A utilização da ferramenta de mapeamento do fluxo de valor (MFV) para melhoria de processos: estudo de caso em uma empresa do setor naval / The use of value flow mapping (MFV) tool for process improvement: a case study in a naval sector company

Priscila Carolline Melo Gardonio, José Rodrigues de Farias Filho

Resumo


O objetivo deste estudo é apresentar a utilização de uma das ferramentas do leanproduction, o Mapeamento do Fluxo de Valor (MFV), desenhando como os fluxos ocorrem atualmente, propondo a otimização dos processos e identificando os possíveis efeitos através da utilização da ferramenta. O estudo foi realizado em uma empresa do setor naval no Rio de Janeiro. Para tal, foram feitas observações diretas e análises em dois momentos da mesma empresa – do ano de 2016 e o de 2017. A metodologia adotada foi dividida em três macro etapas, sendo a primeira de caráter exploratório, fundamentada em uma pesquisa bibliográfica e visitas a campo para um estudo aprofundado do tema. Já a segunda etapa se deu por meio da aplicação da ferramenta MFV na empresa do setor naval em dois cenários diferentes - ano de 2016 e 2017. Por fim, a última etapa foi a compilação dos dados e a análise dos resultados com a identificação dos possíveis efeitos através da utilização prática da ferramenta de Mapeamento do Fluxo de Valor. Contudo, os efeitos identificados com a aplicação desta se confirmam com o apresentado na literatura, uma vez que o estudo permitiu a visualização completa e integralizada dos processos de informação e produção em ambos os anos. Além disso, na proposta de estado futuro dos processos, o estudo apresentou uma redução no lead time, um processo enxuto e denotou a necessidade de um comprometimento das partes interessadas para que seja mantido esse círculo virtuoso de melhoria contínua.


Palavras-chave


LeanProduction, Mapeamento do Fluxo de Valor, Indústria naval.

Texto completo:

PDF

Referências


CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (CNI). Indicadores Industriais. n.19, abril 2017.

______. A importância da indústria no Brasil. Disponível em: http://www.portaldaindustria.com.br/cni/estatisticas/. Acesso em: jun.2017.

CONTE, A. S. Lean construction: from theory to practice. In: IGLC, 10 ago. 2002, Gramado. Proceedings…, Gramado: UFRGS,2002

GREEF, A. C.; FEITAS, M.; ROMANEL, F. Lean office: operação, gerenciamento e tecnologias. São Paulo: Atlas, 2012.

IMAI, M. Kaizen: A estratégia para o sucesso competitivo. Instituto IMAM. 5 ed. São Paulo/ SP: 1994.

KOSKELA, Lauri. Application of the New Production Philosophy to Construction. In: Technical report n. 72, CIFE, Stanford University, Stanford, California, EUA, 1992.

______. An exploration towards a production theory and its application to construction.Tese de doutorado, Technical Research Center of Finland, Espoo, Finland, 2000.

LEAN ENTERPRISE INSTITUTE. Léxico Lean: glossário ilustrado para praticantes do pensamento Lean. 5. ed. São Paulo: Lean Institute Brasil, 2016.

LEAN INSTITUTE BRASIL. Fluxo Contínuo. Disponível em:

https://www.lean.org.br/vocabulario.aspx . Acesso em: jul. 2017.

MACDONALD, T.; VAN, E.; RENTES, AF. Utilization of simulation model to support value stream

analysis and definition of future state scenarios in a high-technology motion control plant. Research Paper. Departament of Industrial& Systems Engineering School, University of São Paulo, 2000.

OHNO, T. Sistema Toyota de produção: além da produção em larga escala. Porto Alegre: Bookman, 1997.

ROTHER, Mike; SHOOK, John. Aprendendo a enxergar - Mapeando o fluxo de valor para agregar valor e eliminar o desperdício.Lean Enterprise Institute, Cambridge, MA, EUA. Trad.: José Roberto Ferro, Telma Rodriguez e TamirisMasettoManzano. Versão 1.4, 2012.

SHENHAR, A., LAUFER, A. Integrating product and project management: a new synergistic approach. Engineering Management Journal, v.7, n.3, p.11-5, Sep. 1995.

WOMACK, James P.; JONES, Daniel. T; ROOS, Daniel. A máquina que mudou o mundo. 11. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

WOMACK, James P. Caminhadas pelo Gemba.LeanInstitute Brasil. 1 ed. São Paulo/ SP: 2011.

WERKEMA, CristinaLean seissigma: introdução às ferramentas do leanmanufacturing. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.