Panorama do licenciamento ambiental das indústrias de envase de água no Ceará e os impactos dessa atividade ao meio ambiente frente às mudanças climáticas / Panorama of the environmental licensing of water packaging industries in Ceará and the impacts of this activity on the environment in the face of climate change

Marilângela da Silva Sobrinho, Edilson Holanda Costa Filho, Geziel dos Santos de Sousa, Alisson Carlos Melo Oliveira, Maria Eulália Costa Aragão

Resumo


Diante da escassez hídrica enfrentada pelos cearenses e dos impactos ambientais da indústria de envase de água, esse trabalho propõe contextualizar, geograficamente, as empresas que explotam água para consumo humano, licenciadas pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (SEMACE), de forma a verificar em quais regiões estão mais concentradas, quais os impactos ambientais negativos gerados por essa atividade, qual a relação com as mudanças climáticas e propor medidas adaptativas (preventivas e reativas), objetivando a sustentabilidade ambiental da atividade. Assim, verificou-se que a exploração de água envasada está concentrada na Região Metropolitana de Fortaleza, com destaque para Aquiraz e Pacoti, cujos impactos ambientais, que assumem magnitudes diferentes conforme a localização, destaca-se a escassez de recursos hídricos, a retirada da vegetação, a degradação do solo e consequentemente a sua desertificação, bem como a intrusão salina. Diante desse cenário é urgente propor medidas adaptativas, tendo em vista os riscos dos cenários de mudanças climáticas, com aumento da temperatura e redução da pluviosidade.


Palavras-chave


exploração hídrica água, mudanças climáticas, impactos ambientais, medidas adaptativas.

Texto completo:

PDF

Referências


GREEPEACE. Mudanças do Clima, Mudanças de Vida: Como o aquecimento global já afeta o Brasil.São Paulo, ago.2006.

IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change. Climate Change 2014: Synthesis Report. Contribution of Working Groups I, II and III to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Editadopor The Core Writing Team et al. Cambridge/New York, Cambridge University Press/IPCC, 2014. Disponível em: https://www.ipcc.ch/pdf/assessment-report/ar5/syr/SYR_AR5_FINAL_full_wcover.pdf>. Acesso em: 30 maio 2018.

PHILIPPI JR. ARLINDO; ET. AL. Curso de Gestão Ambiental- (Coleção Ambiental; 1). Barueri, SP: Manole, 2004. 1033p.

ROTHBARTH, Arno. Disposição dos efluentes de osmose reversa. Disponívelem: Acesso em: 20 jan. 2018.

SOARES, M. Tales; et. al. Destinação de águas residuárias provenientes do processo de dessalinização por osmose reversa. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Campina Grande, PB, volume 10, número 3, p.730-737, 2006.

SOUZA, Maria Cristina Oliveira. Mudanças Climáticas e Energia: Um estudo sobre contribuições brasileiras diante de um novo regime climático. 2017. 215 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Geopolítica Científica e Tecnológica, Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

VECCHIA, Rodnei. Energia das Águas: paradoxo e paradigma. Barueri, SP: Minha Editora, 2014. 220p.

ZANELLA, Maria Elisa. As características climáticas e os recursos hídricos do Estado do Ceará. In: SILVA, José Borzacchiello et al.Ceará: um novo olhar estratégico.Fortaleza: Demócrito Rocha, 2005. p. 23-28.

PLANO NACIONAL DE ADAPTAÇÃO À MUDANÇA CLIMÁTICA (PNA). Volume II: Estratégias Setoriais e Temáticas- Versão Pós-Consulta Pública. MMA, Brasília, 2016. Disponivel em: http://www4.unfccc.int/nap/Documents/Parties/Brazil/Brazil%20PNA_%20Volume%202.pdf . Acesso em: 21 jul.2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.