Segurança do paciente e sistematização da assistência de enfermagem no pós-operatório de transplante cardíaco: uma revisão sistemática / Patient safety and systematization of nursing care in the postoperative period of cardiac transplantation: a systematic review

Geórgia Freitas Rolim Martins, Angélica Xavier da Silva, Aílton de Oliveira e Silva Júnior, Jacqueline de Araújo Gomes, Thiago José de Souza Gomes

Abstract


Introdução: As primeiras 24 horas após a realização da cirurgia é considerado como Pós Operatório Imediato (POI), assim, é imprescindível que o paciente submetido a qualquer cirurgia permaneça na Sala de Recuperação Pós Anestésica (SRPA), pois este período necessita de uma atenção especializada da equipe de saúde a fim de evitar e/ou minimizar riscos ou agravos à saúde. Objetivos: Entender quais são as ações inerentes ao profissional de enfermagem relativas aos cuidados na segurança do paciente pós-transplante cardíaco. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa com ênfase a responder a questão de pesquisa “Quais as ações dos profissionais enfermeiros no pós-transplante cardíaco?”. As bases de dados utilizadas para a coleta de dados foram: MEDLINE, LILACS, BDENF e SCIELO no período de 2003 a 2015, onde foram selecionados e analisados 12 estudos. Resultados: A segurança do paciente é um fator crítico e essencial para melhoria da assistência à saúde no mundo. É considerado globalmente como um problema de saúde pública visto que as consequências de danos decorrentes da assistência podem ser graves ou fatais. Conclusão: Realizar a SAE com ênfase na Segurança do Paciente evita que os pacientes sejam vítimas de falhas na assistência, observa-se que a junção desses elementos reflete a dimensão do cuidado de enfermagem qualificando a assistência.


Keywords


Assistência de Enfermagem. Segurança do Paciente. Diagnósticos de

References


ALVIM, L. S. A. O Processo de Enfermagem e suas Cinco Etapas. Enferm. Foco, v. 4, n. 2, p. 140-141. Rio de Janeiro: 2013.

Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, 2017. Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado, ABTO, Registro Brasileiro de Transplantes, nº 4, São Paulo: 2017.

BERTONCELLO, K. C. et al. Revisão Integrativa dos Diagnósticos de Enfermagem de Pacientes em Período Pós Operatório. Journal of Health Sciences, v. 17, n. 1, 2015.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Assistência Segura: Uma Reflexão Teórica Aplicada à Prática, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2017.

BRASIL. Incor atinge marca de mil transplantes de coração e de pulmão. Ministério da Saúde, Portal Brasil, São Paulo: 2016.

BRITO, M. F. P.; GALVÃO, C. M. Os Cuidados de Enfermagem no Uso da Eletrocirurgia. Rev Gaúcha Enferm, nº 30, vol. 2, p. 319-327. Porto Alegre, 2009.

CRUZ, A. P. O.; LOPES, R. Diagnóstico de enfermagem no pós-operatório de cirurgias cardíacas. Salusvita, Bauru, v. 29, n. 3, p. 293-312, 2010.

DOENGES, M.E; MOORHOUSE, M.F; MURR, A.C. Diagnósticos de enfermagem. 12ª ed. Rio de Janeiro; Guanabara Kogaan, 2015.

FREITAS, R. C. R.; PIMENTEL, T. R. S. A assistência de Enfermagem no Pós Operatório Imediato: Revisão de Literatura. Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Repositório Institucional, Salvador: 2014.

FERRAZ, E.M.. A cirurgia segura: uma exigência do século XXI.Rev Col Bras Cir. v. 36, n.4, p. 281-2. Pernambuco: 2009.

GALDEANO, L. E.; ROSSI, L. A.; NOBRE, L. F.; IGNACIO, D. S. Diagnóstico de enfermagem de pacientes no período transoperatório de cirurgia cardíaca. Rev. Latino-Am. Enfermagem [online], vol. 11, n. 2, p. 199-206, 2003.

GALDEANO, L. E. ROSSI, L. A. SANTOS, C. B. APADOTI, D. R. A. Nursing Diagnosis in the Perioperative of Cardiac Surgery. Rev Esc Enferm USP, v. 40, nº 1, p. 26-33, 2006.

GEBRIM, et al. ANTIMICROBIAL PROPHYLAXIS ANALYSIS FOR PREVENTION OF SURGICAL SITE INFECTION IN A BRAZIL CENTRE-WEST HOSPITAL. Ciencia x Enfermeria, nº 20, vol. 2, p. 103-115, 2014.

