Consumo excessivo de bebidas potencialmente erosivas: implicações a saúde pública / Excessive consumption of potentially erosive beverages: implications for publichealth

Orquídea Vasconcelos dos Santos, Stephanie Dias Soares, Evelyn Laís Santos Vieira, Laís Ribeiro Corrêa Lisbôa, Douglas Marley Lopes Pinto, Adriano Cruz da Costa Maciel, Francisco das Chagas Alves do Nascimento

Abstract


A frequente e desenfreada ingestão de bebidas industrializadas como sucos, néctar e refrescos, vêm sendo apontadas como causadoras de algumas patologias na cavidade bucal, pois dependendo do pH da bebida, pode-se haver perda de minerais importantes para os dentes e, ainda, promover a instalação de cárie, conforme a frequência da ingestão e quantidade de açúcar presente. Desse modo, a dieta pode ser considerada como um dos fatores extrínsecos enquanto agente causador da erosão dental. Desse modo, esse artigo visa realizar um levantamento da produção científica atual referente ao temas relacionando as implicações à saúde pública induzida pelo consumo excessivo de bebidas potencialmente erosivas. Para alcançar tal objetivo faz-se uso de uma revisão sistemática, cujo princípio é produzir dados a partir da literatura sobre determinado tema, para além da revisão tecemos reflexões sobre as implicações e soluções no estudo do tema em questão.Os dados mostram uma relação alarmante de ação entre determinados alimentos e as consequentes alterações na estrutura dentária, recentes pesquisas buscam relacionar o consumo excessivo de determinados alimentos sobre a saúde dentaria e seus demais fatores relacionados á saúde pública. Além, do desacordo com a análise critica da rotulagem de alimentos, verificou-se que esta bebidada estava caracterizada como "néctar" e com concentração de suco de 10%, porém, para ser classificado nesse tipo, essa concentração deve ser maior do que 20%. Pôde-se concluir que há necessidade de ação conjunta de nutricionistas, odontologistas e de órgãos de fiscalização sobre determinados alimentos, com destaque para as bebidas industrializadas em virtude de sua ação sobre o surgimento desmineralização e erosão do esmalte dentário, além de desconformidades com a legislação vigente a respeito das especificações na embalagem, interferindo nos direitos do consumidor.


Keywords


Bebida; Erosão dentária; Rotulagem de alimentos.

References


ARATO, C.V.; VIVIANE FUSCO, V. Acid diet influenceonerosiontooth: evaluation pH beverageindustrialized. Journal Health Science Inst.2016;34(3):149-52.

BRASIL, ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico Sobre Rotulagem Nutricional De Alimentos Embalados. Resolução - RDC Nº 360, de 23 de dezembro de 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução Diretoria Colegiada RDC nº 18 de 27 de abril de 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. 27 abr. 2010. Brasília. 2010.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 12, de 4 de setembro de 2003. Regulamento Técnico para fixação dos padrões de Identidade e Qualidade Gerais para o Suco Tropical e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília-DF, Ed. nº 174, de 9 de setembro de 2003.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regulamenta a Lei nº 8.918, de 14 de julho de 1994, que dispõe sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção, a produção e a fiscalização de bebidas (Decreto nº 6.871 de 4 de junho de 2009). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 2009.

CARDOSO, A.M.R. et al. Características Físico-Químicas de Sucos de Frutas Industrializados: Estudo in vitro. Odonto. Paraíba, v. 21, n. 41, p. 9-17, 2014.

COCHRANE N.J. et al. Erosivepotentialof8. sportsbeverages. Australian Dental Asso-ciation, 2012.

COLLET. G.O. et al. Systematicandcriticalliteraturereviewrelatingfoodsandbeveragesto dental erosin in children. Revista UNINGÁ, Maringá, v. 55, n. S3, p. 12-19, out./dez. 2018

CHATURVEDI,P. et al.Assessment of Tooth Wear Among Glass Factory Workers: WHO 2013 Oral Health Survey. JCDR.2015; 9 (8):63-6.

DANIEL CPet al. Perimolysis: case report. RGO, Revista Gaúcha de Odontologia. 2015;63(2):213-8.

FIGUEIREDO, V.M.G.; SANTOS, R.L.; BATISTA, A.U.D. Avaliação de hábitos de higiene bucal, hábitos alimentares e pH salivar em pacientes com ausência e presença de le¬sões cervicais não cariosas. Revista de Odontologia. UNESP. 2013 Nov-Dec; 42(6): 414-419.

GARCIA, T. et al. Desmineralização das superfícies do órgão dental por meio do consumo de substâncias líquidas ácidas. Archivesof Health Investigation, 2017, 5.

