Risco geológico decorrente da erosão hídrica na zona urbana de Santarém-Pará-Brasil. Caso de estudo: avenida Bugaville

Rosane Silva dos Santos, Christiane do Nascimento Monte

Resumo


A chuva sofre alterações no ciclo hidrológico devido o asfalto, dificultando a infiltração no solo, ocorrendo a erosão hídrica e ampliando as áreas de risco na zona urbana de Santarém-PA. As obras de drenagem foram insuficientes para conter os efeitos da enxurrada e da erosão. Este trabalho tem como objetivos identificar os problemas resultantes da erosão hídrica na zona urbana de Santarém-PA, assim como classificar quanto ao risco de inundação e de escorregamento na avenida Bugaville, sendo apresentado como estudo de caso para possíveis desdobramentos do estudo em outras áreas. Foi realizada a setorização de risco em áreas urbanas que se inicia pelo uso de bases cartográficas, sensores remotos e da bibliografia disponível.  A aplicação do grau de risco adotado pelo Ministério das Cidades e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) (2007), o qual se baseou nos critérios criados por Cerri (2006) para enquadrar os setores da rua. O processo de urbanização apresentou três principais impactos: aumento das vazões máximas, aumento das produções de sedimentos e a pressão antrópica em direção aos rios e aos canais. A falta de drenagem eficiente na avenida, oriunda de planejamento urbano impotente e a suscetibilidade à erosão da geologia do local, aumentaram os riscos do local.


Palavras-chave


Santarém-PA; Risco Geológico; Erosão hídrica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FILHO, Gerson Salviano de. GOUVEIA, Maria Isabel Faria. RIDENTE JUNIOR, José Luis. CANIL, Kátia. Prevenção de erosão em áreas urbanas – Simpósio Nacional de Controle de Erosão. 21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental- 1999. Disponível em :< http://www.bvsde.paho.org/bvsaidis/saneab/brasil/ix-003.pdf>. Acesso em 03/01/2019 as 21h 12min.

ALMEIDA, F. F. M.; HASUI, Y.; BRITO NEVES, B. B. The Upper Precambrian of South America. Boletim. IG-USP, v.7, p 45-80, 1976.

ALMEIDA, F. F. M.; BRITO NEVES, B. B.; CARNEIRO, C. D. R. The origin and evolution of the South American Platform. Earth Science Reviews, v.50, p. 77-111, 2000.

ALMEIDA, F.F.M.; BRITO NEVES, B.B.; FUCK, R. Brazilian structural provinces: an introduction. Earth-Science Reviews, v.17, p 1-29, 1981.

ALMEIDA, M.C.J. & FREITAS, C.G.L. (1996) Uso do solo urbano: suas relacoes com o meio fisico e problemas decorrentes. In: SimposioBrasileiro de Cartografia Geotecnica, 2, p. 195‑200

AMORIM, Antônia Terezinha dos Santos. Santarém: Uma Síntese Histórica. 1ª Edição, Canoas, Ed. ULBRA, 1999.

ANDRETTA, E.R.; LADEIRA, L.F.B.; SANTOS, J.M.; LIMA, R.H.C. (2013)Mapeamento das areas de risco no bairro Gilberto Mestrinho, zona leste de Manaus ‑ AM. Estudos Geologicos, v. 23, n. 1, p. 3‑11.

BANDEIRA, A.P.N.Mapa de risco de erosão e escorregamento das encostas com ocupações desordenadas no município de Camaragibe-PE. 233F. Dissertação, Mestrado em engenharia civil, Universidade Federal de Pernambuco, 2003

BRASIL. Ministerio das Cidades; IPT – Instituto de PesquisasTecnologicas (2007) Mapeamento de riscos em encostas e margem de rios. Ministerio das Cidades e IPT ‑ Instituto de PesquisasTecnologicas, Brasilia.

BRITO. Annanery de Oliveira. Estudos da Erosão no Ambiente Urbano, visando Planejamento e Controle Ambiental no Distrito Federal. Dissertação de Mestrado em Engenharia Florestal. Publicação PPG EFL. Departamento de Engenharia Florestal, Universidade de Brasília, Brasilia, DF. 2012

BRITO NEVES, Benjamin Bley de; CORDANI, Umberto G. Tectonic evolution of South America during the Late Proterozoic. In: R. J. Stern and W. R. van Schmus (Editors), Crustal Evolution in the Late Proterozoic. Precambrian Research, v. 53, 1991, p. 23-40.

CAPUTO M.V. Stratigraphy, tectonics, paleoclimatology and paleogeography of northern basins of Brazil. Tese de Doutorado, University of California, Santa Barbara, 583 p. 1984

CARDOSO, Estélio José. SANTOS, Moacir José. CARNIELLO, Monica Franchi. O Processo de Urbanização Brasileiro. XV Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e XI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba. 2011

CERRI, L.E.S. Mapeamento de Áreas de Risco. In: Prevenção de Riscos e Deslizamentos em Encostas, Brasília: Ministério das Cidades/Cities Alliance) p.44–55.2006

CERRI, L.E.S. Riscos geológicos associados a escoregamentos: uma proposta para prevenção de acidentes. Rio Claro, SP, 1993. Tese de Doutorado - Instituto de Geociências e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (IGCE/Unesp).

