Perfil epidemiológico das infecções em uma unidade de terapia intensiva de emergência / Epidemiological profile of infections in a unit of intensive emergency therapy

Elaine Cristina Bezerra Bastos, Paloma Sabino Lima, Maria Vitória Laurindo, Louise Maria Lopes Ribeiro, Fábio Frota de Vasconcelos, Renan Rhonalty Rocha, Antônio Neudimar Bastos Costa

Abstract


As Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde se apresentam como um grave problema de saúde pública no país, aumentando a morbidade e a mortalidade entre os pacientes e resultando na elevação dos custos hospitalares. Nas unidades de tratamento intensivo de emergência, as IRAS são consideradas mais graves, pois há uma demanda de pacientes dependentes de suporte intensivo de vida, os quais são submetidos a inúmeros procedimentos invasivos e fazem uso de imunossupressores, sendo colonizados por micro-organismos multirresistentes. O objetivo desse estudo foitraçar o perfil epidemiológico de pacientes que adquiriram infecções relacionadas à assistência à saúde em uma Unidade de Terapia Intensiva da Emergência. Trata-se de um estudo documental e epidemiológico descritivo com abordagem quantitativa. Os sujeitos da pesquisa foram constituídos por pacientes internados na unidade de tratamento intensivo da emergência e a coleta de dados foi realizada no sistema da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar de um Hospital de Ensino da Região Norte do estado do Ceará, referente ao ano de 2017.Resultados: Durante o período foram identificados 24 enterobacterias. A bactéria StaphylococcusHaemolyticus foiidenticada em maior percentual. O conhecimento do perfil epidemiológico desses pacientes é importante para a determinação dos fatores de risco para aquisição desinfecção e, assim, poder implementar medidas de prevenção e diagnóstico precoce. As informações de natureza epidemiológica representam ferramentas essenciais para o planejamento, execução e avaliação das ações em saúde, permitindo que se realize o diagnostico das falhas na prestação do serviço.

 


Keywords


Infecção Hospitalar;Unidade de Terapia Intensiva; Segurança do Paciente.

References


- CORREA, K.H.R.; PEREIRA,V; MELO, G.F.; AZEVEDO,F. Prevenção e controle de infecção hospitalar em unidade de urgência e emergência. Rev. da Faculdade Estácio de Sá. Goiânia SESES – GO. VOL. 01, Nº 04, 154 – 166. Set. 2010/Dez. 2010.

- BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Critérios Diagnósticos de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. 2 Ed, 2017.

- BRASIL. Ministério da Saúde, Anvisa, Fiocruz. Protocolo para a prática de higiene das mãos em serviços de saúde. Anexo 01, 2013.

- BRASIL. Ministério da Saúde. Anvisa. PORTARIA N° 2.616, DE 12 DE MAIO DE 1998.

- SILVA M.B, GRIGOLO T.M, Metodologia para iniciação cientifica á pratica da pesquisa e da extensão II. Caderno pedagógico. Florianópolis, 2002.

-PINHEIRO, LUIZA; BRITO, CARLA IVO; DE OLIVEIRA, ADILSON; PEREIRA, VALERIA CATANELI; RIBEIRO DE SOUZA DA CUNHA, MARIA DE LOURDES. Staphylococcus epidermidis and Staphylococcus haemolyticus: detection of biofilm genes and biofilm formation in blood culture isolates from patients in a Brazilian teaching hospital.DIAGNOSTIC MICROBIOLOGY AND INFECTIOUS DISEASE, v. 86, n. 1, p. 11-14, SEP, 2016.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.