Agentes comunitários de saúde: a síndrome de burnout em discussão / Community health agents: burnout syndrome in discussion

Liniker Scolfild Rodrigues da Silva, Carlos Henrique da Silva Ferreira, Maurício Caxias de Souza, Eliana Lessa Cordeiro, Clarissa Silva Pimenta, Letícia Alessandra de Oliveira, Camila Mendes da Silva, Cristina Albuquerque Douberin, Edivaldo Bezerra Mendes Filho

Abstract


Introdução: A relação de trabalho do Agente Comunitário de Saúde tem desencadeado sobrecargas físicas, emocionais e biológicas que decorrem do processo de trabalho, uma das patologias do meio trabalhista é a síndrome de Burnout, que é uma resposta ao estresse prologando, e traz sequelas negativas em nível social, profissional e familiar, e que tem acometido ACS.Objetivos: Evidenciar as publicações em periódicos online de caráter nacional e internacional que abordam as temáticas da Síndrome de Burnout em Agentes Comunitários de Saúde. Metodologia:Trata-se de uma revisão integrativa da literatura vigente, que teve como questão norteadora: “Quais os fatores que predispõe os ACS para o desenvolvimento da Síndrome de Burnout”? “E quais as estratégias de enfretamento utilizadas pelo ACS”? A coleta de dados foi realizada por meio através da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), nas bases de dados LILACS e BDENF, no período de 2009 a 2015.  Resultados:6 artigos compuseram a amostra deste estudo; as seguintes categorias temáticas apareceram para o estudo: I – Formas de adoecimentos pelos ACS (quatro estudos) e II – Estratégias de enfrentamentos pelos ACS. (dois estudos). Conclusão:Os estudos evidenciaram que os formas de adoecimentos pelos agentes, não podem ser modificáveis ou evitados, já que constituem em aspectos essenciais à atuação desse profissional. E com relação as estratégias de enfretamento, parece haver, um desconhecimento por parte dos ACS das amplas atividades que podem ser desenvolvidas com o objetivo de diminuir o estresse no ambiente de trabalho.

 


Keywords


Esgotamento Profissional; Agente Comunitário de Saúde; Saúde do Trabalhador.

References


AZAMBUJA, E. P; KERBER, N. P. da C.; KIRCHHOF, A. L. A saúde do trabalhador na concepção de acadêmicos de enfermagem. RevEscEnferm USP, v. 41, n. 3, p. 355-62, 2007.

BARROSO, S. M.; GUERRA, A. da R. P. Burnout e qualidade de vida de agentes comunitários de saúde de Caetanópolis (MG). Cad. saúde colet.,(Rio J.), v. 21, n. 3, p. 338-345, 2013.

BATISTA, J. B. V.; et al. Prevalência da Síndrome de Burnout e fatores sociodemográficos e laborais em professores de escolas municipais da cidade de João Pessoa, PB. Rev. bras. epidemiol, v. 13, n. 3, p. 502-512, 2010.

BENEVIDES-PEREIRA, A. M. T.; et al. O estado da arte do Burnout no Brasil. Revista Eletrônica InterAçãoPsy, v. 1, n. 1, p. 4-11, 2003.

BRAZIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE; PAN AMERICAN HEALTH ORGANIZATION. REPRESENTAÇÃO DO BRASIL. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Editora MS, 2001.

CAMELO, S. H. H.; et al. Sintomas de estresse nos trabalhadores atuantes em cinco núcleos de saúde da família. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. 2002.

CAMELO, S. H. H.; GALON, T.; MARZIALE, M. H. P. Formas de adoecimento pelo trabalho dos agentes comunitários de saúde e estratégias de gerenciamento. Rev. enferm. UERJ, v. 20, n. 1, p. 661-667, 2012.

DEJOURS, C. et al. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola de jouriana à análise de relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 2004.

DEJOURS, C. et al, Banalização Da Injustiça Social, a. FGV Editora, 1992.

