Estudo da estabilidade de formulações de uso tópico contendo vitamina C manipulada em farmacias da cidade de Teresina-Pi / Study of the stability of topical use formulations containing vitamin C manipulated in pharmacies of the city of Teresina-Pi

Ana Clara Duarte dos Santos, Alane Moura Araújo, Bárbara de Oliveira Rocha, Bianca de Oliveira Rocha, Mariana Ferreira Soares Chaves, Angélica Gomes Coelho

Abstract


No âmbito da manipulação de produtos cosméticos e medicamentos, um dos principais desafios relaciona-se à estabilidade dos compostos manipulados, sendo, portanto, de grande importância a realização dos testes de controle de qualidade e a produção de acordo com as Boas Práticas de Manipulação em Farmácias. Dentre as substancias que possuem baixa estabilidade em formulações de uso tópico, pode-se citar o ácido ascórbico, molécula hidrossolúvel e termo lábil que sofre fácil oxidação quando em solução, altas temperaturas e pH alcalino. Em decorrência dessas características torna-se importante avaliar se produtos farmacêuticos contendo esse ativo são manipulados e armazenados de forma correta, já que sua ação pode ser reduzida em consequência da sua instabilidade. Pode-se inferir que é de suma importância a avaliação da estabilidade de produtos cosméticos contendo vitamina C, desse modo o trabalho teve como objetivo avaliar formulações farmacêuticas de uso tópico (creme e gel) produzidos em farmácias de manipulação de Teresina-PI, em virtude dos possíveis malefícios que podem trazer aos usuários em decorrência de eventuais instabilidades Tratou-se de um estudo descritivo de natureza quantitativa e qualitativa do tipo experimental a partir das características físico-químicas através do estudo de estabilidade acelerada. As amostras também passaram por avaliações de rotulagem segundo a RDC 67/2007, avaliando-se os parâmetros exigidos a toda preparação magistral seguindo o procedimento operacional escrito para rotulagem de produtos manipulados. Houve uma alteração nas características organolépticas das formulações, cremes e géis, submetidas a temperatura ambiente e 40ºC após o tempo de 60 dias.  Suas características físicas mudaram quando submetidas a alterações ambientais, como temperatura, luz e umidade, tornando as formulações com coloração e consistência alteradas do que as mantidas em geladeira. Dentre as farmácias analisadas, a F1 não possuiu descrições na embalagem em relação a manter o produto em geladeira sob refrigeração, induzindo assim, o usuário a não manter em adequado armazenamento. Além de não conter os dados da empresa, não presentes na rotulagem do CNPJ e endereço completo. O estudo de estabilidade acelerada mostra a influência das condições de armazenamento permitindo uma avaliação metodológica da estabilidade agregando uma correta orientação ao paciente e integridade das formulações, enquanto que a análise de rotulagem se faz necessária para assegurar a qualidade e segurança do produto, ao passo que as informações contidas na rotulagem descrevem os ativos, posologia, dados do paciente e estabelecimento.


Keywords


Estabilidade de Cosméticos; Ácido Ascórbico; Cosméticos.

References


ANCONI, G.L. Aplicação de peptídeos em cosméticos: desenvolvimento de formulações, estabilidade e eficácia. 2008, 196p. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais – ANFARMAG. Guia orientativo para rotulagem de preparações magistrais, análise fiscal e amostras para controle de qualidade, 2016.

Brasil. Farmacopeia Brasileira, volume 2 / Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2010.

DALCIN, K.B.; SCHAFFAZICK, S.R.; GUTERRES, S.S. Vitamina C e seus derivados em produtos dermatológicos: aplicações e estabilidade. Caderno de Farmácia, v. 19, n2, p. 6979, 2003.

GREGOLIM MT, CHIARI BG, RIBEIRO HM, Isaac VLB. Caracterização reológica de géis hidrofílicos. In: 25º Congresso Brasileiro de Cosmetologia; 2008 mai 27-9; São Paulo, Br. São Paulo: 2008. CD-Rom.

MAIA, A. M. Desenvolvimento e avaliação da estabilidade de formulações cosméticas contendo ácido ascórbico, São Paulo, 2002.

MYRCO, J.; ROCHA, M. S. Estudo de estabilidade de medicamento. Revista Acadêmica Oswaldo Cruz – Graduação e Pós-Graduação. (versão online), ano 2, n.7 julho-setembro 2015. Disponível: http://revista.oswaldocruz.br/Content/pdf/Edicao_07_Jessica_mirco.pdf.

POMBAL, R; BARATA, P.; OLIVEIRA, R. Estabilidade dos medicamentos manipulados. Revista da Faculdade de Ciências da Saúde, nº7, p.330-341, 2010.

SPINOLA, V.; BERTA, B.; CÂMARA, J. S.; CASTILHO, P. C. Effect of Time and Temperature on Vitamin C Stability in Horticultural Extracts. UHPLC-PDA vs. Iodometric Titration as Analytical Methods. LWT - Food Science and Technology, London, v. 50, n. 2, p. 489-495, 2013.

TARRAGO-TRANI, M. T.; PHILLIPS, K. M.; COTTY, M. Matrix- Specifi c Method Validation for Quantitative Analysis of Vitamin C in Diverse Foods. Journal of Food Composition and Analysis, London, v. 26, n. 1-2, p. 12-25, 2012.

TAVARES, J. et al. Estabilidade do ácido ascórbico em polpa de acerola submetida a diferentes tratamentos. Magistra on line da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, v.15, n.2, jul./dez. 2003.

YANO, H.M. et al. Problematização de rotulagem em produtos farmacêuticos manipulados de acordo com a legislação vigente. Informe técnico. Núcleo de Ensaios Físicos e Químico em Medicamentos. Instituto Adolfo Lutz. Boletim Epidemiológico Paulista - SP, 2011.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.