Além da Medicina: estratégias de fé no enfrentamento do câncer / Beyond Medicine: faith strategies in coping with cancer

Damaris Nunes de Lima Rocha Morais, Arlene de Castro Barros

Resumo


Diversos estudos apontam para a relevância do enfrentamento religioso/espiritual em contextos de saúde, tornando-se importante aos profissionais o reconhecimento dessas estratégias para que trabalhem integralmente o ser. O objetivo deste trabalho foi investigar a religiosidade/espiritualidade de 42 pacientes em tratamento em hospital oncológico de Goiânia, identificar suas estratégias de enfrentamento e fé. Aplicou-se a Medida Multidimensional Breve de religiosidade/espiritualidade, chegando-se à conclusão que os pacientes da amostra têm alto índice de religiosidade/espiritualidade e que a fé tem grande impacto sobre suas crenças, gerando expectativa positiva com relação ao tratamento. Todos participantes consideraram a fé importante no enfrentamento da doença e as estratégias de enfrentamento religioso/espiritual mais utilizadas foram: conforto na religião, cuidado de Deus, oração, apoio da comunidade.

 


Palavras-chave


fé, estratégias, enfrentamento, câncer, religiosidade/espiritualidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Agostinho, n.d. Sermões 4.1.1.

Antoniazzi, A. S., Dell’Aglio, D. D.& Bandeira, D. R. (1998). O conceito de

coping: uma revisão teórica [Versão eletrônica]. Estudos de Psicologia

(Natal), 3, 273-294.

Bento XVI. O Papa Bento XVI explica o que é fé. (2012, Outubro 24). ACI/EWTN

Notícias. Retirado em 23 de novembro de 2015 do site

http://www.acidigital.com/noticias/o-papa-bento-xvi-explica-o-que-e-a-fe-

/

Bíblia Nova Versão Internacional. São Paulo: Editora Vida.

Carvalho, M. M. (2002). Psico-oncologia: história, características e desafios.

Psicologia USP, 13, 151-166. Retirado em 1º de maio de 2015 do site

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-

Costa Júnior, A. L. (2001). O desenvolvimento da psico-oncologia: implicações

para a pesquisa e intervenção profissional em saúde. Psicologia, Ciência

e Profissão, 21, 36-43. Retirado em 1º de maio de 2015 do site

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-

&script=sci_arttext

Costa, P. & Leite, R. C. B. O. (2009). Estratégias de Enfrentamento Utilizadas

pelos Pacientes Oncológicos Submetidos a Cirurgias Mutiladoras.

Revista Brasileira de Cancerologia, 55, 355-364.

Cursio, C. S. S.(2013). Validação da versão em Português da “Brief

Multidimensional Measure of Religiousness/Spirituality” ou “Medida

Multidimensional Breve de Religiosidade/Espiritualidade” - BMMRS-P.

Dissertação de Mestrado não publicada, Universidade Federal de Juiz

de Fora. Retirado em 13 de junho de 2015, do site:

http://www.ufjf.br/nupes/files/2013/12/Disserta%C3%A7%C3%A3o-

Valida%C3%A7%C3%A3o-BMMRS-Cristiane-S-S-Curcio.pdf

Faria, J. B. & Seidl, E. M. F. (2005). Religiosidade e Enfrentamento em

Contextos de Saúde e Doença: Revisão da Literatura. Psicologia:

Reflexão e Crítica, 18, 381-389.

Fernandes Júnior, H. J. (2000). Introdução ao Estudo das Neoplasias. Em F. F.

Bacarat, H. J. Fernandes Júnior. & M. J. Silva (Orgs.), Cancerologia Atual:

Um Enfoque Multidisciplinar (pp. 3-10). São Paulo: Roca.

Ferreira, A. B. H. (1986). Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de

Janeiro: Nova Fronteira.

Folkman, S., Lazarus, R. S., Gruen, R. J.& DeLongis, A. (1986). Appraisal,

Coping, Health Status and Psychological Symptoms. Journal of

Personality and Social Psycology, 50, 571-579.

Fornazari, S. A., & Ferreira, R. E. R. (2010). Religiosidade/Espiritualidade em

Pacientes Oncológicos: Qualidade de Vida e Saúde. Psicologia: Teoria e

Pesquisa, 26, 265-272.

Gobatto, C. A. & Araújo, T. C. C. F. (2010). Coping religioso-espiritual:

reflexões e perspectivas para atuação do psicólogo em oncologia.

Revista SBPH, 13, 50-63.

Guerrero, G. P., Zago, M. M. F., Sawada, N. O., & Pinto, M. H. (2011). Relação

entre espiritualidade e câncer: perspectiva do paciente. Revista Brasileira

de Enfermagem, 64, 53-59.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2010). Censo demográfico.

Retirado em 31 de outubro de 2015 do site http://www.ibge.gov.br

Mandal, A. (2013). What is Oncology. News-Medical. Retirado em

de abril de 2015 do site http://www.news-medical.net/health/What-is-

Oncology.aspx

Mesquita, A. C., Chaves, E. C. L., Avelino, C. C. V., Nogueira, D. A., Panzini, R.

G.& Carvalho, E. C. (2013). A utilização do enfrentamento

religioso/espiritual por pacientes com câncer em tratamento

quimioterápico. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 21, 539-545.

Panzini, R. G. & Bandeira, D. R. (2007). Coping (enfrentamento)

religioso/espiritual. Revista Psiquiatria Clínica, 34, 126-135.

Pargament, K. I., Koenig, H. G. & Perez, L. M. (2000). The Many Methods of

Religious Coping: Development and Initial Validation of RCOPE. Journal

of Clinical Psychology, 56, 519-543.

Peres, J. F. P., Simão, M. J. P.& Nasello, A. G. (2007). Espiritualidade,

religiosidade e psicoterapia. Revista de Psiquiatria Clínica, 34, 136-145.

Reeber, M. (2002). Religiões: termos, conceitos e ideias. (L.C. Guerra, trad.)

Rio de Janeiro: Ediouro.

Scannavino, C. S. S., Sorato, D. B., Lima, M. P., Franco, A. H. J., Martins, M.

P.& Morais Jr., J. C., et al. (2013). Psico-oncologia: Atuação do

Psicólogo no Hospital de Câncer de Barretos. Psicologia USP, 24, 35-

Retirado em 1º de maio de 2015 do site

itehttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-

&script=sci_arttext

Silva, L. C. (2008). Câncer de Mama e Sofrimento Psicológico: Aspectos

relacionados ao feminino. Psicologia em Estudo, 13, 231-237. Retirado

em 1º de maio de 2015 do site

http://www.scielo.br/pdf/pe/v13n2/a05v13n2

Vassão, E. (2009). No Leito da Enfermidade. São Paulo: Editora Cultura Cristã.

Venâncio, J. L. (2004). Importância da Atuação do Psicólogo no Tratamento

de Mulheres com Câncer de Mama. Revista Brasileira de Cancerologia,

, 55-63. Retirado em 1º de maio de 2015 do site

http://www.inca.gov.br/rbc/n_50/v01/pdf/revisao3.pdf




DOI: https://doi.org/10.34115/basrv4n1-011

Apontamentos

  • Não há apontamentos.