DE OLIVEIRA, A. H.; et al. “PROFISSÃO ESTRESSE”: A SÍNDROME DE BURNOUT NA ENFERMAGEM. Revista Letrando, v. 3, 2013.

DEJOURS, C.; et al. Uma nova visão do sofrimento humano nas organizações. O indivíduo na organização: dimensões esquecidas, v. 1, p. 149-173, 2011.

DOS SANTOS, I. E. R.; VARGAS, M. M.; REIS, F. P. Estressores laborais em agentes comunitários de saúde. Revista Psicologia, v. 14, n. 3, p. 324-335, 2014.

DURÃO, A. V.; MOROSINI, M. V.; CARVALHO, V. Os agentes comunitários de saúde e o conceito de comunidade na configuração de sua qualificação. Para além da comunidade: trabalho e qualificação dos agentes comunitários de saúde. Rio de Janeiro: EPSJV, p. 119-60, 2011.

GIL-MONTE, P. R.; CARRETERO, N. Prevalenciadel síndrome de quemarse por eltrabajo (burnout) en monitores de taller para personas condiscapacidadBurnoutprevalenceamongstinstructorsofdisabledpeople.Revista de PsicologíadelTrabajo y de lasOrganizaciones, v. 21, n. 1-2, p. 107-123, 2005.

GANONG, L. H. Integrative Reviews of Nursing Research. Res. Nurs. Health.10(1):

-11. 1987.

JORGE, J. C. et al, Qualidade de vida e estresse de agentes comunitários de saúde de uma cidade do interior de Minas Gerais. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, v. 4, n. 1, 2015.

KLUTHCOVSKY, A. C. G. C.; et al. Avaliação da qualidade de vida geral de agentes comunitários de saúde: a contribuição relativa das variáveis sociodemográficas e dos domínios da qualidade de vida. Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul, v. 29, n. 2, p. 176-183, 2007.

KUROGI, M. S.; et al. Qualidade de vida no trabalho e suas diversas abordagens. Revista de Ciências Gerenciais, v. 12, n. 16, p. 63-76, 2008.

LENTZ, R. A; COSTENARO, R. G. S; GONÇALVES, L. H; NASSAR, S. M. O profissional de enfermagem e a qualidade de vida: uma abordagem fundamentada nas dimensões propostas por Flanagan. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 8 n. 4, 7-14, 2000.

MARTÍN, M. A. C.; et al. Prevalencia y factoresasociados al burnoutenun área de salud. Atención primaria, v. 27, n. 5, p. 313-317, 2001.

MARTINES, W. R. V; CHAVES, E. C. Vulnerabilidade e sofrimento no trabalho do agente comunitário de saúde no Programa de Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 41, n.3, p. 426-433, 2007.

MASLACH, C.; et al. Entendendo o burnout. Rossi AM, Perrewé PL, Sauter SL, orgs. Stress e qualidade de vida no trabalho: perspectivas atuais da saúde ocupacional. São Paulo: Atlas, p. 41-55, 2005.

MASLACH, C.; SCHAUFELI, W. B.; LEITER, M. P. Jobburnout. Annual review of psychology, v. 52, n. 1, p. 397-422, 2001.

MAURO, M. Y. C.; VEIGA, A. R. Problemas de saúde e riscos ocupacionais: percepções dos trabalhadores de enfermagem de unidade materna infantil. Rev. enferm. UERJ, v. 16, n. 1, p. 64-69, 2008.

MENDES, K. D. S.; et al. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto and ContextoEnfermagem, v. 17, n. 4, p. 758, 2008.

MOTA, C. M.; DOSEA, G. S.; NUNES, P. S. Assessment of the prevalence of burnout syndrome in community health agents of the city of Aracaju in the state of Sergipe, Brazil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 12, p. 4719-4726, 2014.

MURTA, S. G.; et al. Programas de manejo de estresse ocupacional: uma revisão sistemática da literatura. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, v. 7, n. 2, 2005.

PASCHOAL, T.; TAMAYO, Á. Validação da escala de estresse no trabalho. Estudos de psicologia, v. 9, n. 1, p. 45-52, 2004.

