Diagnóstico diferencial para infecção cutânea crônica em região endêmica de leishmaniose / Differential diagnosis for chronic skin infection in leishmaniose endemic region

Letícia Rossetto da Silva Cavalcante, Marina Tomé Gonçalves Dias, Talita Andrade Santos Molina, Lara Moreira Oliveira, Aline Maria Viar Zagonel, Marcia Hueb

Abstract


Indivíduos residentes ou expostos à área de transmissão de Leishmaniose tegumentar americana (LTA) com úlceras crônicas devem ser investigados para a doença. Diagnósticos diferenciais incluempiodermites, paracoccidioidomicose (PCM) e carcinoma espinocelular. Realizado relato de caso a partir da revisão de prontuário e literatura. Homem, 63 anos, agricultor aposentado, tabagista, etilista, com úlcera interglútea extensa e indolor, e emagrecimento de 10kg em quatro anos. Anatomopatológico em 2013 foi positivo para LTA, tratado com antimoniato de metilglucamina sem melhora. Em 2016, quadro evoluiu com tosse seca, febre e nova úlcera retroauricular direita, apresentando raspados conflitantes, um em 2016 positivo e outro em 2017 negativo para LTA. Internado para investigação das lesões, ao exame havia leve redução do murmúrio vesicular. Tomografia de tórax com extensas consolidações irregulares em vidro fosco, difusamente distribuídas, associada a espessamento de septos interlobulares. Anatomopatológico de ambas as lesões revelou presença de células gigantes multinucleadas, com estruturas fúngicas esféricas e multiesporuladas compatíveis com PCM. Raspado e cultura para LTA negativos. Iniciado tratamento com itraconazol, resultando em melhora progressiva das úlceras. A PCM é infecção frequente no Brasil e sua manifestação tegumentar pode confundir-se com LTA. Há necessidade de investigação da coinfecção em úlceras com resposta insatisfatória ao tratamento

Keywords


Doenças negligenciadas.Leishmaniose. Paracoccidioidomicose.

References


Protásio BM, Martinez VP, ARAUJO DM. Úlcera crônica com diagnóstico presuntivo de úlcera tropical: relato de caso e revisão de literatura. Gazeta Médica da Bahia 2008;78 (2):148-152.

Ministério da Saúde. Manual de Vigilância da Leishmaniose Tegumentar Americana. Brasília: 2 ed. 2017.

Shikanai-Yasuda MA et al. II Consenso Brasileiro de Paracoccidioidomicose – 2017. Epidemiol. Serv. Saude, Brasília, 2018.

Marques SA. Paracoccidioidomycosis: epidemiological, clinical, diagnosticandtreatment.

Wanke B, Valle ACF, Oliveira RMZ, Costa RLB. Paracoccidioidomicose. In: Coura, JR, org. Dinâmica das doenças infecciosas e parasitárias. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan; 2013. v. 2; p. 1225-37.

Antunes A, Viveiros F, Carvalho A. Micobacterioses não-Tuberculosas - das Manifestações Clínicas ao tratamento. Disponível em: [http://www.scielo.mec.pt/pdf/am/v26n1/v26n1a04.pdf].


Refbacks

  • There are currently no refbacks.