Diagnósticos de enfermagem predominantes na assistência a pacientes com acidente vascular cerebral / Predominant nursing diagnoses in assistance to patients with stroke

Sivaldo da Rocha Reis Júnior, Camila Waters

Abstract


Objetivo: Identificar e analisar, por meio de artigos científicos publicados nos últimos 10 anos, quais são os diagnósticos de Enfermagem predominantes em pacientes com acidente vascular cerebral. Metodologia: Revisão integrativa da literatura, com busca nas bases de dados BDENF, LILACS, MEDLINE e SciELO, utilizando os descritores: Acidente Vascular Cerebral e Diagnóstico de Enfermagem, buscando artigos disponíveis na íntegra, publicados nos anos de 2008 a 2018, nos idiomas português ou espanhol e que abordem a temática do estudo. Excluídos artigos de revisão e teses. Resultados: Encontrados 427 artigos e, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, permanecemos com nove artigos, sendo que dois foram publicados no ano de 2015, outros dois em 2013, outros dois em 2012 e três artigos foram publicados no ano de 2010. Citados dez diagnósticos de enfermagem: incontinência urinária, comunicação verbal prejudicada, deambulação prejudicada, risco de intolerância à atividade, risco de aspiração, mobilidade física prejudicada, estilo de vida sedentário, risco de síndrome do desuso, capacidade de transferência prejudicada e risco de quedas, sendo que cinco pertenciam ao domínio 4 – atividade e repouso e a maioria pertencia à classe II – atividade e exercício. Conclusão: As vítimas do AVC são afetadas por incapacidades que limitam suas atividades, ocasionando dificuldade de mobilidade e predispondo ao risco de quedas, que foi o diagnóstico de enfermagem mais citado nos artigos. Dessa forma, a assistência de enfermagem deve ser direcionada com o enfoque em reduzir eventos que possam causar maiores danos ao paciente, proporcionando assim uma qualidade de vida mais satisfatória.

 


Keywords


Diagnóstico de Enfermagem; Acidente Vascular Cerebral; Cuidados de Enfermagem.

References


- Andrade AF, Paiva WS, Amorim RLO, Figueiredo EG, Neto ER. Mecanismos de lesão cerebral no traumatismo cranioencefálico. São Paulo: Revista Associação Médica Brasileira. 2009;55(1):75-81. [citado 20 jul. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302009000100020

- Lewis SL, Dirksen SR, Heitkemper MM, Brucher L, Camera IM. Tratado de enfermagem médico-cirúrgica – avaliação e assistência dos problemas clínicos. 8ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2013.

- Lima ACMACC, Silva AL, Guerra DR, Barbosa IV, Bezerra KC, Oiriá MOB. Diagnósticos de enfermagem em pacientes com acidente vascular cerebral: revisão integrativa. [internet]: Revista Brasileira de Enfermagem. 2016;69(4):738-45.

- Rodrigues, TP, Dias MA, Hohl A, Mazzuco TL. Bases fisiopatológicas do traumatismo crânio-encefálico e insuficiência hipofisária pós-traumática. Londrina: Biosaúde. 2008;10(2):129-46.

- Barros ALBL, Lopes JL. A legislação e a sistematização da assistência de enfermagem. [internet]: Revista Oficial do Conselho Federal de Enfermagem. 2010;1(2):63-5. [citado 02 dez. 2018]. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/17

– Herdman TH, Kamitsuru S. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA-I – Definições e Classificações. 11ª Ed. São Paulo: Artmed Editora; 2018.

– Souza MT, Silva MD, Carvalho, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. [internet]: Einstein. 2010;8(1):102-6. [citado 20 jul. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102.pdf

– Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. [internet]: Texto Contexto. 2008;17(4):758-64. [citado 20 jul. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400018.