CLIMATE-DATA.ORG. Clima Santarém. Disponível em :. Acesso em 28/12/2018 as 14h 30min.

CORDANI, Umberto G.; BRITO NEVES, B. B.; THOMAZ FILHO, A. Estudo preliminar de integração do Pré-Cambriano com os eventos tectônicos das bacias sedimentares brasileiras (Atualização). Bol. Geociênc. Petrobras, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 205-219, 2009

CORDANI, U.G. & BRITO NEVES, B.B. 1982. The geologic evolution of South America during the Archean and Early Proterozoic. Revista Brasileira de Geociências, 12:78-88

CORDANI, U.G., Sato, K., Teixeira, W., Tassinari, C.C.G., Basei, M.A.S. 2000. Crustal evolution of the South American Plataform. In: Tectonic Evolution of South America. Edited by: Cordani, H.G., Milani, E.J., Thomaz Filho, A., Campos, D.A. 2000 pp. 19-40.

CORDANI, U.G., TASSINARI, C.C.G., KAWASHITA, K. A. 1984. Serra dos Carajás como região limítrofe entre províncias tectônicas. Ciências da Terra, 9:6-11

CPRM- Centro de Pesquisa de Recursos Minerais, por BRANCO, Pércio de Moraes. Rochas. 2015. Disponível em: < http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas---Rede-Ametista/Canal-Escola/Rochas-1107.html?UserActiveTemplate=&from_info_index=46>. Acesso em 04/01/19

CPRM – SERVIÇO GEOLÓGICO DO BRASIL. A Atuação do Serviço Geológico do Brasil – CPRM na Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais. In: VI Congresso CONSAD de Gestão Pública, Brasília, 2013.

CPRM – SERVIÇO GEOLÓGICO BRASILEIRO. Geodiversidade do estado do Pará/ Organização Xafi da Silva Jorge João, Sheila Gatinho Teixeira, Dianne Danielle Farias Fonseca. - Belém: CPRM, 2013.

CUNHA F.M.B., GONZAGA F.G., COUTINHO L.F.C. FEIJÓ F.J. Bacia do Amazonas. Bol. Geoc. Petrob., 8:47-55. 1994.

CUNHA P.R.C., Melo J.H.G., Silva O.B.Bacia do Amazonas. Boletim de Geociências da Petrobras, 15(2): 227- 251p. 2007.

DAEMON R.F. Contribuição à datação da Formação Alter do Chão, bacia do Amazonas. Rev. Bras. Geo. 5:58-84. 1975

DINO R., Silva O.B., Abrahão D. Palynological and stratigraphic characterization of the Cretaceous strata from the Alter do Chão Formation, Amazonas basin. In: UNESP, Simpósio sobre o Cretáceo do Brasil and Simpósio sobre el Cretácico de América del Sur, 5, Anais, p. 557-565. 1999

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos, Rio de Janeiro, RJ. Caracterização dos solos da área do planalto de Se/terra, município de Santarém, Estado do Pará/ Tarcísio Ewerton Rodrigues ...et al. - Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2001,55p.; 22cm. - (Embrapa Amazônia OrientaL Documentos, 115) http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- EMBRAPA. Latossolos amarelos. Disponível em: < http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/solos_tropicais/arvore/CONT000fzyjaywi02wx5ok0q43a0r58asu5l.html>. 2002. Acesso em 21/12/2018 as 21h50min.

FACURI, G.G. Similaridades Na Setorização De Riscos Geológicos Dos Municípios De Dracena, Parapuã E Cafelândia, SP.Geociências, v. 35, n. 3, p.405-413, 2016

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico de 2010. Brasília: IBGE, 2010a. Disponível em:http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/ populacao/censo2010/default.shtm acessado em 02 Dez. 2018.

IPT – Instituto de Pesquisas Tecnologicas. (2013) Relatorio Tecnico no 131.405‑205‑63/122. Publicacoes IPT, Sao Paulo.

KERTZMAN, F. F. et al. Mapa de Erosão do Estado de São Paulo. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, 1995. Especial: 31 – 36.

KOBYIAMA, M.; MENDONCA, M.; MORENO, D.A.; MARCELINO, I.P.V.O.;MARCELINO, E.V.; GONGLAVES, E.F.; BRAZETTI, L.L.P.; GOREL, R.F.;MOLLERI, G.S.F.; RUDORFF, F.M. (2006) Prevencao de desastres naturais: conceitos basicos. Curitiba: Editora Organic Trading. 2006

LOPES, C.C. Análise Das Alterações Morfodinâmicas Da Micro Bacia Do Irurá Santarém-PA. 69f. Trabalho de Conclusão de Curso, Curso de Geologia, Universidade Federal do Oeste do Pará, 2018.

