Expressão de escherichia coli isolada de aves / Escherichia coli expression isolated from poultry

Ana Maria de Souza Almeida, Angélica Ribeiro Araújo Leonídio, Rafaela Magalhães Barros, Maria Auxiliadora Andrade

Resumo


Existem cepas patogênicas e não patogênicas de Escherichia coli (E. coli). Além disso, existem aves assintomáticas que albergam E. coli que possuem uma série de genes de virulência e resistência, mas a importância de aves clinicamente saudáveis serem portadoras de bactérias com potencial patogênico ainda não é totalmente esclarecido. Aves de diferentes espécies criadas em um mesmo ambiente é prática comum no território brasileiro. O teste de patogenicidade é um teste importante para classificar e avaliar uma patogenicidade de cepas bacterianas. Portanto, o presente estudo foi desenvolvido para avaliar a patogenicidade de cepas de E. coli isoladas de pato, peru, frango de corte e galinha, clinicamente saudáveis, posteriormente inoculados em pintos de um dia de idade. O teste de patogenicidade foi realizado com inóculos padronizados com 107 Unidades Formadoras de Colônia (UFC)/mL de E. coli originárias de pato, peru, frango de corte e galinha. Cada inóculo representava um tratamento e havia também um grupo controle, totalizando cinco tratamentos. Após a preparação dos inóculos, 0,1mL de cada foi administrado via saco aéreo torácico. Os sinais clínicos foram observados durante uma fase experimental, embora não tenha havido mortalidade registrada em nenhum dos tratamentos inoculados com E. coli. O quadro clínico mais frequente entre as aves dos diferentes tratamentos foi de caráter respiratório, caracterizado por dificuldade respiratória, espirros e estertores. O espirro foi o sinal clínico mais prevalente, como foi observado em 63% (7/11) dos tratamentos. As lesões macroscópicas também foram mais comuns no sistema respiratório, em 82% (9/11) dos tratamentos foi observado um tipo de lesão no sistema respiratório. As lesões mais graves, observadas durante a necropsia foram detectadas nas aves desafiadas por E.coli originária de galinha, seguida de pato, frangos de corte e perus. Através da análise bacteriana,E.coli foi mais frequentemente isolada da traqueia (77,2%), seguida dos sacos aéreos (81,8%) e fígado (72,7%). No baço (63,63%), o conteúdo intestinal (63,63%) e o pericárdio (54,5%) E.colifoi isolada com menor frequência. Os achados macroscópicos e os sinais clínicos de pintos de um dia desafiados por E.colioriginária de diferentes espécies de aves clinicamente saudáveis, e a confirmação da infecção por testes bacteriológicos, sugerem a capacidade de E.coli de causar doença em pintos independente da espécie de origem e que aves clinicamente saudáveis podem albergar E.coli potencialmente patogênicas.
  

Palavras-chave


Palavras-chave: enfermidade, índice de patogenicidade, pintos de um dia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.