Enterobactérias e estafilococos em moscas capturadas em feira-livre no município de Teixeira de Freitas-BA / Enterobacteria and staphylococci in flies captured in street market in the municipality of Teixeira de Freitas, Bahia, Brazil

Marcones Pires Guerra, Vivian Moura de Oliveira, Marcelo Silva Madureira, Jorge Luiz Fortuna

Resumo


Moscas podem atuar como vetores mecânicos de bactérias patogênicas que representam riscos de contaminação de alimentos. Depósitos de lixo a céu aberto, plantas de processamento de resíduos de matadouros, locais de aglomeração de animais e até mesmo feiras-livres, devido a exposição de alimentos ao ar livre, estão entre os que mais contribuem para proliferação de moscas. Esta pesquisa teve como objetivo identificar dípteros coletados em uma feira-livre do município de Teixeira de Freitas-BA e identificar microrganismos da família Enterobacteriaceae e do gênero Staphylococcus presentes nos dípteros. Foram realizadas coletas na principal feira-livre do município. No total de 28 colônias identificadas, 11 (39,3%) foram identificadas como Staphylococcus saprophyticus, 11 (39,3%) Staphylococcus epidermidis e seis (21,4%) Staphylococcus Coagulase Negativa (SCN). De outras 26 colônias analisadas, nove (34,6%) cepas foram identificadas como Citrobacter freundii, seis (23,1%) Klebsiella spp., duas (7,7%) Hafnia alvei, duas (7,7%) Enterobacter aerogenes, duas (7,7%) Shigella sonnei, duas (7,7%) Providencia alcalifaciens, uma (3,8%) Escherichia coli, uma (3,8%) Yersinia enterocolitica e uma (3,8%) indefinida. Foram capturados 25 espécimes de moscas, 13 (52%) identificadas como Musca domestica; 11 (44%) pertencentes à família Stratiomyidae; e uma (4%) da família Calliphoridae. Este estudo demonstrou a necessidade de estratégias que diminuam a quantidade de lixo gerado, bem como a melhoria nas condições sanitárias da produção, do processamento e do armazenamento dos alimentos, com a finalidade de reduzir a quantidade de insetos que veiculam microrganismos patogênicos.

 


Palavras-chave


Feira-livre. Microrganismos. Muscidae.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. L. Papel de dípteros mucoides como potenciais vetores de agentes bacterianos em fazendas de leite da região do Norte do Paraná. Presidente Prudente. 2013. 44 p. Dissertação (Mestrado). Universidade do Oeste Paulista (Unoeste).

BIZANI, D. Isolamento e identificação de bactérias aeróbias e anaeróbias facultativas contidas nas peças bucais e membros locomotores da Musca domestica Linnaeus, 1758 de zonas urbana e rural do município de Porto Alegre, RS, Brasil. 1996. 95 p. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Veterinária. UFRS, Porto Alegre.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico. 2000. Disponível em: Acesso em 12 de out. de 2016.

CARDOZO, G. M. B. Q.; BARBIERI, M. K.; MORENO, I.; VAN DENDER, A. G. F.; TRENTO, F. K. H. S.; KUAYE, A. Y. Musca domestica L. como vetor de microrganismos patogênicos para queijo Minas Frescal ultrafiltrado. Brazilian Journal of Food Technology. v. 12, n. 2, p. 85-91, 2009.

CARVALHO, A. V. Acabe com as moscas! Arnaldo V. Carvalho. Ideias, Filosofia, Humanismo, Agenda, Saúde, Terapias, Meu Mundo. 14/05/2013. Disponível em: Acesso em 15 de out. de 2016.

CARVALHO, C. J. B. Muscidae (Diptera) of the Neotropical Region: Taxonomy. Curitiba: UFPR. 287 p. 2002.

DAJOZ, R. Ecologia Geral. 3 ed. Petrópolis: Vozes. 1978. 474 p.

D’ALMEIDA, J. M. Dípteros caliptrados (Muscidae e Anthomyiidae) da região metropolitana do Rio de Janeiro, RJ. II. Atividade e Frequência Sazonal. Revista Brasileira de Zoologia. v. 8, n. 1-4, p. 7-16, 1991.

D’ALMEIDA, J. M.; FRAGA, M. B. Efeito de diferentes iscas na atração de Califorídeos (Díptera) no Campus do Valonguinho, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária. v. 16, n. 4, p. 199-204, 2007.

DIAS, L. S; SANTANA, T. V. F.; GUIMARÃES, R. B. Incidência de Dípteros Muscóides (Insecta, Diptera) no Município de Presidente Prudente, São Paulo. VIII Fórum Ambiental da Alta Paulista. v. 8, n. 12, p. 208-221, 2012.

FOTEDAR, R.; BANERJEE, U.; SAMANTRAY, J. C.; SHRINIWAS, Vector potential of hospital houseflies with special reference to Klebsiella spp. Epidemiology and Infection. v. 109, n. 1, p. 143-147.1992.

FRANCO, B. D. G. M.; LANDGRAF, M. Microbiologia dos Alimentos. São Paulo: Atheneu. 2005.