GIEHL, C. T.; COSTA, A. K.; PISSAIA, L. F. et al. A Equipe de Enfermagem Frente ao Processo de Implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem. Revista de Enfermagem e Atenção Básica, v. 5, n. 2, p. 87-95. Rio Grande do Sul: 2016.

HENRIQUES, A. H. B. COSTA, S. S. LACERDA, J. S. Assistência de Enfermagem na Segurança do Paciente Cirúrgico: Revisão Integrativa. Cogitare Enferm. n. 21, v. 4, p. 1-9, Pernambuco: 2016.

JORGETTO, G. V.; NORONHA, R.; ARAÚJO, I. E.. Assistência de Enfermagem a Pacientes Cirúrgicos: Avaliação Comparativa. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 7, n. 3, p. 273 - 277, 2005.

JOINT COMMISSION INTERNATIONAL (JCI). Joint Commission International Accreditation Standards for Hospitals. 5. ed. 2013.

LIMA, A. M. SOUSA, C. S. CUNHA, A. L. S. M. Segurança do paciente e Montagem de Sala operatória: Estudo de Reflexão. Revista de Enfermagem UFPE [online], v. 7, n. 1, p. 289-294. Recife: 2013.

MANGINI, S.; ALVES, B. R.; SILVESTRE, O. M. et al. Transplante Cardíaco: Revisão. Einstein, v. 13, n. 2, p. 310-318. São Paulo: 2015.

MATOS, S. S. Diagnósticos de Enfermagem em Pacientes no Pós-Operatório Mediato de Transplante Cardíaco e Validação do Diagnóstico Considerado mais Característico: Angústia Espiritual. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 125p, 2009.

MATOS, S. S et al. Transplantados cardíacos em pós operatório mediato: diagnósticos de Enfermagem segundo pressupostos de Horta. Revista SOBECC, v. 20, n. 4. São Paulo: 2015.

MELNYK, B. FINEOUT, O. E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. 2ª ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2010.

Ministério da Saúde (BR), Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Organização Mundial da Saúde. Segundo desafio global para a segurança do paciente. Cirurgias seguras salvam vidas. Rio de Janeiro: Organização Pan-Americana da Saúde; 2009.

NAKASATO, G. R. et al. Nursing diagnoses in the perioperative period of cardiac surgery. Rev. Min. Enferm. [online], vol. 19, n. 4, p. 980-986, 2015.

RIBEIRO, H. C. T. C.; QUITES H. F. O.; BREDES, A. C.; SOUSA, K. A. S.; ALVES, M. Adesão ao Preenchimento do Checklist de Segurança Cirúrgica. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, n. 10, Rio de Janeiro: 2017.

ROEDER, J. A. The Electronic Medical Record in the Surgical Setting. AORN JOURNAL, nº 4, vol 89, 2009.

SAMPAIO, C. E. P.; VENTURA, D. S. O.; BATISTA, I. F.; ANTUNES, T. C. S. COMPANIONS` OF CHILDREN WHO UNDERGO SURGICAL PROCEDURES AND THEIR FEELINGS: EXPERIENCES DURING PERIOPERATIVE PERIOD. Rev. Min. Enferm., nº 13, vol. 4, p. 558-564, 2009.

SENE, E. S. O.; JARDIM, D. P. Nursing practice in minimally invasive video-assisted cardiac surgery. Rev SOBECC, nº 21, vol 3, p. 170-177. São Paulo, 2016.

SILVA, P. R. Transplante cardíaco e cardiopulmonar: 100 anos de história e 40 de existência. Rev Bras Cir Cardiovasc, v. 23, n. 1, 145-152. São José do Rio Preto: 2008.

UMANN, J.; GUIDO, L. A.; LINCH, G. F. C.; FREITAS, E. O. Enfermagem Perioperatória em Cirurgia Cardíaca: Revisão Integrativa da Literatura. Rev. Min. Enfermagem, v. 15, n. 2, p. 275-281, 2011.

VETTER, et al. An Analysis of Methodologies That Can Be Used to Validate if a Perioperative Surgical Home Improves the Patient-centeredness, Evidence-based Practice, Quality, Safety, and Value of Patient Care. Anesthesiology, nº 6, vol. 119, p. 1261-1274, 2013.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.