Exposição corporal das pacientes em trabalho de parto em um setor de pré-parto / Body exposure of patients in labor in a pre-labor sector

Eliana Lessa Cordeiro, Liniker Scolfild Rodrigues da Silva, Gládyston Gydione Bezerra da Silva, Simone Schmitt Pereira, Zilma Gomes Luz, Gardênia Conceição Santos de Souza, Cristina Albuquerque Douberin, Clarissa Silva Pimenta, Edivaldo Bezerra Mendes Filho

Abstract


Introdução:Pensar numa mulher em trabalho de parto num setor de pré-parto, nos remete a ideia de invasão de espaço corporal. Acredita-se que os profissionais de saúde, muitas vezes mecanizados pelo dia-a-dia, invadem sem perceber o espaço dessas pacientes. Objetivo:Identificar a percepção das parturientes sobre a exposição corporal durante o trabalho de parto. Metodologia:Trata-se de um estudo de campo do tipo descritivo e exploratório com abordagem quantitativa. A população foi composta por parturientes, com faixa etária entre 18 e 40 anos, com diagnóstico de trabalho de parto, totalizando uma amostra de 32 parturientes. Os dados foram coletados através de entrevista com um roteiro estruturado. Os resultados foram analisados através de estatística descritiva simples e absoluta, e sendo apresentados em formas de tabelas.Resultados:A análise dos dados permitiu identificar que a maioria da amostra (56,2%) teve o corpo exposto, sendo que o procedimento que mais expôs foi o toque vaginal (60,9%). No que diz respeito, aos sentimentos vivenciados pelas parturientes durante a exposição, (42,9%) descreveu não sentir incômodos. Com relação aos cuidados dos profissionais de saúde, foi evidenciado que a maioria (78,1%) preocupou-se em não expor o corpo da paciente, e que a conduta mais utilizada por estes foi a utilização de biombos com (47,1%). Ao se tratar da necessidade de ter o corpo exposto na realização dos procedimentos, foi identificado que a maioria (56,2%) acha necessário ter o corpo exposto. Conclusão:Desta forma, o estudo traz que as pacientes estão tendo o corpo exposto, porém os profissionais estão se preocupando e utilizando meios de não exporem o corpo das parturientes.

 


Keywords


Gestantes; Trabalho de Parto; Obstetrícia.

References


ABREU, A. A. N.; CASTROPIL, W. Tricotomia e infecção cirúrgica.Artigo de revisão e atualização. Disponível em: . Acesso em: 19 maio 2009.

ALBUQUERQUE, A. Á. S.; VERÇOSA, N. G. C. F. Preparo das puérperas para o auto-cuidado na prevenção e tratamento dos problemas precoces com a lactação em uma maternidade municipal, Garanhuns-pe. Recife: 2008. 52 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Caderno de Saúde. Brasília (DF); 2001.

CARPENITO-MOYET, L. J. Diagnósticos de enfermagem- Aplicação à prática clínica. 10º Porto Alegre: Artmed, 2005. 1024 p.

CECCATO, S. R.; SAND, I. C. P. V. D. O cuidado humano como princípio da assistência de enfermagem à parturiente e seus familiares. Rev. Eletr. Enf, Rio Grande do Sul, v. 03, n. 01, p. 01-05, 01 jan. 2001.

CONCEIÇÃO, E.; MACEDO, L. R.; GRAZZIOTIN, M. C. B. A preparação da gestante para o pré-parto e parto. R. pesq.:cuid. fundam. online, v. 4, n. 3, p. 2627-3, jul./set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2006.

DAVIM, R. M. B.; BEZERRA, L. G. M. Assistência à parturiente por enfermeiras obstétricas no projeto midwifery: um relato de experiência. Rev Latino-am Enfermagem, Rio Grande do Norte, v. 10, n. 5, p. 727-732, 22 jul. 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2009.

FIGUEIRÊDO, N. M. A.; et al. Indicadores de cuidados para o corpo que pró-cria: ações de enfermagem no pré-trans e pós-parto - uma contribuição para a prática de enfermagem obstétrica. Rev Latino-am Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 12, n. 6, p. 905-912, 12 nov. 2004. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2009.

