A formação em educação do campo no município de Ilhéus-BA com base nos indicadores do PAR: análise da política educacional / Training in rural education in the municipality of Ilhéus-BA based on PAR indicators: educational policy analysis

Siomara Castro Nery, Arlete Ramos dos Santos, Marizéte Silva Souza, Polianna Almeida da Costa

Resumo


Este estudo é um recorte da pesquisa em andamento intitulada “Políticas públicas educacionais do Plano de Ações Articuladas (PAR), em municípios da Bahia a saber Ilhéus, Itabuna e Vitória da Conquista, cuja intenção é identificar e analisar as políticas públicas educacionais que compõem o PAR nesses municípios, no período de 2010 a 2015. Nesse trabalho visamos apresentar resultados preliminares sobre o município de Ilhéus referentes às políticas de formação de professores do campo com base nos indicadores do PAR, na perspectiva de perceber quais resultados estão sendo efetivamente obtidos com a implantação das políticas assumidas por cada um dos entes em questão quanto à formação dos profissionais que atuam no campo. Para tanto, adotamos como metodologia o estudo bibliográfico acerca dos conceitos de políticas públicas e de formação de professores campesinos, a partir da LDB (Lei (9.394/96), articulando esses referentes com os dados obtidos através de entrevistas semiestruturadas e de aplicação de questionários. A partir da análise dos resultados reunidos, é possível constatar que, a despeito de toda documentação existente,  a formação ofertada pelo referido município aos seus professores não contempla adequadamente as especificidades da educação do campo e demanda o surgimento de um profissional mais protagonista de seu próprio processo de formação a ponto de reivindicar junto às esferas competentes maior adequação, bem como criar ele mesmo outras possibilidades de cumprimento das políticas estabelecidas pelo município em questão.


Palavras-chave


Educação do campo. Formação de professores. Políticas educacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES-ROCHA Maria Isabel, Desafios e perspectivas na formação de educadores: reflexões a partir do curso de Licenciatura em educação do campo desenvolvido na FAE/UFMG. In: SOARES, Leôncio (org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, p. 309-406, 2010.

AZEVEDO, Sérgio de. Políticas públicas: discutindo modelos e alguns problemas de implementação. In: SANTOS JÚNIOR, Orlando A. dos. (ET AL.). Políticas públicas e gestão local: programa interdisciplinar de capacitação de conselheiros municipais. Rio de Janeiro: FASE, 2003.

BAHIA, Secretaria da Educação. Orientações Curriculares Estaduais para o Ensino Médio: Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias/Secretaria da Educação – Salvador, 2005.

BODGAN, Robert C.; BIRKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitative em educação. São Paulo: Vozes, 1982.

BRASIL, Resolução CD/FNDE nº14, 8 de junho de 2012.

_____ Resolução CD/FNDE nº29, 20 de junho de 2007.

_____ Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implentação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/Decreto/D6097.htm Acesso em 14/07/2017.

_____ Lei 11.494 de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB.

_____ Orientações Curriculares para o Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 2006. ENEM/MEC.

_____ Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, 1998.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 12ª ed., Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979.

ILHÉUS, Lei 3.150 de 21 de dezembro de 2004. Dispões sobre a gestão democrática do ensino público e dá outras providências.

_____ Plano Municipal de Educação, Lei 3.084 de 10 de janeiro de 2004.

_____ Plano Municipal de Educação, Lei 3.629 de 23 de junho de 2015.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Trad. De Célia Neves e Alderico Turíbio. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1997.

MENDES, Odete da Cruz; CAMARGO, Arlete Maria Monte. Formação Continuada e profissionalização docente nos municipios de Belém e Cametá. In: CASTRO, Alda Maria duarte Araújo et all(org.). Plano de Ações Articuladas: propostas, cenários e desafíos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2016.

MORAN, J. M. Os novos espaços de atuação do professor com as tecnologias. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, vol.4, nº12, pág.13-21, maio-ago, 2005.

PEREIRA, J. E. D. Formação de Professores: pesquisas, representações e poder. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SANTOS, Arlete R. dos. & SOUZA, Maria Antônia de. Formação docente e educação do campo. Cadernos de pesquisa: Pensamento Educacional. Curitiba, número especial, p.209-238, 2016.

SANTOS, Arlete Ramos dos. Projeto Políticas públicas educacionais do PAR em municipios da Bahia no período de 2010 a 2015. Ilhéus, BA, 2015.

SAVIANI, Dermeval. O plano de desenvolvimento da educação: análise do projeto do MEC. Educação & Sociedade. Campinas, vol.28, n.100 – Especial, p.1231-1255, out.2007.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. 1ª reimpressão da 1ª edição. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

SILVA, Lázara Cristina da. Desafíos e implicações na atualidade à formação docente: interlocuções com o plano de Ações Articuladas (PAR). In: GUTIERRES, Dalva V. G.; BARBALHO, Maria Goretti C.; COSTA, Maria Simone F. P.(Orgs). Dimensões do Plano de Ações Articuladas: contextos e estratégias de implementação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2017.

SILVA, Maria do Socorro Araújo; CRUZ, Rosana Evangelista da. O Plano de Ações Articuladas: desafios para a gestão educacional. Revista Fundamentos, v.2, n.2, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.