– Leandro TA, Araújo TL, Cavalcante TF, Lopes MVO, Oliveira TMF, Lopes ACM. Diagnósticos de enfermagem de incontinência urinária em pacientes com acidente vascular cerebral. São Paulo: Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2015;49(6):924-32. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342015000600923&lng=en&nrm=iso

– Oliveira ARS, Costa AGS, Morais HCC, Cavalcante TF, Lopes MVO, Araújo TL. Fatores clínicos preditores do risco para aspiração e aspiração respiratória em pacientes com Acidente Vascular Cerebral. Ribeirão Preto: Revista Latino-Americana de Enfermagem. 2015;23(2):216-224. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692015000200006&lng=en&nrm=iso

– Cavalcante TF, Araújo TL, Moreira RP, Guedes NG, Lopes MVO, Silva VM. Validação clínica do diagnóstico de enfermagem "risco de aspiração" em pacientes com acidente cerebrovascular. Ribeirão Preto: Revista Latino-Americana de Enfermagem. 2013;21: 250-8. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692013000700031&lng=en&nrm=iso

– Chaves DBR, Costa AGS, Oliveira ARS, Silva VM, Araújo TL, Lopes MVO. Comunicação verbal prejudicada - investigação no período pós-acidente vascular encefálico. Fortaleza: Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. 2013;14(5):877-85. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/3608

– Morais HCC, Holanda GF, Oliveira ARS, Costa AGS, Ximenes CMB, Araújo TL. Identificação do diagnóstico de enfermagem "risco de quedas em idosos com acidente vascular cerebral". Porto Alegre: Revista Gaúcha de Enfermagem. 2012;33(2):117-24. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472012000200017&lng=en&nrm=iso

– Oliveira ARS, Costa AGS, Moreira RP, Cavalcante TF, Araújo TL. Diagnósticos de enfermagem da classe atividade/exercício em pacientes com acidente vascular cerebral. Rio de Janeiro: Revista de Enfermagem da UERJ. 2012;20(2):221-28. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/4066

– Costa AGS, Oliveira ARS, Moreira RP, Cavalcante TF, Araújo TL. Identificação do risco de quedas em idosos após acidente vascular encefálico. Rio de Janeiro: Escola Anna Nery. 2010a;14(4):684-9. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452010000400005&lng=en&nrm=iso

– Costa AGS, Oliveira ARS, Alves FEC, Chaves DBR, Moreira RP, Araújo TL. Diagnóstico de enfermagem: mobilidade física prejudicada em pacientes acometidos por acidente vascular encefálico. São Paulo: Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2010b;44(3):753-58. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342010000300029&lng=en&nrm=iso

– Moreira RP, Araújo TL, Cavalcante TF, Oliveira ARS, Holanda GF, Morais HCC, Vasconcelos JDP, Ximenes CMB, Alves FEC. Cuidador de cliente com acidente vascular encefálico: associação com diagnósticos de enfermagem. [internet]: Revista Eletrônica de Enfermagem. 2010;12(3):425-30. [citado 22 nov. 2018]. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n3/v12n3a02.htm

- Vaughans BM. Fundamentos de Enfermagem desmistificados: um guia de aprendizado. 1ª Ed. Porto Alegre: AMGH, 2012.

- Reis FC. Incontinência urinária de causa neurogênica. [internet]: Associação Portuguesa de Neurourologia e Uroginecologia. 2010. [citado 05 dez. 2018]. Disponível em: https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:WYi9IL6l4eoJ:https://www.apnug.pt/docs/docs/incontinencia_urinaria_de_causa_neurogenica.pdf+&cd=1&hl=en&ct=clnk&gl=br

- Arruda JS, Reis FP, Fonseca V. Avaliação da linguagem após acidente vascular cerebral em adultos no estado de Sergipe. [internet:] Revista CEFAC. 2014;16(3):853-62. [citado 05dez. 2018]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-18462014000300853&script=sci_abstract&tlng=pt

- Puggina ACG, Trovo MM, Biondo CA, Barbosa IA, Santos M, Silva MJP. Diagnóstico de enfermagem comunicação verbal prejudicada na prática clínica: uma revisão integrativa. [internet]: Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social. 2016;4(2):135-44. [citado 05 dez. 2018]. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/1644

- Greenberg DA, Aminoff MJ, Simon RP. Neurologia clínica. 8ª Ed. Porto Alegre: AMGH, 2014.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.