Uma análise sobre as ações do estado no enfrentamento da violência doméstica familiar / An analysis of the state's actions in coping with family domestic violence

Silvio da Costa Magalhães Filho, Luzinete da Silva Magalhães

Resumo


O estudo teve por objetivo verificar como os mecanismos de enfrentamento da violência doméstica familiar, podem contribuir para a redução de novos casos e proteção da vítima. A investigação foi conduzida por uma abordagem teórico-empírica em que as análises estatísticas envolveram a literatura existente e os dados oficiais dos órgãos de controle. Os resultados evidenciaram que ainda são alarmantes os casos de incidência e reincidência de violência doméstica e familiar, e que as vítimas que são, em sua maioria, parceiras dos agressores, ou inseridas no rol familiar dos mesmos. 


Palavras-chave


Lei Maria da Penha; Violência doméstica; Prevenção.

Texto completo:

PDF

Referências


BIANCHINI, Alice. CYMROT, Danilo. GOMES, Luiz Flávio. Prevenção da infração penal no Estado democrático de direito. Disponível em:< http://atualidadesdodireito.com.br/alicebianchini/2013/02/07/homens-agressores-grupos-de-reflexao-prevencao-terciaria-e-violencia-domestica/>. Acesso em 17 de fev de 2017.

BRASIL. Lei nº 11.340 de 7 de agosto de 2006. Cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher [...]; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em 17 de fev de 2017.

______. Secretaria de Política para as Mulheres. Lei Maria da Penha – Breve Histórico. Disponível em: < http://www.spm.gov.br/subsecretaria-de-enfrentamento-a-violencia-contra-as-mulheres/lei-maria-da-penha/breve-historico>. Acesso em 02 de dezembro de 2016.

______. Justiça do Trabalho da 2º Região. Estado de São Paulo. Julgamento dos autos do processo n. 1000025-12.2013.5.02.0502. Internet. Disponível em: < http://www.compromissoeatitude.org.br/sentenca-da-2a-vara-do-trabalho-de-taboao-da-serrasp-indenizacao-trabalhista-para-vítima-de-violencia-domestica-04042013/>. Acesso em 17 de fev de 2017.

______. Secretaria de Política para as Mulheres. Balanço 2015. Disponível em: < http://www.spm.gov.br/assuntos/violencia/ligue-180-central-de-atendimento-a-mulher/balanco180-2015.pdf. Acesso em 17 de fev de 2017.

______. Secretaria de Política para as Mulheres. Disponível em: < http://www.spm.gov.br/. Acesso em 17 de fev de 2017.

CASTILHOS, Ela Wiecko Volkmer de. As diretrizes nacionais para investigação do feminicídio na perspectiva de gênero. Sistema Penal & Violência, v. 8, n. 1, p. 93-106, 2016.

CAVALCANTI, Patrícia Barreto. et al. Ações intersetoriais no enfrentamento da violência contra a mulher. In: VII Jornada Internacional de Políticas Públicas (VII JOINPP). 2015.

FARIAS, Drielly Tenório Marinho et al. A violência doméstica contra a mulher e as politicas públicas: a partir da abordagem marxista. In: VII Jornada Internacional de Políticas Públicas (VII JOINPP). 2015.

GRECO, Rogério. O monitoramento eletrônico. Club Jurídico do Brasil. Revista Eletrônica, publicação em internet [2010]. 2014. disponível em: . Acesso em 24 de janeiro de 2017.

KRANTZ, Gunilla; GARCIA-MORENO, Claudia. Violence against women. Journal of epidemiology and community health, v. 59, n. 10, p. 818-821, 2005.

ALRS. Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul. Uso de tornozeleiras eletrônicas em agressores de mulheres agora é lei. Página da Agencia de Notícias da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Disponível em: < http://www2.al.rs.gov.br/noticias/%C3%9AltimasNot%C3%ADcias/Institucionais/tabid/5447/language/pt-BR/Default.aspx>. Acesso em: 01 de março de 2017.

RITA, Ana et al. Comissão parlamentar mista de inquérito: relatório final: violência contra a mulher. Brasília – DF. 2013.

SENA DE JESUS, José Paulo. O MONITORAMENTO ELETRÔNICO COMO ALTERNATIVA ÀS PRISÕES CAUTELARES: uma análise à luz das mudanças introduzidas pela Lei 12.403 de 04 de maio de 2011 ao Código de Processo Penal. Salvador: UFBA, 2011. Monografia (Graduação em Direito) Faculdade de Direito, Universidade Federal da Bahia. 2011.

TAQUETTE, Stella R. et al. Mulher adolescente/jovem em situação de violência. Propostas de intervenção para o setor saúde. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2007.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2015 - Homicídio de mulheres no Brasil. 2015. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres, ONU Mulheres, Organização PanAmericana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, 2015. Disponível em: www.mapadaviolencia.org.br/pdf2015/MapaViolencia_2015_mulheres.pdf. Acesso em: 12 de março 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.