A integração de simulação computacional no processo projetual de um edifício vertical multifamiliar na ZB7 / Integration of computational simulation in the project process of a multifamiliary vertical building in ZB7

Carlos Alberto da Silva Júnior, Aldomar Pedrini, Clara Ovídio de Medeiros Rodrigues

Resumo


Este trabalho demonstra a importância da integração de métodos e ferramentas de auxílio à tomada de decisões projetuais durante a elaboração do projeto de uma edificação habitacional multifamiliar vertical para uma cidade com clima de características quente e seco, e também de quente e úmido. São apresentados o processo projetual, a avaliação do projeto pelo método prescritivo da etiqueta PBE-Edifica, e a quantificação do desempenho do projeto por meio de simulações computacionais. Os resultados apresentam comparações da ocorrência de horas em conforto e os níveis de eficiência energética alcançados. A utilização de estratégias bioclimáticas acompanhadas por ferramentas de quantificação integradas ao processo projetual podem aumentar em cerca de 20% a ocorrência das horas em conforto, bem como mudar a classificação da etiqueta PBE-Edifica de E para A. Também foi demonstrado que mesmo com uma boa solução de envoltória a operação inadequada das aberturas podem interferir reduzindo até 25% a ocorrência das horas em conforto. Esses resultados contribuem no entendimento do impacto da envoltória seletiva para o clima estudado, bem como na discussão da influência do comportamento do usuário no desempenho das habitações.


Palavras-chave


simulação computacional, estratégias bioclimáticas, desempenho térmico, Etiqueta PBE- Edifica.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. NBR 15220 - Desempenho Térmico de Edificações Parte 3: Zoneamento Bioclimático Brasileiro e Diretrizes Construtivas para Habitações Unifamiliares de Interesse Social. Parte 3: Zoneamento Bioclimático Brasileiro e Diretrizes Construtivas para Habitações Unifamiliares de Interesse Social. Rio de Janeiro: ABNT 2005.

ASHRAE. ASHRAE handbook of fundamentals: New York: ASHRAE, 2001.p.

AUGENBROE, G. Integrated building performance evaluation in the early design stages. Building and Environment, v. 27, n. 2, p. 12, Abr 1992 1992. Disponível em: < http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/036013239290019L >

BALCOMB, D. The coming revolution in building design. Environmentally Friendly Cities - PLEA'98, 1998, Lisbon. James & James Science Publishers Ltd, June. p.33-37.

CUNHA, Leonardo Jorge Brasil de Freitas. Análise de métodos para aplicação de ventilação natural em projetos de edificações em Natal-RN, Natal, RN, 2010.

DIAS, A. R. D.; RODRIGUES, C. O. D. M.; SILVA, M. M. G.; ALVES, A. W. C.; PEDRINI, A. Estratégias bioclimáticas associadas à simulação computacional no processo projetual em clima quente seco: Aplicação no projeto da plataforma solar - Petrolina/PE. XII Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído e VIII Encontro Latinoamericano de Conforto no Ambiente Construído. Brasília: UnB 2013.

HENSEN, H. L. M.; LAMBERTS, R. Introduction to building performancce simulation. In: HENSEN, H. L. M. e LAMBERTS, R. (Ed.). Building Performance SImulation for Design and Operation. 1. New York: Spon Press, 2011. cap. 1, p.12.

HOLM, D. Building thermal analyses: What the industry needs: The Architect's perspective. Building and Environment, v. 28, n. 4, p. 2, Out 1993 1993. Disponível em: < https://doi.org/10.1016/0360-1323(93)90017-W >.

HONG, T.; D'OCA, S.; TURNER, W. J. N.; TAYLOR-LANGE, S. C. An ontology to represent energy-related occupant behavior in buildings. Part I: Introduction to the DNAs framework. Building and Environment, p. 14, 13 fev 2015 2015.

INMETRO. Regulamento técnico da qualidade para o nível de eficiência energética edificações residenciais. Anexo da portaria INMETRO nº 449/ 2010. Rio de Janeiro: 134 p. 2010.

LAMBERTS, Roberto, et al. Desempenho térmico de edificações: Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2000.p. LAWSON, B. Como arquitetos e designers pensam. São Paulo: Oficina de textos, 2011.

MATOS, J; PEDRINI, A; TINÔCO, M; RUCK, A. Análise tipológica de edifícios residenciais verticais à luz do rtq-r, Natal, 12,13,14 de Novembro de 2014.

MCELROY, L. B.; CLARKE, J. A.; HAND, J. W.; MACDONALD, I. A. Delivering simulation to the profession: The next stage? Seventh International IBPSA Conference. Rio de Janeiro, Brazil: Building Simulation: 831-836 p. 2001.

MONTEIRO, L. M.; BITTENCOURT, L.; YANNAS, S. Arquitetura da adaptação. In: GONÇALVES, J. C. S. e BODE, K. (Ed.). Edifício Ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2015. cap. 1, p.27-55.

MORBITZER, C.; STRACHAN, P.; WEBSTER, J.; SPIRES, B.; CAFFERTY, D. Integration of building simulation into the design process of an architecture practice. Seventh International IBPSA Conference. Rio de Janeiro, Brazil: Building Simulation 2001.

OLGYAY, V. Design with climate: bioclimatic approach to architectural regionalism. Princeton, N. J.: Princeton University Press, 1963.

PACHECO, G.H.S. Determinação de recomendações bioclimáticas para habitação de interesse social de quatro climas do rio grande do norte.

134. Dissertação –Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2015.

Plano Diretor de Mossoró - Lei complementar Nº 12, de dezembro de 2006


Apontamentos

  • Não há apontamentos.