Potencial toxicológico das águas do Rio Itapetininga sobre crescimento radicular de Allium cepa / Toxicologic potential of the waters of the Itapetininga River under root growth of Allium cepa

Edgar Rocha Pessotti, Ednilse Leme, Sandro Rostelato Ferreira

Resumo


A contaminação de água é um sério problema ambiental e cada vez mais são gerados resíduos domésticos e industriais que são descartados de forma inadequada e acabam contaminando os rios e lagos. O rio Itapetininga é o principal meio de abastecimento de água no município de Itapetininga (SP), e muito procurado para pesca como fonte de consumo. Este trabalho busca analisar os potenciais toxicológicos das águas do Rio Itapetininga sobre crescimento radicular de Allium cepa. Foram realizadas coletas em três pontos do rio (A, B e C), realizado análises físico, climático e microbiológico das águas; 6 bulbos de cebolas foram expostos, por 72 h, aos seguintes controles: negativo (água), positivo (paracetamol 750 mg/L), águas dos pontos A, B e C. Os resultados observados foram: presença de microorganismos em águas dos pontos A e B, e o crescimento radicular foram os seguintes: controle negativo: 2,1 ± 0,8 cm, controle positivo: 0,8 ± 0,3 cm, ponto A: 1,9 ± 0,5 cm, ponto B: 1,1 ± 0,3 cm e C: 1,8 ± 0,2 cm. As amostras de águas do Rio Itapetininga demonstraram contaminação microbiológica, mas não foram capazes de interferir de forma significativa no crescimento radicular de Allium cepa.


Palavras-chave


toxicidade, rio Itapetininga, Allium cepa.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGATINI MD, SILVA ACF, TEDESCO SB. Uso do sistema teste de Allium cepa como bioindicador de genotoxicidade de infusões de plantas medicinais. Revista Brasileira de Farmacognosia, 2007;17(3):444-447.

GALVÃO, M.F.O. Genotixicidade da água: o que é isso? Natal: EDUFRN. 2013Disponível: https://bloglbmg.wordpress.com/2014/05/28/genotoxicidade-da-agua-o-que-e-isso/. Acesso em: 15/05/2019.

KEMERICH, P. D. C. et al. Caracterização química da água subterrânea em área ocupada por cemitério: uso da técnica de espectrometria de fluorescência de raios-x por energia dispersiva (EDXRF). Rev Amb e Água. 2012. doi: 10.4136/1980-993X.

KRUGER R.A. Análise da toxicidade e da genotoxicidade de agrotóxicos utilizados na agricultura utilizando bioensaios de Allium cepa. [Dissertação] Mestrado em Qualidade Ambiental, 58f. Centro Universitário Feevale. Novo Hamburgo, 2009.

LEME, E.; SILVA, E.P.; RODRIGUES, P.S.; SILVA, I.R.; MARTINS, M.F.M.; BONDAN, E.F.; BERNARDI, M.M.; KIRSTEN, T.B. Billings reservoir water used for human consumption presents microbiological contaminants and induces both behavior impairments and astrogliosis in zebrafish. Ecotoxicology and Environmental Safety. 2018;161, 364–373.

LEVAN, A. The effect of colchicines on root mitoses in Allium. Hereditas. XXIV, p 471-486, 1938. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1601-5223.1938.tb03221.x. Acesso em: 29/05/2019.

MARCHI, G.; GUILHERME, L.R.G.; CHANG, A.C.; NASCIMENTO, C.W.A. Heavy metals extractability in a soil amended with sewage sludge. Sci. agric. (Piracicaba, Braz.). 2009. vol.66 no.5. 643-649.

MOLINARI, G.; SOLONESKI, S.; REIGOSA, M.S.; LARRAMENDY, M.L. In vitro genotoxicity and cytotoxic effects of ivermectin and its formulation ivomec on chinese hamster ovary (chock 1) cells. Journal of Hazardous Materials. 2009, 15,165:1074-82.

OLIVEIRA, J.P.W.; SANTOS, R.N.; BOEIRA, J.M. Genotoxicidade e Análises Físico-Químicas das águas do Rio dos Sinos (RS) usando Allium cepa e Eichhornia crassipes como bioindicadores. BBR - Biochemistry and Biotechnology Reports. 2012. v. 1, n. 1. 15-22.

OLIVEIRA, L.M.; VOLTOLINI, J.C.; BARBÉRIO, A. Potencial mutagênico dos poluentes na água do rio Paraíba do Sul em Tremembé, SP, Brasil, utilizando o teste Allium cepa. Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science. 2011, vol. 6, núm. 1, pp. 90-103.

PERON, A.; CANESINI, E.; CARDOSO, C. Potencial mutagênico das águas do Rio Pirapó (Apucarana, Paraná, Brasil) em células meristemáticas de raiz de Allium cepa L. Revista Brasileira de Biociências Brazilian Journal of Biosciences. 2009; v.7, n.2, 155-159.

RAMSDORF W. Utilização de duas espécies de astyanax (astyanax sp b e a. altiparanae) como bioindicadores de região contaminada por agrotóxico (Fazenda Canguiri – UFPR), 109f. Dissertação (Mestrado em Genética), Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2007.

RECHE, M.; PITTOL, M.; FIUZA. L. Bactérias como bioindicadores de qualidade de água de ecossistemas orizícolas da região Sul do Brasil. Oecologia Australis. 2010;14(2): 452- 463. doi:10.4257/oeco.2010.1402.08.

SABESP – Relatório anual da qualidade da água. Disponível em: http://www.sabesp.com.br/calandraweb/toq/2017/rqa2017_Itapetininga.pdf. Acesso em 20/05/2019.

SIGRH – Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo. Disponível em: http://www.sigrh.sp.gov.br/cbhalpa/apresentacao . Acesso em: 29/05/2019.

SOUSA, S.; MARTINS, K.; PEREIRA, T. Polimorfismo cromossômico em Capsicum chinense. Ciência Rural. 2011. Santa Maria, v.41, n.10, p.1777-1783.

VÁLIO, V.; TORNISIELO, S.; MALAGUTI, E. et al. Impacto do efluente tratado da estação de tratamento de esgoto na qualidade de água do Rio Itapetininga, SP. Holos environment. 2013;v.13 n 2, 2013 – p224. Issn: 1519-8634.

VASCONCELOS, V. M., SOUZA, C. F. Caracterização dos parâmetros de qualidade da água do manancial Utinga, Belém, PA, Brasil. 2011. doi: 10.4136-1980-993x.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.