encaminhamentos do Hospital Regional de Emergência e Trauma de Campina Grande, classificados como AICS, dos anos de 2017 e 2018 e sendo excluídos os pacientes de atendimento particular ou com planos de saúde. Efetuou-se, em conjunto, pesquisa bibliográfica de artigos, utilizando dados do SciELO e PUBmed, através de palavras-chaves como: angiografia cerebral e aneurisma intracraniano. No total, foram utilizados 5 artigos dentre os encontrados, os critérios de inclusão utilizados foram estudos relevantes publicados nos últimos 5 anos, tanto em inglês como em português, relacionados com a temática. Resultados: Dos 33 pacientes encaminhados com suspeita de portar AICs, através da realização do exame de Angiografia Cerebral, 54,5% deles foram atribuídos como portadores da doença, sendo submetidos ao tratamento adequado a partir da categorização e definição precoce do laudo do exame. Os demais pacientes, foram dispersados entres estenoses, malformações arteriovenosas (MAVs) ou sem classificação. Conclusão: Sendo assim, observa-se a contínua importância da realização do exame de Angiografia Cerebral como preditor positivo para diagnóstico de aneurismas intracranianos, exclusão de outras enfermidades e para seu desfecho, uma vez que, através do exame, pode-se identificar e classificar o vaso acometido precisamente, o que auxilia no desenvolvimento do tratamento através de um  planejamento cirúrgico coerente.

Keywords


Aneurisma Intracraniano; Diagnóstico; Angiografia Cerebral.

References


MAEDA, K. et al. A new option using adjunctive microsheath angiography to increase the safety during percutaneous endovascular aortic aneurysm repair, J Cardiovasc Surg, Japão,

TANAKA, J. et al. Importance of source images of time-of-flight magnetic resonance angiography in the diagnosis of low-flow dural arteriovenous fistulae after traumatic brain injury, BMJ Case Rep, Japão, 2018

KITAMURA,M. et al. Dominância dos seios venosos cranianos: o que esperar? Análise de 100 angiografias cerebrais, arq. psiquiatria, Pernambuco, 2017

LUNELLI, N. et al, Evaluation of occupational and patient dose in cerebral angiography procedures, Radiologia Brasileira,vol. 46, São Paulo, 2013

SPOTTI, A. et al., Angiografia pela ressonância magnética nos aneurismas intracranianos, arq psiquiatria, São Paulo, 2001

GREENBERG, Mark. Handbook of Neurosurgery. 8th ed. Thieme; 2016.

ALAKBARZADE, V.; PEREIRA, A. C. Cerebral catheter angiography and its complications. Pract Neurol, v. 1, n,1, p. 1-6, 2018.

AJIBOYE, Norman et al. Unruptured cerebral aneurysms: evaluation and management. The Scientific World Journal, v. 2015, 2015.

LAURIC, Alexandra; HIPPELHEUSER, James E.; MALEK, Adel M. Critical role of angiographic acquisition modality and reconstruction on morphometric and haemodynamic analysis of intracranial aneurysms. Journal of neurointerventional surgery, v. 10, n. 9, p. 911-915, 2018.

ZANATY, Mario et al. Endovascular Management of Cerebral Aneurysm. Translational stroke research, v. 5, n. 2, p. 199-206, 2014.

LAUREANO, Vinícius Santos; ZIRRETTA, José Carlos; KOCH, Hilton Augusto. Angiografia por tomografia computadorizada dos aneurismas intracranianos. Radiologia Brasileira, v. 35, n. 3, p. 155-160, 2002.

URICCHIO, M et al. Computed Tomography Angiography Versus Digital Subtraction Angiography for Postclipping Aneurysm Obliteration Detection. Stroke, v. 50, n. 2, p. 381-388, 2019.

EGBE, Alexander C.; PADANG, Ratnasari; CONNOLLY, Heidi. INTRACRANIAL ANEURYSMS IN PATIENTS WITH BICUSPID AORTIC VALVE: PREVALENCE AND PREDICTORS OF OCCURENCE. Journal of the American College of Cardiology, v. 69, n. 11 Supplement, p. 2026, 2017.

COLEN, Teran W. et al. Effectiveness of MDCT angiography for the detection of intracranial aneurysms in patients with nontraumatic subarachnoid hemorrhage. American Journal of Roentgenology, v. 189, n. 4, p. 898-903, 2007.

CHO, Su-hee et al. Diagnosis of Cerebral Aneurysm Via Magnetic Resonance Angiography Screening: Emphasis on Legal Responsibility Increases False Positive Rate. Neurointervention, v. 13, n. 1, p. 48, 2018.

MARCIANO, David et al. Follow-up of intracranial aneurysms treated with stent-assisted coiling: comparison of contrast-enhanced MRA, time-of-flight MRA, and digital subtraction angiography. Journal of Neuroradiology, v. 44, n. 1, p. 44-51, 2017.

LUO, Zhuren et al. Comparison of the accuracy of subtraction CT angiography performed on 320-detector row volume CT with conventional CT angiography for diagnosis of intracranial aneurysms. European journal of radiology, v. 81, n. 1, p. 118-122, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-065

Refbacks

  • There are currently no refbacks.