MENDES, Anderson Conceição. Litofácies e minerais pesados da Formação Alter do Chão (Cretáceo), região de Óbidos-PA, parte central da bacia do Amazonas. Dissertação (Mestrado em Geologia) – Programa de PósGraduação em Geologia e Geoquímica, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010.

MENDES, A. C.; TRUCKENBROD, W.; NOGUEIRA, A. C. R. Análise faciológica da Formação Alter do Chão (Cretáceo, Bacia do Amazonas), próximo à cidade de Óbidos, Pará, Brasil. Revista Brasileira de Geociências. Arquivo digital disponível on-line no site www.sbgeo.org.br 39 42(1): 39-57. 2012.

MOTTA, D.; MATA, D. O crescimento das cidades médias. In: IPEA. Boletim Regional e Urbano.1. Brasília: IPEA, Dezembro/ 2008. p. 33-43. KISTLER P. Historical resume of the Amazon Basin. Belém, PETROBRAS/RENOR, Relatório interno 104-A.1954

OLIVEIRA, Carlos Eduardo. AQUINO, Cláudia Maria Sabóia de. Crescimento Urbano E Impactos Sobre A Cobertura Vegetal No Bairro Vale Do Gavião - Teresina – PI – BR. Revista da Casa da Geografia de Sobral, Sobral/CE, v. 17, n. 2, p. 68-84, Jul. 2015, http://uvanet.br/rcgs. ISSN 2316-8056 © 1999

OLIVEIRA, J.M.G.C. Expansão urbana e periferização de Santarém-PA, Brasil: Questões para o planejamento urbano. X Colóquio Internacional de Geocrítica, Barcelona 2008. Disponível em:. Acesso em 21/07/2017 as 20h04min.

PONÇANO, W. L. et al. Discriminação de Áreas com Diferentes Suscetibilidades à Erosão por Boçorocas e Ravinas na Bacia do Peixe-Paranapanema – SP. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 5º, São Paulo, 1987. Anais. São Paulo: ABGE, p. 423-429.

RODRIGUES,F.S; Listo, F.L.R. Mapeamento de áreas de risco a escorregamentos e inundações em áreas marginais a rodovias na Região Metropolitana de São Paulo. Engenharia Sanitária e Ambiental DOI 10.1590/S1413-41522016152649, 2016

SALOMÃO, F. X. T.; IWASA, O. Y. Erosão e a ocupação rural e urbana. In: BITAR, O.Y.(Org) Curso de Geologia Aplicada ao Meio Ambiente. São Paulo: ABGE/IPT,1995, p. 31.

SCHOBBENHAUS, C., & BRITO NEVES, B. B. D. (2003). A geologia do Brasil no contexto da Plataforma Sul-Americana. Geologia, tectônica e recursos minerais do Brasil, 5-54.Geologia Tectônica e Recursos Mineirais do Brasil. Brasília. 2003.

SOARES, G.B; Santos,M.B. Análise Dos Problemas Ambientais Entorno Do Aterro De Perema E Suas Consequências Para As Comunidades Circunvizinhas. 55f. Trabalho de Conclusão de Curso de Geologia, Universidade Federal do Oeste do Pará, 2018.

SOUBHIA, Paula Flumian; BIBLIO, Uriel Cardoso Pasta. Erosão e Assoreamento em Áreas Urbanas. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária. Águas em Ambientes Urbanos. 2010.

TANCREDI, A.C.F.N.S. Recursos hídricos subterrâneos de Santarém: fundamentos para uso e proteção. 1996. 141f. Tese (Doutorado em Geoquímica) – Centro de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 1996.

TAVARES, A. C.; MENDES, A. C.; KUNIFOSHITA, A. M. U.; SIQUEIRA, J. W. T. 2017. Reconstrução paleoambiental da Formação Alter do Chão na área urbana de Santarém-PA. 16° Congresso da Sociedade Brasileira e Geoquímica (SBGQ) Búzios, RJ Universidade Federal do Oeste do Pará – UFOPA, Campus de Santarém-PA, Universidade Federal do Pará – UFPA, Campus de Belém – PA.

TUCCI, C. E. M., COLLISHONN, W. Drenagem Urbana e Controle de Erosão. In: VI Simpósio Nacional de Controle da Erosão, Presidente Prudente, São Paulo, 1998.

TUCCI, C. E. M. Drenagem Urbana, in: Ciência e Cultura, on-line version ISSN 2317-6660.Cienc. Cult. vol.55 no.4 São Paulo Oct./Dec. 2003. Disponível em: < http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php>. Acesso em 29/12/2018 as 21h17min


Apontamentos

  • Não há apontamentos.