Tratamentos térmicos na germinação de sementes de nêspera / Thermal treatment germination of loquat seeds

Marcus Vinicius Sandoval Paixão, Rafaela Barreto Cazaroto Grobério, Liz Santos Nascimento, Edno Ferreira dos Santos, Angélica Couto Correa, Ana Cecília Nepomuceno Hoffay

Resumo


Objetivo deste trabalho foi avaliar a germinação de sementes de nêspera (Eriobotryajapônica)por meio de tratamentos térmicos utilizados nas sementes. As sementes foram extraídas de frutos maduros, lavadas em água corrente e colocadas para secar em temperatura ambiente e submetidas aos seguintes tratamentos térmicos: água em temperatura 25°C por 30 minutos, geladeira por 6 horas e 24 horas (10°C),  gelo por 30 minutos (0°C). As sementes foram colocadas sobre duas folhas de papel germitest umedecido para avaliação da germinação e em germinador tipo BOD. Para cada tratamento foram usadas 50 sementes em DIC com cinco repetições. Foi avaliado a germinação, velocidade de germinação e tempo médio de germinação. As sementes mantidas em geladeira por 24 horas apresentaram melhor potencial de germinação, alta velocidade de germinação e baixo tempo médio de germinação. 


Palavras-chave


Eriobotrya japônica, Propagação, Estufa.

Texto completo:

PDF

Referências


BRACKMANN, A.; SAQUET, A. A.; CERETTA, M. Qualidade de nêspera (EriobotryajaponicaLindl.) armazenada em diferentes temperaturas e concentrações de CO2 e O2.Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v.2, n.3, p.183- 186, set./dez. 1996.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.Regras para Análise de Sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 399p.

BRASILEIRO, B. G.; SILVA, D. F.P.; BHERING,M. C.; MOURA, E. B. B.; BRUCKNER, C. H. Qualidade fisiológica de sementes de nêspera armazenadas em diferentes embalagens.Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal - SP, Volume Especial, E. 686-691, 2011.

CARVALHO, N.M.; NAKAGAWA, J. Sementes:ciência, tecnologia e produção. 4 ed. Jaboticabal, SP: FUNEP, 125p, 2000.

CASTRO, R. D., HILHOST, H. W. M. Embebição e Reativação do metabolismo. In Ferreira, A. G., Borghetti, F. (eds). Germinação - do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed. p. 149-162, 2004.

LABOURIAU, L. G.; VALADARES, M.E.B. On the germination of seeds Calotropisprocera(Ait.). Anais da Academia Brasileira de Ciências, v.48, n.2, p.263-284. 1976.

MAGUIRE, J.B. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seeding emergence vigor.Crop Science, v.2, n.2, p.176-177, 1962.

MAYER, A.M.; POLJAKOFF-MAYBER, A. The germination of seeds. New York, The McMillan Company. 1989270p.

OJIMA, M. et al. Cultura da nespereira. Campinas: Instituto Agronômico, 1999. 36p. (Boletim técnico, 185).

PENTEADO, S.R.; JUNQUEIRA, W.R. Nêspera. In: Manual técnico das culturas. 2.ed. Campinas: Editora, 1997. p.267-73.

PIO, R. et al. Aspectos técnicos do cultivo de nêsperas. Piracicaba: DIBD/ESALQ/USP, 2008. 30p. (Série Produtor Rural, 39).

SCALOPPI JUNIOR, E. J.; JESUS, N. de; MAR¬TINS, A. B. G. Capacidade de enraizamento de varie¬dades de nespereira submetidas à poda de renovação. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.26, n.1, p. 61-64, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.