LI, H.;YAN, Z.; GANGGIAANG, D.DietaryFactors Associ¬ated with Dental Erosion: A Meta-Analysis. PlosOne. 7(8), e42626, 2012.

MORETTO, M.J. et al. Erosão dentária provocada por bebidas ácidas. Revista Saúde Multidisciplinar – v. 4, p. 98-107 – Março de 2017.

RIBEIRO, B. Bebidas desportivas e bebidas energéticas. Rev. Medicina Desportiva, 4 (5), pp. 14–16, 2013.

ROGÉRIO, L. C., et al. Estudo do pH de néctar de uva. ANAIS SIMPAC, v. 8, n. 1, 2016.

SOARES, et al. Implicações a Saúde Pública Induzidas pelo Consumo Excessivo de Bebidas Potencialmente Erosivas. In: Congresso de Educação em Saúde da Amazônia, 7., 2018, Belém. Anais... Belém: UFPA, 2018.

TREMEA, G.et al. Relação entre o consumo de alimentos Ácidos com a erosão dentária. Revista Ciência e Saúde. v.18, n. 1, p. 32-36, jan-jun, 2016.

TUÑAS, I. T.C; MEDEIROS, U.V; TEDESCO, G; BASTOS, L.F. Occupational dental erosion: clinicalaspectsandprevention. Revista brasileira de odontologia., Rio de Janeiro, v. 73, n. 3, p. 206-11, jul./set. 2016.

SÃO JOÃO, C. A. M.Comportamentos alimentares e erosão dentária em atletas. (Dissertação). Universidade Fernando Pessoa Faculdade de Ciências da Saúde Porto 2017, p. 29.

UHLEN, M.M. et al.The sus- ceptibility to dental erosion differs among individuals. Caries Res. 2016;50(2):117-23.

OLIVEIRA, C.L.; ANDRADE, F.A.; FERNANDES NETO, J.A. et al. Influência das propriedades físico-químicas dos iogurtes no desenvolvimento da erosão dental. Archivesofhealthinvestigation. Paraíba, v. 6, n. 5, p. 235-39, 2017.

OSTROWSKA, A.et al. EvaluationoftheErosivePotentialofSelectedIsotonic Drinks: In Vitro Studies. Advances in Clinicaland Experimental Medicine. 25(6), pp.1313–1319. 2016.

SOARES, A.K.; BONVINI, B.; FARIAS, M.M.A.G. Avaliação do potencial erosivo e cariogênico de sucos artificiais em pó. Revista de Odontologia da UNESP. São Paulo, v. 26, n. 3, p. 197-204, 2014.

SOARES, B.R; DIAS, F.P; FRANCISCO, V.G. et al. Atitudes relativas ao consumo alimentar de escolares da zona sul de São Paulo/SP. DisciplinarumScientia. Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 323-37, 2017.

SALAS, M.et al.Impactof diet ontootherosion. Evidence-BasedDentistry. 17(2), p.40, 2016.

SOUZA, H. A. J. A relação da dieta com a prevalência de cárie dentária em jovens de 17 a 21 anos em município do nordeste brasileiro. 2017. Bachelor'sThesis. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 2017.

SASAKI, C. A. L.; MARETH, B. L.; ARRUDA, S. F.; COSTA, T. H. M. Avaliação da rotulagem de suplementos energéticos em Brasília. RevBrasMed Esporte – Vol. 24, No 1 – Jan/Fev, 2018.

SØVIK, J., SKUDUTYTE-RYSSTAD, R., TVEIT, A., SANDVIK, L. & MULIC, A. (2015). Soursweetsandacidicbeverageconsumption are riskindicators for dental erosion. Caries Research.49(3), pp.243–250.

HAMASHA, A., ZAWAIDEH, F. & AL-HADITHY, R. (2014). Riskindicatorsassociatedwith dental erosionamongJordanianschoolchildrenaged 12-14 yearsof age. InternationalJournalofPaediatricDentistry. 24(1), pp.56– 68.

NEEDLEMAN, I.et al. Oral healthandimpacton performance ofathletesparticipating in the London 2012 Olympic Games: a cross-sectionalstudy. British Journalof Sports Medicine. 47(16), pp.1054–8. 2013.

PINTO, S.et al.Erosivepotentialofenergy drinks onthedentinesurface. BMC Research Notes, 6, p.67. 2013.

MAEDA, Y.et al. Mouthguardandsports drinks ontoothsurface pH. InternationalJournalof Sports Medicine.35(10), pp.871–873. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-027

Refbacks

  • There are currently no refbacks.