PEREIRA, L. C.; OLIVEIRA, M. A. de C. O trabalho do agente comunitário na promoção da saúde: revisão integrativa da literatura. RevBrasEnferm, v. 66, n. 3, p. 412-419, 2013.

PINHEIRO, F. A.; TRÓCCOLI, B. T.; TAMAYO, M. R. Mensuração de coping no ambiente ocupacional.Psicologia: teoria e pesquisa, v. 19, n. 2, p. 153-158, 2003.

REPRESENTAÇÃO DO BRASIL. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Editora MS, 2001.

RESENDE, M. C.; et al. Saúde mental e ansiedade em agentes comunitários que atuam em saúde da família em Uberlândia (MG, Brasil). CienSaudeColet, v. 16, n. 4, p. 2115-2122, 2011.

ROBAZZI, M. L. do C. C.; et al. Alterações na saúde decorrentes do excesso de trabalho entre trabalhadores da área de saúde [Health changesfromoverworkamonghealth sector workers][cambiosenlasalud por exceso de trabajo entre trabajadoresdel área salud]. Revista Enfermagem UERJ, v. 20, n. 4, p. 526-532, 2013.

ROSA, A. J.; BONFANTI, A. L.; CARVALHO, C. de S. O sofrimento psíquico de agentes comunitários de saúde e suas relações com o trabalho. Saúde e Sociedade v. 21, n. 1, p. 141–152, 2012.

SANTOS, L. F. B.; DAVID, H. M. S. L. Percepções do estresse no trabalho pelos agentes comunitários de saúde. Rev. enferm. UERJ, v. 19, n. 1, p. 52-57, 2011.

SCHAUFELI, W. B; LEITER, M. P; MASLACH, C. Burnout: 35 years of research and practice. Career development international, v. 14, n. 3, p. 204-220, 2009.

SCHAUFELI, W. B.; MASLACH, C.; MAREK, T. Historical and conceptual development of burnout. Professional burnout: Recentdevelopments in theoryandresearch, p. 1-16, 1993.

SILVA, J. A.; DALMASO, A. S. W. O agente comunitário de saúde e suas atribuições: os desafios para os processos de formação de recursos humanos em saúde. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 6, n. 10, p. 75-96, fev. 2002.

SOUZA, W. C.; SILVA, A. M. M. A influência de fatores de personalidade e de organização do trabalho no burnout em profissionais de saúde. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 19, n. 1, p. 37-48, jan./abr. 2002.

TELLES, S. H.; et al. Síndrome de Burnout em agentes comunitários de saúde e estratégias de enfrentamento. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Enfermagem Psiquiátrica) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP), Universidade de São Paulo, São Paulo. 2008.

TINOCO, M. M.; et al. A relação saúde/doença no processo de trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde: uma revisão de literatura. Tese de Doutorado. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. 2015.

TOMAZ, J. B. C.; et al. O agente comunitário de saúde não deve ser um “super-herói”. Interface Comun Saúde Educ, v. 6, n. 10, p. 75-94, 2002.

TRELHA, C. S.; ALMEIDA, E. de F. P. A. O Agente Comunitário de Saúde na Estratégia de Saúde da Família: uma investigação das condições de trabalho e da qualidade de vida. Rev. bras. Saúde ocup, v. 35, n. 122, p. 327-339, 2010.

TRINDADE, L. L.; et al. O estresse laboral da equipe de saúde da família: implicações para saúde do trabalhador [dissertação]. Porto Alegre: Escola de Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007.

TRINDADE, L. de L; LAUTERT, L. Síndrome de Burnout entre os trabalhadores da Estratégia de Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 44, n. 2, p. 274-279, 2010.

URSINE, B. L.; TRELHA, C. S.; NUNES, E. de P. A. O agente comunitário de saúde na estratégia de saúde da família: uma investigação das condições de trabalho e da qualidade de vida. Rev. bras. saúdeocup. v. 35, n. 122, 2010.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.