Resiliência dos estudantes de enfermagem de uma universidade na Baixada Fluminense/RJ / Resilience of nursing students from a university in the Baixada Fluminense/RJ

Cristiane Aguiar da Silva Ruas, Flaviana Pereira Bastos Nascimento, Ingrid de Araújo Lima Magalhães, Raquel Juliana de Oliveira Soares

Abstract


Resiliência é um processo interativo entre a pessoa e o seu meio, processo que irá fortalecer e capacitar o indivíduo para lidar com as adversidades de uma forma positiva. Atualmente estudos sobre resiliência tem ocupado maior espaço nos diversos contextos onde o ser humano atua.  Objetivo: avaliar os indicadores de resiliência dos estudantes de enfermagem no ensino superior. Método: O Estudo foi realizado em uma Universidade Privada situada na Baixada Fluminense/RJ. Teve como Critérios de Exclusão, os estudantes que não estavam frequentando as aulas amparadas por Benefício Lei ou Regime Especial. Foi utilizado um questionário com perguntas para caracterização dos participantes e a Escala de Resiliência desenvolvida por Wagnild e Young, que mede níveis de adaptação psicossocial positiva em face de eventos de vida importantes. Resultados: Participaram da pesquisa 56 estudantes, todos do 7º período. 79% do sexo feminino. 39% na faixa etária de 20 a 27 anos. 68% cursam de 4 a 7 disciplinas e 57% estudam no turno da tarde. 75% dos participantes exercem alguma atividade ocupacional. Evidencia-se que (39,3%) dos entrevistados possui elevada resiliência, 37,5% possuem resiliência moderada e 23,2% possuem baixa resiliência, o que pode gerar alto índice de estresse, depressão e ansiedade influenciando no comportamento e na formação desses futuros enfermeiros. Conclusão: A resiliência é uma competência importantíssima que deve ser desenvolvida e aperfeiçoada nos indivíduos, visto que ser resiliente vai além da temática de superar as adversidades. Envolve uma reconstrução contínua dos aspectos pessoais.


Keywords


Resiliência psicológica, Estudantes de enfermagem, Saúde do trabalhador.

References


Pinheiro DPN. A resiliência em discussão. Psicologia em Estudo, Maringá, 9(1):67-75, 2004.

Garcia, I. Vulnerabilidade e Resiliência. Adolescencia Latinoamericana, 2: 128-130, 2001.

Assis SG, Pesce RP, Avanci JQ. Resiliência: enfatizando a proteção dos adolescentes. Porto Alegre: Artmed, 2006.

Saupe R. et al. Qualidade de vida dos acadêmicos de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, 12(4): 636-642, 2004.

Silva EC, Heleno MGV. Qualidade de vida e bem-estar subjetivo de estudantes universitários. Revista Psicologia e Saúde, Campo Grande, 4(1):69-76, 2012.

Gonçalves DVC et al. Percepção sobre o adoecimento entre estudantes de cursos da área da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, Montes Claros, 39(1):102-111, 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2017.

Lima-Costa MF, BARRETO SM. Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 12(4):189-201, 2003. Disponível em: . Acesso em: 29 maio. 2015.

Rothaman KJ, Greenlan S, Lash TL. Epidemiologia Moderna. Tradução: Geraldo Serra. 3ª ed., Porto Alegre: Artmed, 2011.

Pesce RP et al. Risco e proteção: em busca de um equilíbrio promotor de resiliência. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, vol. 20, n. 2, p. 135-143, maio-ago. 2004.

Wagnild GM, Young HM. Development and psychometric evaluation of resilience scale. J Meas, 1:165-175, 1993.

Angst R. Psicologia e Resiliência: uma revisão de literatura. Psicol. Argum., Curitiba, 27(58):253-260, 2009.

Coelho CH. A capacidade da resiliência, no fazer das lideranças. Revista de Educação, 15(19):75-94, 2012.

Riecken C. Sobreviver – Instinto de vencedor: os 12 portais da resiliência e a personalidade dos sobreviventes. São Paulo: Saraiva, 2006.

Fajardo IN, Minayo MCS, Moreira COF. Educação escolar e resiliência: política de educação e a prática docente em meios adversos. Aval. Pol. Públ. Educ, Rio de Janeiro, 18(69):761-774, 2010




DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4-015

Refbacks

  • There are currently no refbacks.