FOLLMANN, M. A.; GALINA, V. L.; RZEZNIK, C. Procedimento de tonsura na gestante internada no centro obstétrico. Revista Técnico-científica do Grupo Hospitalar Conceição, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p.60-63, 10 jun. 2002.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2002, p. 22.

LOPES, M. H. B. M.; SILVA, M. A. S.; CHRISTÓFORO, F. F. M.; et al. Uso do enteroclisma no preparo para o parto: Análise e suas vantagens e desvantagens. Rev Latino-am Enfermagem, Campinas, v. 9, n. 6, p.49-55, nov-dez. 2001.

MACEDO, P. O.; PROGIANTI, J. M.; VARGENS, O. M. C.; et al. Percepção da dor pela mulher no pré-parto: a influência do ambiente. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p. 306-312, set-dez 2005.

MARANHÃO, Conselho Regional de Enfermagem do. Código de Ética. Disponível em: . Acesso em: 06 jul. 2009.

MARQUE, F. C.; DIAS, I. M. V.; AZEVEDO, L. A. percepção da equipe de Enfermagem sobre humanização do parto e nascimento. Esc Anna Nery R Enferm, São Paulo, v. 10, n. 3, p. 439-447, 08 nov. 2005.

MELSON, K. A.; et al. Enfermagem Materno Infantil- Plano de Cuidados. 3º edição Rio de Janeiro: Reichmann&affonso, 2002. 375 p.

NAKATANI, A. Y. K.; et al. O banho no leito em unidade de terapia intensiva: uma visão de quem recebe. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, v. 03, n. 01, p.13-21, 05 nov. 2003. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2009.

NEME, B. Obstetrícia Fundamental. 4º edição São Paulo: Sarvier, 2006. 1376 p.

POTTER, P. A.; PERRY, A. G. Fundamentos de Enfermagem. 5º edição Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 1509 p.

PUPULIM, J. S. L.; SAWADA, N. O. Exposição Corporal do cliente durante a avaliação física em Unidade de Terapia Intensiva. RevBrasEnferm, Maringá, v. 58, n. 5, p. 580-585, 10 set. 2005

PUPULIM, J. S. L.; SAWADA, N. O. Implicações da exposição corporal do cliente na unidade de terapia intensiva durante a visita da família. Revista Ciência Cuidado e Saúde, Maringá, v. 3, n. 1, p.55-64, 28 abr. 2004.

PUPULIM, J. S. L.; SAWADA, N. O. O cuidado de enfermagem e a invasão da privacidade do doente: uma questão ético-moral. Rev Latino-am Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 10, n. 3, p.433-438, 18 maio 2002.

PUPULIM, J. S. L.; SAWADA, N. O. Reflexões acerca da comunicação enfermeiro-paciente relacionada à invasão da privacidade.. In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE

COMUNICACAO EM ENFERMAGEM, 8., 2002, São Paulo. Anais eletrnicos... Escola de Enfermagem de Riberão Preto - USP, Disponível em: . Acesso em: 26 Jun. 2018.

REZENDE, J.; MONTENEGRO, C. A. B. Obstetrícia Fundamental. 10º edição Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006. 684 p.

ROSAS, C. F. Ética em Ginecologia. In: Rosas CF (Coord) 3rd ed. São Paulo: CREMESP; 2004.

SEVERO, G. C.; PERLINI, N. M. O. G. Estar internado em Unidade de Terapia Intensiva: percepção de pacientes. Scientia Médica, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 21-29, 09 mar. 2005.

SILVA, G. F.; PELLOSO, S. M. Perfil das parturientes e seus recém-nascidos atendidos em um hospital-escola do Noroeste do Estado do Paraná. RevEscEnferm USP, Paraná, v. 43, n. 1, p. 95-102, 14 jan. 2008. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2009.

YAMASAKI, A. Y.; BITTAR, R. E.; FONSECA, E. S. B.; et al. Prevenção do parto prematuro: emprego do toque vaginal e da ultrassonografia transvaginal. RBGO, São Paulo, v. 6, n. 20, p.350-356, 09 jun. 1998.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.