FURLANETTO, L; MENDES, S. Análise microbiológica de especiarias comercializadas em feira livre e em hipermercados. Alimentos e Nutrição. v. 15, n. 2, p. 87-91, 2004.

FURLANETTO, S. M. R.; CAMPOS, M. L. C.; HARSI, C. M.; BURALLI, C. M.; ISHIHATA, G. K. Microrganismos Enteropatogênicos em moscas africanas pertencentes ao gênero Chrysomia (Diptera, Calliphoridae) no Brasil. Revista de Microbiologia. v. 15, n. 3, p. 170-174. 1984.

GARCIA, E. R. Contribuição ao Conhecimento da Fauna de Stratiomyidae (Insecta: Diptera) do Parque Municipal de Nova Iguaçu. Seropédica. 2009. 53 p. Dissertação (Mestrado). Instituto de Biologia. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

GREENBERG, B. Flies and Diseases. Volume 1. Princeton: Princeton University Press. 856 p. 1971.

IMBIRIBA, A. S. Incidência de enterobactérias encontradas em lotes de moscas, em abatedouros de Curitiba-PR e arredores. Arquivos de Biologia e Tecnologia. v. 22, n. 2, p. 197-206. 1979.

LEITE, G. L. D; DE SÁ, V. G. M. Apostila: Taxonomia, Nomeclatura e Identificação de Espécies. Minas Gerais: UFMG. Campus Montes Claros. 2010. Disponível em: Acesso em 26 de nov. de 2017.

MENEZES, S. C. Influência de Baixas Temperaturas Sobre a Eclosão dos Ovos e Desenvolvimento de Chrysomya megacephala (Fabricius, 1794) (Diptera: Calliphoridae). 2016. 36 p. Monografia (Conclusão de curso). Centro de Ciências Biológicas. Universidade Federal de Santa Catarina.

MONTEIRO, T. T.; SILVA, E. N. S; BRAVO, F. R. Levantamento taxonômico e sazonalidade de Calliphoridae, Muscidae e Fanniidae (Insecta: Diptera) em Feira de Santana, Bahia, Brasil. Entomo Brasilis, v. 7, n. 3, p. 171-177, 2014.

NUNES, E. S. C. L.; FRANCO, R. M.; MÁRSICO, E. T.; NOGUEIRA, E. B.; NEVES, M. S.; SILVA, F. E. R. Presença de bactérias indicadoras de condições higiênico-sanitárias e de patógenos em pirarucu (Arapaima giga Shing,1822) salgado seco comercializados em supermercados e feiras da cidade de Belém, Pará. Brazilian Journal of Veterinary and Animal Science. v. 19, n. 2, p. 98-103, 2012.

OMS (Organização Mundial da Saúde). Guia de Sistemas de Vigilância das Enfermidades Transmitidas por Alimentos e a Investigação de Surtos. Buenos Aires: OPAS/INPPAZ. 207 p. 2001.

PARALUPPI, N. D.; VASCONCELOS, J. C. D.; AQUINO, J. S. D.; CASTELLÓN, E. G.; SILVA, M. D. S. Calliphoridae (Diptera) in Manaus: IV. Bacteria isolated from blowflies collected in street markets. Acta Amazonica. v. 26, n. 1-2, p. 93-96, 1996.

RIBEIRO, M. J; DIAS, S. M. F.; TESHIMA, E.; BARBONI, A. R. Insalubridade ambiental e aspectos sociais associados a patógenos intestinais isolados de dípteros. Engenharia Sanitária e Ambiental. v. 16, n. 1, p. 83-90, 2011.

SCHULLER, L. As moscas domésticas e sua importância na transmissão de intoxicações e infecções alimentares. Revista Higiene Alimentar. v. 14, n. 73, p. 28-38, 2000.

SCHULLER, L. Microrganismos patogênicos veiculados por “formigas andarilhas” em unidades de alimentação. São Paulo. 2004. 120 p. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Saúde Pública. Universidade de São Paulo.

SILVA, J. F. Q.; FILIZOA, L. R. S.; MAIA, M. M. D.; SENA, M. J. Utilização de coliformes termotolerantes como indicadores higiênico-sanitários de queijo prato comercializado em supermercados e feiras livres de Recife-PE. Medicina Veterinária. v. 1, n. 2, p. 21-25, 2007.

SIQUEIRA, R. S. Manual de Microbiologia de Alimentos. Brasília: Serviço de Produção de Informação da EMBRAPA. 1995. 159 p.

SOUZA, B. Chaves para algumas ordens e famílias de Insecta. Minas Gerais: Universidade Federal de Lavras – Campus Lavras. 2007. Disponivel em: Acesso em 26 de nov. de 2017.

VASCONCELLOS A. R.; ANDREAZZE, A. M. ALMEIDA, H. F. P. ARAUJO, E. S.; OLIVEIRA, U. Seasonality of insects in the semi-arid Caatinga of Northeastern Brazil. Revista Brasileira de Entomologia. v. 54, p. 471-476. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.