Educação permanente em saúde e sua implicância na saúde do trabalhador / Permanent education in health and its implication in worker health

Viviane Cunha de Abreu, Ayane Araújo Rodrigues, Niele Duarte Ripardo, Isabella Fernanda Almeida Ribeiro, Carine Meres Albuquerque da Silva, Luiza Lorena de Sousa Brito do Nascimento, Cristovania Moreira lima Abreu, Advardia Alves de Medeiros, Marina Braga de Azevedo, Alanna Valeria Aguiar Moita

Abstract


O presente estudo teve como objetivo de analisar as publicações on-line, nos anos de 2013 a 2018, acerca da Educação Permanente e sua implicância na Saúde do Trabalhador, descrevendo os aspectos mais importantes abordados e os desafios que ainda necessitam ser superados, segundo estudos da literatura. O estudo trata-se de uma revisão bibliográfica que procura responder os objetivos estabelecidos a fim de aumentar o conhecimento acerca do assunto estudado, tem o objetivo de facilitar a vida dos pesquisadores. Esse tipo de estudo permite uma abordagem metodológica ampla da literatura, sendo avaliada de forma sistemática, incluindo produções relevantes que dão suporte para tomada de decisões. O resultado dos artigos se deu por meio da categorização de três categorias: 1. Ações de educação permanente com foca na saúde do trabalhador dentro das instituições; 2. A transformação das práticas em saúde; 3. Os desafios a serem superados na efetivação da Educação Permanente.


Keywords


Educação; Educação Permanente e Saúde do Trabalhador.

References


BOMFIM, Maria Inês; GOULART, Valéria Morgana Penzin; OLIVEIRA, LêdaZorayde de. Formação docente na área da saúde: avaliação, questões e tensões. Interface (Botucatu), Botucatu , v. 18, n. 51, p. 749-758, Dez. 2014 . Acesso em: 14.07.2018.

BRASIL. Portaria Nº 2.728, de 11 de novembro de 2009.Dispõe sobre a Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador (RENAST) e dá outras providências. Ministério da Saúde. 2009. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt2728_11_11_2009.html Acesso em: 14.07.2018

BUCHAN, J. et al . Enfermeiros em funções avançadas: uma análise da aceitação em Portugal. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 21, n. set, Fev. 2013. Disponível em: . Acesso em: 14.07.2018

CONFORTO, D. C; AMARAL, D. C.; SILVA, S. L. Roteiro para revisão bibliográfica sistemática: aplicação no desenvolvimento de produtos e gerenciamento de projetos. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14.07.2018

COSTA, Cristina Maria Maués da et al . Contribuições da pós-graduação na área da saúde para a formação profissional: relato de experiência. Saude soc., São Paulo , v. 23, n. 4, p. 1471-1481, Dec. 2014. Acesso em: 14.07.2018

COTTA, R. Debates atuais em humanização e saúde: quem somos nós? Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, Jan. 2013. Disponível em: . Acesso em: 14.07.2018

FERLA, Alcindo Antônio; POSSA, Lisiane Bôer. Gestão da educação e do trabalho na saúde: enfrentando crises ou enfrentando o problema?. Interface (Botucatu), Botucatu , v. 17, n. 47, p. 927-928, Dec. 2013. Acesso em: 14.07.2018

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

GOMEZ,CarlosMinayo;COSTA, Sonia Maria da Fonseca Thedim. A construção do campo da saúde do trabalhador: percurso e dilemas. Cadernos de Saúde Pública. ISSN 0102-311X versão impressa. Cad. Saúde Pública v.13 supl.2 Rio de Janeiro 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X1997000600003&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 14.07.2018

LACAZ, F. A. C..Política Nacional de Saúde do Trabalhador: desafios e dificuldades. In: LOURENÇO, E. et al. (Org.). O avesso do trabalho II: trabalho, precarização e saúde do trabalhador. São Paulo: Expressão Popular, 2010. p. 199-230

MISHIMA, Silvana Martins et al . Perspectiva dos gestores de uma região do estado de São Paulo sobre educação permanente em saúde. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo , v. 49, n. 4, p. 0665-0673, ago. 2015 . Disponível em . Acesso em: 14.07.2018

NICOLETTO, Sônia Cristina Stefano et al . Desafios na implantação, desenvolvimento e sustentabilidade da Política de Educação Permanente em Saúde no Paraná, Brasil. Saude soc., São Paulo , v. 22, n. 4, p. 1094-1105, Dec. 2013 .

OLIVEIRA, N.A.; SIQUEIRA, H. C. H. Mestrado acadêmico em enfermagem: interfaces de sua criação na perspectiva ecossistêmica. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, Mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 14.07.2018

ROCHA, Natália Hosana Nunes; BEVILACQUA, Paula Dias; BARLETTO, Marisa. METODOLOGIAS PARTICIPATIVAS E EDUCAÇÃO PERMANENTE NA FORMAÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS/AS DE SAÚDE. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro , v. 13, n. 3, p. 597-615, Dec. 2015 . Available from . Acessoem: 14.07.2018

SILVEIRA, V. O ; PINTO, F. C. S. Reflexões necessárias sobre o mestrado profissional. 2005. Disponível em: . Acesso em: 14.07.2018

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 2010; 8 (1 P t1):102-6. Disponível em: <:http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/1134-Einsteinv8n1_p102-106_port.pdf> Acesso em: 14.07.2018

YAMAMOTO, Thaís Sayuri; MACHADO, Mônica Tereza Christa; SILVA JUNIOR, Aluísio Gomes da. EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE COMO PRÁTICA AVALIATIVA AMISTOSA À INTEGRALIDADE EM TERESÓPOLIS, RIO DE JANEIRO. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro , v. 13, n. 3, p. 617-638, Acesso em: 14.07.2018.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.