Influência do ácido acetilsalicílico na emergência e na indução à resistência ao déficit hídrico em Amburana Cearensis

Rafaella Gouveia Mendes, Josef Gastl Filho, Amanda Fialho, Danylla Paula de Menezes, Ana Paula Santos da Silva, Maria Auxiliadora Miguel Jacob

Resumo


O presente estudo objetivou avaliar os efeitos da aplicação exógena do ácido acetilsalicílico (AAS) na emergência de sementes de Amburanacearensis, assim como a indução da resistência ao déficit hídrico. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 2, ou seja, 2 (duas) concentrações de AAS (0,0 e 100,0 mg L-1) e 2 (dois) regimes de irrigação (diária e alternada), perfazendo total de 4 tratamentos (T1= 0,0 mg L-1 e diária; T2= 0,0 mg L-1 e alternada; T3=100,0 mg L-1 e diária; 100,0 mg L-1 e alternada). As variáveis analisadas foram: porcentagem de emergência (PE) e porcentagem de mortalidade (PM). Os dados obtidos foram submetidos ao cálculo das medidas de dispersão e análise de variância (ANOVA), sendo comparados por meio do Teste de Tukey a 5% de probabilidade. Houve diferença estatística entre o T2 (p<0,05) e os demais tratamentos, sendo que este apresentou o menor percentual de emergência, o que, claramente pode ser atribuído ao regime hídrico, ao qual às sementes foram submetidas. Em igual regime hídrico, as sementes apresentaram porcentagem significativamente mais alta, o que pode ser atribuído ao tratamento pré-germinativo com 100 mg L-1 de AAS, que auxilio na emergência em condições de déficit hídrico. Na avaliação de PM das plantas, os tratamentos cuja irrigação foi realizada diariamente (T1 e T3), não se diferiram entre si (p>0,05). A mortalidade mais alta foi registrada no T2, onde não houve tratamento com AAS, e a irrigação foi alternada. Conclui-se que o tratamento das sementes deAmburana Cearensis, com AAS leva a indução da planta à resistência ao déficit hídrico, permitindo redução da mortalidade das mesmas, e o aumento do índice de emergência da espécie em condições hídricas desfavoráveis. 


Palavras-chave


Cerejeira; Irrigação; Fisiologia de sementes; Produção de mudas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. P. N.; PINHEIRO, C. L.; TRINDADE LESSA, B. F.; GOMES, F. M.; MEDEIROS FILHO, S. Estresse hídrico e massa de sementes na germinação e crescimento de plântulas de Amburana cearensis (Allemão) AC Smith. Revista Ciência Agronômica, v. 45, n. 4, p. 777-787, 2014.

AGARWAL, S. et al. Changes in antioxidant enzymes activity and oxidative stress by abscisic acid and salicylic acid in wheat genotypes. Biologia Plantarum, Copenhagen, v. 49, n. 4, p. 541-550, 2005.

AVILA, M. R. et al. Influência do estresse hídrico simulado com manitol na germinação de sementes e crescimento de plântulas de canola. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 1, p. 98- 106, 2007.

BELLO, E. P. B. C. E. S. et al. Germinação de sementes de Amburana acreana (Ducke) A.C. Sm. submetidas a diferentes condições de temperatura e de estresse hídrico.Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 30, n. 3, p. 16-24, set./dez. 2008.

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Seeds: physiology of development and germination. New York and London: Plenum Press, 1994. 445 p.

BEZERRA, A. M. E.; CANUTO, K. M.; SILVEIRA, E. R. Estudo fitoquímico de espécimens jovens de Amburanacearensis A.C. Smith. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA, 29., 2005, Águas de Lindóia. Anais... Águas de Lindóia: 2005. 2p.

CANUTO, K. M.; SILVEIRA, E. R;. Constituintes químicos da casca do caule de Amburanacearensis A.C. SMITH. Química Nova, Fortaleza, v. 29, n. 6, p.1241-1243, 2006.

CUNHA, M. do C. Learth; FERREIRA, R. A. Aspectos morfológicos da semente e do desenvolvimento da planta jovem de Amburanacearensis (Arr. Cam.) A.C. Smith - Cumaru - LeguminosaePapilionoideae. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 25, n. 2, p.89-96, 2003.

GUEDES, R. S.; ALVES, E. U.; GONÇALVES, E. P; Braga Júnior, J. M.; Viana, J. S.; Colares, P. N. Q. Temperatures and substrates for germination and vigor test of Amburanacearensis (Allemão) A.C. Smith seeds. RevistaÁrvore, Viçosa-MG, v. 34, n. 1, p.57-64, 2010.

JOSEPH, B.; JINI, D.; SUJATHA, S. Insight into the role of exogenous salicylic acid on plants grown under salt environment.Asian Journal of Crop Science, Faisalabad, v. 2, n. 4, p. 226-235, 2010.

KHAN, W.; PRITHVIRAJ, B.; SMITH, D. L. Photosynthetic responses of corn and soybean to foliar application of salicylates.Journal of Plant Physiology, Stuttgart, v. 160, n. 5, p. 485-492, 2003.

MAZZUCHELLI, E. H. L.; SOUZA, G. M.; PACHECO, A. C.. Rustificação de mudas de eucalipto via aplicação de ácido salicílico. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 44, n. 4, p.443-450, 2014.

NOGUEIRA, R. J. M. C.; SANTOS, R. C. dos. Physiological alterations in peanut submitted to water stress. Revista Brasileira Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 4, n. 1, p.41-45, 2000.

RIVAS-SAN VICENTE, M.; PLASENCIA, J. Salicylic acid beyond defence: its role in plant growth and development. Journal of Experimental Botany, Oxford, v. 62, n. 10, p. 3321-3338, 2011.

SINGH, B.; USHA, K. Salicylic acid induced physiological and biochemical changes in wheat seedlings under water stress. Plant Growth Regulation, Dordrecht, v. 39, n. 2, p. 137-141, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.