Perfil de medicamentos utilizados por idosos institucionalizados da região Médio-Araguaia/Aragarças-GO / Drugs profile used by institutionalized elderly in the Middle-Araguaia/ Aragarças-GO region

Priscilla Nicácio da Silva, Letícia Pereira Gehm, Inara Rege Lopes, Izabella Chrystina Rocha, Satie Katagiri

Abstract


O objetivo do presente trabalho foi analisar o perfil dos medicamentos utilizados e identificar a caracterização sócio demográfica de idosos institucionalizados.Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, retrospectivo com abordagem quantitativa, realizado com prontuários de 60 idosos nas dependências da Associação Beneditina da Providência, instituição de longa permanência no Município de Aragarças, região do médio Araguaia no período de setembro a dezembro de 2017. Resultados:Os resultados demonstraram que as medicações mais utilizadas são anti-hipertensivos, antipsicóticos, antidepressivos e diuréticos. Outras medicações são utilizadas em menor quantidade, atendendo a necessidades individuais. Além disso, a maioria dos idosos eram do gênero feminino, solteiras, com filhos, remunerados pela aposentadoria e tempo máximo de institucionalização de 18 anos. Conclusão: Conclui-se que as medicações utilizadas são comuns para o controle doenças crônicas características para o grupo estudado tais como anti-hipertensivos e diuréticos, com destaque para a grande quantidade dos que fazem uso de antipsicóticos e antidepressivos. É imperativo instituir ações que recuperem a autoestima destes idosos, buscando promover o bem-estar e a qualidade de vida.


Keywords


Medicamentos. Instituição de longa permanência para idosos. Idosos.Médio-Araguaia.

References


OLSSON, I. N.; RUNNAMO, R.; ENGFELDT P.; Qualidade de medicação e qualidade de vida em idosos. estudo de corte, Health and Quality of Life Outcomes 2011https://hqlo.biomedcentral.com/articles/10.1186/1477-7525-9-95acesso em 04 de abril de 2019.

SIMÕES, R; MOURA, M. M; MOREIRA, W. W. Esperando a morte: o corpo do idoso institucionalizado. Polêm!ca, v. 16, n.3, p. 49-61, julho, agosto e setembro 2016 - DOI: 10.12957/polemica.2016.25202 https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/polemica/article/view/25202/18024acesso em 04 de abril de 2019.

ALVES, J. R. N.; MOURA, I. C. P.; PEREIRA, A. K. P.; OLIVEIRA, D. G.; GOUVEIA, V. A. Caracterização de idosos com doenças crônicas em uma instituição de longa permanência no município de Vitória de Santo Antão – PE. Congresso Internacional em envelhecimento humano (CIEH). https://editorarealize.com.br/revistas/cieh/trabalhos/TRABALHO_EV075_MD4_SA2_ID304_11092017210744.pdf acesso em 06 de abril de 2019

SILVA, A. L.; RIBEIRO, A. Q.; KLEIN, C. H.; ACURCIO, F. A. Utilização de medicamentos por idosos brasileiros de acordo com a faixa etária: um inquérito postal. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 28(6):1033-1045, jun, 2012 http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2012000600003

GOH, L. Y.; VITRY, A. I.; SEMPLE, S. J.; ESTERMAN, A.; LUSZCZ, M. A. Self-medication with over-the-counter drugs and complementary medications in South Australia’s elderly population.BMC Complement Altern Med. 2009;9:42. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2778637/ acesso em 04 de abril de 2019

OLIVEIRA, L. P. B. A; SANTOS, S. M. A. Uma revisão integrativa sobre o uso de medicamentos por idosos na atenção primaria à saúde. - Rev Esc Enferm USP • 2016;50(1):167-179 http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v50n1/pt_0080-6234-reeusp-50-01-0167.pdf acesso em 04 de abril de 2019

FARIAS, R. G.; SANTOS, S. M. A. Influência dos determinantes do envelhecimento ativo entre idosos mais idosos.Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2012 Jan-Mar; 21(1): 167-76.http://www.index-f.com/textocontexto/2012pdf/21-167.pdf acesso em 04 de abril de 2019

LANGFORD, B. J.; JORGENSON, D.; KWAN, D.; PAPOUSHEK, C. (2006). Implementation of a self-administered questionnaire to identify patients at risk for medication related problems in a family health center.Pharmacotherapy, 26(2), 260-268. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16466331 acesso em 04 de abril de 2019

FERREIRA, D. C. O.; YOSHITOME, A. Y. Prevalência e característica das quedas de idosos institucionalizados. Rev Bras Enferm, Brasília Bras Enferm, Brasília 2010 nov-dez; nov-dez; 63(6): 991-7 http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n6/19.pdf acessado em 09 de abril de 2019

BRASIL, 1998 Brasil. Lei n.º 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Política Nacional do Idoso, Brasília, DF: Ministério da Justiça, Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, 1998. https://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Normativas/politica_idoso.pdf acesso em 04 de abril de 2019

FREITAS, M. A. V., SCHEICHER, M. E. (2010). Qualidade de vida de idosos institucionalizados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 13(3), 395-401. Recuperado em 10 dezembro, 2016, de: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v13n3/a06v13n3.pdfacesso em 04 de abril de 2019

LISBOA, C. R.; CHIANCA, T. C. M. Perfil epidemiológico, clínico e de independência funcional de uma população idosa institucionalizada. Rev Bras Enferm. 2012 http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672012000300013 acesso em 04 de abril de 2019

