Doença inflamatória intestinal em felinos: revisão de literatura

Andréa Maria Carneiro de Melo, Roberta Simone Rodrigues Carneiro, Giovana Patrícia de Oliveira e Souza Anderlini, Priscilla Nogueira de Melo Omena, Karyna Alves Cunha de Paiva Lima

Resumo


A doença inflamatória intestinal felina descreve um conjunto de doenças intestinais crônicas que acometem a lâmina própria da mucosa pelo infiltrado difuso de células inflamatórias. As teorias sobre as causas potenciais incluem doença imunomediada, defeitos de permeabilidade do trato gastrointestinal (TGI), intolerância ou alergia dietética, influência genética, influência psicológica e doença infecciosa. Os fatores predisponentes da DII incluem infecções bacterianas (Campylobacter sp.), quadros parasitários (Giardia sp.), neoplasias (linfoma), e quadros alérgicos ou de intolerância alimentar sitiados no TGI, bem como, pancreatite, colangiohepatite e hipertireoidismo. O diagnóstico consiste na realização de alguns exames laboratoriais como hemograma, perfil bioquímico, dosagem de hormônio tireoideano, urinálise, coproparasitológico, coprofuncional e citologia fecal. O tratamento inclui o controle dietético, a suplementação com fibras e administração de drogas anti-inflamatórias e imunossupressoras. A prednisolona tem sido o fármaco de eleição no tratamento inicial da DII e sua a dose inicial é 1-2mg/Kg a cada 12 horas, com redução da mesma a cada duas a quatro semanas. O prognóstico é bastante variável, apresentando baixas taxas de mortalidade, e altas taxas de morbidade, apresentando boa resposta às terapias instituídas, com controle dos processos em 80% dos casos. A doença inflamatória intestinal em felinos não tem cura, porém é possível manter o animal com qualidade de vida e controlando os sinais com manejo alimentar adequado e com terapia imunossupressora. Objetivou-se com esse estudo abordar os sinais clínicos, diagnósticos e tratamento da doença inflamatória intestinal (DII), sendo esta a mais presente na rotina clínica veterinária.


Palavras-chave


Doença inflamatória intestinal; Felinos; TGI; Manejo alimentar.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, S.F., Manual de Terapêutica Veterinária. 3ª ed. São Paulo: Roca Ltda., 2008.

BURROWS, C. F. et al. Tratado de Medicina Interna Veterinária. Moléstias do cão e do gato. 5ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, v.2, p.1618-1705, 2004..

CRYSTAL, M. A. Doença Intestinal Inflamatória. In: NORSWORTHY, G. D., O Paciente Felino – Tópicos Essenciais de Diagnóstico e Tratamento, 3 ed. São Paulo: Manole, p. 174-177, 2006.

JUNIOR, A. R. Doença Intestinal Inflamatória Crônica. In: SOUZA, H. J. Coletâneas em Medicina e Cirurgia Felina, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: LF Livros de Veterinária, 2003. cap. 12, p. 155-164.

RICART, M.C. et al. Doença intestinal inflamatória – atualização. Revista Clínica Veterinária, n.101,p. 44-54, 2012.

TAMS, T. R. Doenças crônicas do intestino delgado. In:__ Gastroenterologia de pequenos animais. 2.ed. São Paulo: Roca, cap. 7, p. 207- 245, 2005.

WILLARD, M. D. Feline inflammatory bowel disease: a review. Journal of feline medicine and surgery, v. 1, n. 3, p. 155-164, 1999.

ZORAN, D. L. Is this IBD? Managing inflammatory disease in the feline gastrointestinal Tract. veterinary medicine, v. 95, n. 2, p. 128-139, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.