Análise da qualidade do ar da região central de Uberlândia: partículas inaláveis (MP10) / Analysis of air quality in the central region of Uberlândia: inalable particles (MP10)

Isaac Francisco da Silva, Euclides Antônio Pereira de Lima, João Victor Delfino Silva, Leonardo B. Rodrigues

Resumo


A poluição provocada por material particulado é um problema comprovado nos grandes centros urbanos e cada vez mais se estende para regiões em expansão populacional e industrial.  O crescimento populacional da cidade de Uberlândia, segue um ritmo acelerado. Neste mesmo ritmo ocorre o aumento da frota de veículos. Estudos sobre a qualidade do ar de Uberlândia vêm sendo realizados pelo grupo de pesquisa em sistemas particulados da Faculdade de Engenharia Química da Universidade Federal de Uberlândia desde 2003. São analisados dados da qualidade do ar, obtidos com equipamentos específicos. O objetivo principal é apresentar os níveis de concentração de partículas inaláveis obtidos entre os anos de 2012 a 2016, utilizando o AGV MP10, levando em consideração os dados climatológicos obtidos pelo INMET.


Palavras-chave


Monitoramento, Poluição, Concentração de partículas.

Texto completo:

PDF

Referências


______. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis - Ibama. Concelho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resoluções vigentes publicadas entre setembro de 1984 e janeiro de 2012., Brasilia-DF, 2012a. Disponível em: . Acesso em: 14/04/2017.

ABNT. NBR 13412(1995) Material suspenso na atmosfera – Determinação da concentração de partículas inaláveis pelo método do amostrador de grande volume acoplado a um separador inercial de partículas. Rio de Janeiro.

CETESB (São Paulo). Qualidade do ar no estado de São Paulo 2012, São Paulo: CETESB, 2013. 123 p.

CONAMA. Resolução CONAMA nº 03 28/06/90, 1990. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/port/conama/ >. Acesso em: 24/07/2017.

CONAMA. Resolução CONAMA nº 491 19/11/18, 2018. Disponível em: . Acesso em: 10/03/2020.

DENATRAN. Ministério das cidades Departamento Nacional de Trânsito. sitedenatran, 2017. Disponível em: < http://www.denatran.gov.br/index.php/estatistica/610-frota-2017 >. Acesso em: 20/06/2017

DIAS, J. W. C. Manual de Operação. Energética Rio de Janeiro: 2016 2016.

HINDS, W. C. (1982) Technology. New York, John Wiley & Sons

IBGE. Estimativa da população residente em Uberlândia. 2016. Disponível em: < http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=317020 >. Acesso em: 24/07/2017.

INMET, Instituto Nacional de Meteorologia, Estação Uberlândia –A507, código OMM:86776, Registro 18UTC, dados 2016.

LIMA, E. A. P. D. Um estudo sobre a qualidade do ar de Uberlândia: material particulado em suspensão. 2007. 148f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Engenharia Química, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.

LIMA, E. P. Análise da emissão de poluentes automotivos na cidade de Maringá. 2007, 124p. Tese (Doutorado) - Centro de Tecnologia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.