MOURA, S. K.; SIMÕES, T. C.; OGAWA, A. C.; POLI-FREDERICO, R. C.; MACIEL, S. M. Prevalência da doença periodontal entre idosos e fatores demográficos associados: estudo piloto.UNICIÊNCIAS, v.20, n.2, p.70-75, 2016 https://www.researchgate.net/publication/312478985_Prevalencia_da_Doenca_Periodontal_entre_Idosos_e_Fatores_Demograficos_Associados_Estudo_Piloto acesso em 04 de abril de 2019

AZEVEDO, L. M.; LIMA. H. H. G.; OLIVEIRA, K. S. A.; MEDEIROS, K. F.; GONÇALVES, R. G.; NUNES, V. M.; PIUVESAM, G. Perfil sociodemográfico e condições de saúde de idosos institucionalizados.Rev. Bras. Pesq. Saúde, Vitória, 19(3): 16-23, jul-set, 2017 http://periodicos.ufes.br/RBPS/article/view/19560 acesso em 04 de abril de 2019

GÜTHS, J. F. S.; JACOB, M. H. V. M.; SANTOS, A. M. P. V.; AROSSI, G. A.; BÉRIA, J. U.; . Sociodemographic profile, family aspects, perception of health, functional capacity and depression in institutionalized elderly persons from the north coastal region of Rio Grande do Sul, Brazil.Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2017; 20(2): 175-185 http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232017000200175 acesso em 04 de abril de 2019

VELOSO, M. V.; FIGUEIREDO M. L. F.; NUNES, B. M. V. T.; NETO, J. M. N.; OLIVEIRA, A. V.; SILVA, R. V.; GALVÃO M. S. L.; Dependência funcional em idosos institucionalizados e o déficit de memória; REVISTA IBERO-AMERICANA DE SAÚDE E ENVELHECIMENTO http://www.revistas.uevora.pt/index.php/saude_envelhecimento/article/view/144 acesso em 04 de abril de 2019

MIRANDA, É. A.; FERREIRA A. M.; MONTSERRAT, P. M.; OLIVEIRA, G. H. M. Efeitos de um programa de exercício físico ao ar livre em diabéticos e hipertensos atendidos em um núcleo de apoio a saúde da família de Lagoa da Prata-MG. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo. v.11. n.65. p.164-172. Mar./Abril. 2017 http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/1049 acesso em 04 de abril de 2019

DISRAELY, F. R. L.; Influência dos hábitos alimentares e prática de atividade física no controle do peso corporal e valores sanguíneos para glicose, triglicerídeos e colesterol, 2012. (Trabalho de conclusão de curso)- Departamento acadêmico de tecnologia em alimentos – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa. http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/7693/1/PG_COALM_2012_1_09.pdfacesso em 04 de abril de 2019

ALOMAR, M. J. Factors affecting the development of adverse drug reactions (Review article). Saudi Pharm J. [Internet]. 2014 [Acesso 31 mar 2019];22(2):83-94. doi: 10.1016/j.jsps.2013.02.003 https://www.researchgate.net/publication/260609965_Factors_affecting_the_development_of_adverse_drug_reactions_Review_article acesso em 04 de abril de 2019

ASSIS, D. L.; CHAGAS, V. O.; VALENTE M.; GORZONI, M. L. Polifarmácia e uso de medicamentos inapropriados em idosos institucionalizados: lições ainda não aprendidas. Geriatr., Gerontol Aging. 2016; 10:126-31.http://ggaging.com/details/376/en-US/polifarmacia-e-uso-de-medicamentos-inapropriados-em-idosos-institucionalizados--licoes-ainda-nao-aprendidasn acesso em 06 de abril de 2019

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA/Sociedade Brasileira de Hipertensão/Sociedade Brasileira de Nefrologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol 2010; 95 (1 supl. 1): 1-51. https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/4879.pdf acesso em 04 de abril de 2019

MILLER, J. C.; RODRIGUES, N. S.; RIBEIRO, N. F.; BARRETO, J. G.; OLIVEIRA, C. G. A. Acta Biomedica Brasiliensia / Volume 7/ nº 1/ Julho de 2016. http://www.actabiomedica.com.br/index.php/acta/article/view/25/103 acesso em 04 de abril de 2019

REIS, L. A.; ARAÚJO, C. C.; NOVAES, L. K. N. Rastreamento cognitivo de idosos institucionalizados no município de Jequié-BA. Psicol Estud. 2010;14(2):295-301. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-73722009000200010&script=sci_abstract&tlng=pt acesso em 04 de abril de 2019

FABER, L. M.; SCHEICHER, M. E.; SOARES, E. (2017). Depressão, Declínio Cognitivo e Polimedicação em idosos institucionalizados.Revista Kairós Gerontologia, 20(2), 195-210. ISSNe 2176-901X. São Paulo (SP), Brasil: FACHS/NEPE/PEPGG/PUC-SP https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/34922 acesso em 04 de abril de 2019

NÓBREGA, I. R. A. P.; LEAL M. C. C.; MARQUES, A. P. O.; VIEIRA, J. C. M. Fatores associados à depressão em idosos institucionalizados: revisão integrativa. Saúde Debate. 2015;39(105):536-50. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-11042015000200536&script=sci_abstract&tlng=es acesso em 04 de abril de 2019




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-017

Refbacks

  • There are currently no refbacks.